MotoGP, Áustria, TL3: Zarco mantém Ducati no topo, Oliveira fora da Q2 (18º)

Por a 20 Agosto 2022 10:08

Fabio Quartararo ameaçou com a Yamaha, mas foi o seu compatriota Johann Zarco (Pramac Racing) a ser o mais rápido numa sessão onde as motos de Borgo Panigale voltaram a impor a lei do mais forte. Miguel Oliveira vai ser obrigado a ir à primeira qualificação (Q1) depois de um TL3 muito abaixo das suas reais possibilidades.  

Depois de uma sexta-feira fértil em novidades e com o nome de Miguel Oliveira na berlinda, depois do convite formulado por Pit Beirer para permanecer em 2023 na formação da GasGas Factory Team. Na prática trata-se de um projeto aliciante, onde o Miguel será melhor pago que na RNF Aprilia e poderá ter ao seu dispor uma moto que é basicamente uma KTM RC16 que pode sofrer alterações, beneficiando os pilotos do ‘kow-how’ e a muita experiência da Tech3. Ainda hoje, Paulo Oliveira vai reunir com Pit Beirer e o ‘patrão’ Stefan Pierer e desse encontro veremos se há fumo branco.   

Hoje o dia começou em Spielberg com algumas nuvens no céu, sem ameaça de chuva e boa temperatura no asfalto. Apesar disso, Remy Gardner foi um dos primeiros pilotos a cair na curva 9, num ano nada fácil para o ex-campeão de Moto2 australiano, assim como para Raul Fernandez, último!

A menos de meia hora do final da sessão ,Johann Zarco (Ducati) liderava a sessão, com Miguel Oliveira fora dos dez primeiros, mas uma volta de faca nos dentes levou-o ao segundo lugar. Pouco depois a supresa vinha das hostes da Suzuki, com Joan Mir a colocar a GSXX-R no topo. Resposta previsível e imediata das motos de Borgo Panigale, com Jack Miller a subir a primeiro com 24 milésimas de diferença para Mir, seguindo-se Zarco, Oliveira com a KTM e Jorge Martin a fechar os cinco primeiros. Pouco depois Taka Nakagami subia a segundo fazendo descer Miguel Oliveira ao quinto lugar; Aleix Espargaró, em risco de não passar ao Q2, piorava ainda mais a situação com uma queda…

A 13 minutos do final as coisas mudavam de figura com outro ataque forte das motos italianas.  Enea Bastianini subia a primeiro com a Ducati GP do ano passado, perdendo essa posição para Miller a 9 minutos do final. Pecco Bagnaia, Bastianini, Mir e Martin fechavam os cinco primeiros, com Miguel Oliveira a ficar fora dos lugares de acesso ao Q2, no 11º lugar. A 7 minutos do final Fabio Quartararo sobe a primeiro com uma volta rápida de 1’29.269 na Yamaha M1 e Oliveira desce a 13º. Os irmãos Aleix (Aprilia) e Pol Espargaró (Honda), assim como Brad Binder (KTM) estão distantes nos tempos.

A menos de dois minutos do final da sessão Miguel Oliveira parte para a sua última volta lançada, Aleix Espargaró faz o mesmo e coloca-se provisoriamente no nono lugar que rapidamente perde essa posição para Jorge Martin, ficando fora do Q2 por 2 milésimos de segundo. Num ataque final Johann Zarco torna-se o primeiro piloto a rodar no segundo ’28 e destrona Quartararo de primeiro, colocando o cronómetro em 1’28.964. Nas contas finais, Quartararo, Miller, Martin e Bagnaia completam os cinco primeiros. A fechar os dez primeiros, também passam ao Q2 Bastianini e Rins, assim como Brad Binder – que numa tática distinta e invariavelmente mais proveitosa que a de Oliveira, reserva sempre as últimas volta para subir lugares na classificação. O sul-africano apurou-se para a Q2 com o 8º lugar, enquanto Miguel Oliveira não foi além do 18º tempo. Viñales e Mir fecharam o top 10.

Segue-se o Treino Livre 4 às 12h30, antes do início das qualificações a partir das 13h10.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x