Moto2, Qatar: Luthi ‘pronto’, mas “o GP pregou-nos uma partida”

Por a 10 Março 2020 15:00

Thomas Luthi e a IntactGP foram forçados a fazer mudanças radicais no dia da corrida no Qatar: “Senti-me pronto para a temporada e depois o GP pregou-nos uma partida” disse Thomas Luthi, candidato ao título de Moto2, que conseguiu ganhar oito lugares na abertura da temporada de Domingo no Qatar, apenas suficiente para cruzar a linha em décimo.

Depois de um inverno sólido, o piloto da IntactGP atingiu problemas inesperados durante o fim-de-semana do Grande Prémio e ficou apenas em 18º lugar na grelha.

“Estou definitivamente um pouco desapontado, com certeza. Senti-me preparado para a temporada e depois tudo correu mal aqui em Doha”, disse o 12 vezes vencedor em Moto2, que há um ano foi vice-campeão em Losail.

“Trabalhámos na direção errada durante demasiado tempo e depois tivemos de mudar completamente para o dia da corrida. Basicamente, tivemos que começar tudo de novo.”

“A equipa saiu-se muito bem a curto prazo, mas ficou tudo um pouco apertado. Após a difícil qualificação, a posição da grelha não foi boa. O resultado foi uma limitação de danos.”

“Não estava assim tão longe do topo e tive de ficar a conhecer uma mota completamente nova. Era uma tarefa enorme que tinha de fazer hoje. Estou feliz com os pontos, mas também estou feliz com a experiência que tivemos aqui.”

“É absolutamente crucial que aprendamos com ele e compreendamos. Pode ser uma ferramenta que nos dará uma vantagem no futuro.”

O colega de equipa Marcel Schrotter, qualificado na pole há um ano em Losail, tinha sofrido problemas semelhantes a Luthi, mas conseguiu, pelo menos, salvar o 13.º lugar na qualificação.

No entanto, um contacto inicial fez com que Schrotter caísse para trás de Luthi nas primeiras voltas, antes de seguir o #12 enquanto evolu+íam através do pelotão.

Enquanto o progresso de Luthi começou a estagnar, Schrotter continuou a sua ascensão para chegar ao sétimo lugar na bandeira axadrezada.

“Comecei bem, mas na saída da curva dois, houve um toque“, disse Schrotter. “O Tom passou por mim por dentro também. Houve muita confusão, especialmente com Di Giannantonio, que me custou muito tempo. Devíamos ter sido agressivos, mas com um pouco mais de cabeça. Ambos temos potencial para estar à frente.”

“No entanto, não tive o ritmo esperado nas primeiras voltas. Não sentia aderência na roda dianteira. Depois tentei, pouco a pouco, aumentar o meu ritmo. Fui mais rápido e mais rápido e eventualmente apanhei o Luthi. Infelizmente demorou algum tempo a passar por ele, mas o Tom não tem um estilo de pilotagem que seja fácil de ultrapassar e não queremos arriscar uma queda com o próprio colega de equipa.”

“Tive um ritmo forte no final e quatro segundos atrás do líder, está tudo bem. Sétimo lugar não é um resultado de sonho, mas no geral fizemos um bom trabalho, fizemos uma boa ultrapassagem e acabámos por ser os mais rápidos na pista com o Nagashima.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Moto2
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x