MotoGP, 2021, Doha: Ducati Pramac, líderes do campeonato

Por a 6 Abril 2021 13:00

Três pódios, Johann Zarco a liderar a classificação geral e Jorge Martin, um rookie sensação que faz poles e lidera corridas…. A Ducati Pramac teve um início maravilhoso de 2021 sob os projetores do Qatar

Nas corridas, o melhor resultado é sempre o próximo!” Francesco Guidotti

Quando aterraram em Doha, a Pramac Racing provavelmente não imaginava o sucesso dos seus dois fins de semana de Grande Prémio no Médio Oriente.

Em Johann Zarco, a Pramac tem um bicampeão mundial que ainda está a aprender os pontos mais finos duma Ducati.

E em Jorge Martin, eles têm um estreante da classe rainha campeão do mundo de Moto3 que, juntamente com os outros estreantes Luca Marini (SKY VR46 Avintia) e Enea Bastianini (Avintia Esponsorama Racing) tinham muito pouca preparação para a pré-temporada.

No entanto, montando as máquinas de mais recente especificação, especialmente no caso de Zarco, as expectativas eram elevadas, no bom sentido.

Não parece haver muita pressão sobre os ombros do francês, mas o piloto e a equipa sabem que podem alcançar grandes feitos em 2021.

Desde o início, no Qatar, Zarco estava na frente. 4º no TL2 no GP do Qatar, a algumas décimas de Jack Miller (Ducati Lenovo Team), foi um trabalho bem feito. 6º na grelha foi suficiente, e quando os pilotos da Ducati desencadearam os seus dispositivos de disparo quando o semáforo se apagou, os dois pilotos de fábrica, e Zarco e Martin, vindo de 14º, eram os quatro primeiros na Curva 1.

Seguiu-se uma corrida de atrito de pneus, com Zarco um dos destaques.

O campeão do mundo de Moto2 de 2015 e 2016 passou por Joan Mir (Suzuki Ecstar) na corrida até à linha para reclamar 2º, o seu segundo pódio Ducati e o mais rápido das GP21s.

Um ponto na sua primeira corrida de MotoGP não é nada desprezível para o seu colega espanhol que ficou em 15º, e claramente, foi uma saída para a pista com a qual Martin aprendeu muito.

O que aconteceu depois no Grande Prémio de Doha é algo que nenhum de nós esperava.

Nem mesmo a Pramac Racing, nem o próprio Martin, poderia ter sonhado com a ação de sábado à noite. Primeiro, tanto Martin como Zarco navegaram diretamente para a Q2 graças às performances de topo do TL2.

Uma primeira vez na segunda parte da qualificação para Martin significava, na pior das hipóteses, que iria alinhar em 12º para a sua segunda corrida de MotoGP, que já teria sido um resultado impressionante.

Mas essa noção foi rapidamente esquecida, com Martin no topo da pilha depois do primeiro conjunto de ataques de tempo.

Assistindo com espanto, como sempre fazemos na qualificação, o vencedor da corrida do GP do Qatar, Maverick Viñales (Yamaha Monster Energy) saiu em chamas na sua segunda para bater o tempo de Martin por 0,330s.

Três décimos de segundo é um bom pedaço de tempo para qualquer um ultrapassar, ainda mais um novato na sua segunda sessão de qualificação.

Mas foi exatamente isso que Martin fez.

Pouco antes do número 89 passar a linha, Zarco foi para a pole provisória, mas uma primeira pole desde o GP da República Checa do ano passado foi descartada quando a sensação principiante deu o seu golpe de martelo. Depois de ter passado apenas 10 dias numa MotoGP puro-sangue, foi a pole position para Martin, um resultado que fez êxtase no mundo do motociclismo.

Cenas de êxtase foram vistas também na garagem da Pramac Racing, ao garantirem um 1- 2 de sonho na qualificação, primeira vez para a Pramac quando entram no seu 20º ano de competição de classe rainha.

“É um ótimo início de ano, no 20º aniversário em MotoGP para a Pramac. O pódio no último fim de semana e a qualificação em primeiro e segundo é incrível, é muito emotivo”, disse Francesco Guidotti, Team Manager, no sábado à noite. Quando lhe perguntaram se já tinha havido um dia melhor do que este para a equipa nos últimos 20 anos, Guidotti respondeu:

“Espero que amanhã. Nas corridas, o melhor resultado é sempre o próximo, por isso, amanhã, vamos tentar fazer uma grande corrida.”

24 horas depois, o Top 10 mais próximo de sempre e o Top 15 mais próximo de sempre foram o resultado de Doha.

A Pramac Racing tem dois talentos fenomenais a montar as suas GP21 este ano. Zarco é líder do Campeonato do Mundo, com Martin no seu primeiro pódio.

O futuro é brilhante para a Pramac e a Ducati, e a equipa e a fábrica apoiadas pela Itália em peso não poderiam ter desejado um melhor início para 2021.

Dois homens, ambos cheios de velocidade, a tomar o MotoGP de assalto no deserto. Bravo Pramac.

Agora, o que nos reservará a montanha russa de Portimão?

5 1 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x