MotoGP 2020: O que podemos esperar da Aprilia este ano? Parte 1

Por a 26 Janeiro 2020 16:30

Continuamos esta série analisando agora o progresso da Aprilia, focando em que trabalharam nos testes e o que procuram alcançar em 2020

Dos seis fabricantes do MotoGP, a Aprilia é a maior desconhecida. Não há muito que possamos aprender sobre 2020 olhando para o que aconteceu em 2019, porque 2019 foi um ano de testar a água para a fábrica italiana.

Também não há muitas conclusões a tirar dos testes: além de alguns trabalhos sobre eletrónica e algumas outras partes menores, todos os pilotos da Aprilia estavam apenas a recolher dados. Isso resultou em algumas fotografias interessantes, com sensores a laser de aparência estranha montados em estabilizadores nos eixos dianteiro e traseiro, medindo com precisão como as rodas deslizavam sobre a superfície. Mas não forneceu pistas sobre as ideias que a Aprilia tem para este ano.

Isso ocorre porque as maiores mudanças para a Aprilia fram dentro do departamento de corridas e na forma como ele foi organizado, e não na moto como tal. Massimo Rivola ingressou na Aprilia como CEO da Competição no final do ano passado, vindo do programa de jovens pilotos da Ferrari, e a sua primeira tarefa foi mudar a maneira como a Aprilia Corse funcionava, para torná-la mais eficiente.

Bradley Smith tem sido o piloto de testes da marca

A maneira como Rivola fez isso lembra o que Gigi Dall’Igna fez quando ingressou na Ducati (ironicamente, depois de deixar a Aprilia). Rivola concentrou-se em melhorar a comunicação, colocando todos em dia com tudo.

Ele assumiu o lado organizacional das coisas de Romano Albesiano, permitindo que Albesiano se concentrasse na engenharia e na construção de uma moto muito mais rápida. Também trouxe novos engenheiros, para trabalhar no motor, no chassis e na eletrónica, dando a Albesiano os recursos necessários para dar um grande empurrão para melhorar a Aprilia RS-GP.

Todo esse trabalho só dará frutos a longo prazo, no entanto. Para promover uma grande reorganização, o trabalho na moto de 2019 diminuiu para um conta-gotas. O foco estava em repensar a RS-GP para 2020, possibilitando uma reformulação radical.

Isso foi difícil de aguentar para os pilotos Andrea Iannone e Aleix Espargaró, às vezes, Espargaró criticando duramente a falta de progresso em várias ocasiões. Mas com a aproximação de 2020, Espargaró tornou-se mais brando nas suas críticas, finalmente capaz de ver os frutos de desistir de 2019 a aproximarem-se.

Antes da corrida em Misano, e após o teste Aleix Espargaró ainda estava frustrado. “Não tínhamos nada de novo para tentar“, disse ele em Setembro do ano passado. “Todos estavam testando muitas coisas, o meu irmão na KTM tinha cinco motos na garagem e também a Yamaha e Ducati tinham muitas coisas novas para tentar. Nós não tínhamos nada para testar”.

No teste de Jerez, o piloto da Aprilia Gresini já foi muito mais otimista. Ele já vira desenhos da moto, e Romano Albesiano contou muito mais sobre ela. “Conversei com Romano algumas vezes”, disse Espargaró. “Também vi desenhos em CAD da moto e ela parece boa.”

Mas é sobre as mudanças feitas por Massimo Rivola que Aleix Espargaró está mais entusiasmado. “Estou otimista“, disse ele. “Parece que estamos a caminho. Chegaram dois ou três mecânicos novos, dois aerodinâmicos, outro engenheiro de chassis. Portanto, mais de seis novas pessoas em lugares muito competitivos que se juntaram ao projeto, com novas ideias. Eles ajudarão muito Romano e a equipa de Romano será muito mais forte. Estávamos perdendo isso e espero que a nova moto e as ideias que eles trazem ajudem. “

Durante o inverno, mais detalhes surgiram sobre a moto, com a emissora italiana Sky, um dos patrocinadores, a receber até um breve vídeo do novo motor no dinamómetro. Romano Albesiano explicou o que a Aprilia está tentando alcançar com a nova RS-GP.

O motor é de 90 ° em V e a Aprilia trabalhou bastante para descobrir o intervalo de disparo correto. Eles esperam obter grandes ganhos de potência – acima de 20 cavalos de potência, para alinhá-los mais com a Yamaha e a KTM -, mas também estão trabalhando na capacidade de entrega, tentando tornar a entrega de potência o mais suave e controlável possível.

Uma das maneiras pelas quais eles tentam fazer isso é usar um volante externo, já usado pela Ducati e, segundo rumores, também pela Honda. Ao alterar a massa do volante externo, altera-se o caráter do motor. Menos peso e o mecanismo é mais reativo, mas um pouco mais agressivo. Mais peso e o motor não acelera com tanta força, mas obtém maior binário e uma travagem motor mais progressiva. Ter um volante externo significa que se pode alterá-lo e adaptar o caráter do motor a cada circuito individual sem quebrar os selos do motor. A melhoria da travagem motor é um dos principais objetivos da Aprilia, para ajudar a moto a entrar melhor nas curvas.

continua

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x