Moto2, 2020: O incentivo da Triumph

Por a 17 Julho 2020 17:30

O Campeonato do Mundo de Moto2 e o Troféu Triumph Triple vão voltar no Grande Prémio de Espanha.

Depois de uma excelente estreia no Qatar, que viu Tetsuta Nagashima (KTM Ajo Red Bull) reclamar a vitória sob os holofotes de Losail, a Triumph está pronta para o segundo ano a potenciar o Campeonato do Mundo de Moto2.

Está quase na hora de ouvir o som dos motores da MotoGP mais uma vez. O GP de Espanha está a chegar, e uma intensa batalha está prestes a começar, mas não só na classe rainha.

Também nas Moto2, antes da temporada de 2020, a Triumph trabalhou incansavelmente a analisar os dados adquiridos a partir de 2019, e num exame completo de todos os motores utilizados, para entender a fundo o desempenho de cada componente individual num campeonato de motociclismo muito competitivo.

A partir daí, a Triumph focou-se em olhar para melhorias nas dimensões e tolerâncias que lhes permitirão suavizar o limite de excesso de rotações imposto no ano passado ao reduzir.

Como é que a Triumph está a tornar a Moto2 melhor do que nunca em 2020?

O Diretor de Produto Steve Sargent explica como a Triumph está a melhorar os motores e introduz ao mesmo tempo o Troféu Triumph Triple.

Enquanto a batalha do Campeonato de Moto2 continuar, o novo desafio Triumph Triple Challenge #PoweredByTriumph continua também, celebrando a competitividade na classe intermédia. Então, como é que funciona? Pontos extra são atribuídos nas corridas para uma classificação final, como segue:

Velocidade máxima mais rápida, dá 7 pontos, fazer a Pole position dará 6 pontos e fazer a Volta de corrida mais rápida 5 pontos.

O vencedor desta classificação separada (que não é necessariamente o vencedor do Campeonato!) será recompensado no final da temporada com uma Triumph Street Triple RS, equipada com o mesmo motor de 765cc que lançou Nagashima para a vitória no Qatar.

Marcos Ramirez lidera o Desafio juntamente com Marcel Schrotter

Demonstrando a proximidade da competição na classe, há dois líderes conjuntos do Triumph Triple Trophy #PoweredByTriumph enquanto nos preparamos para a 2ª Ronda e eles são Marcos Ramirez da American Racing e Marcel Schrotter da Liqui Moly Intact GP, pois ambos contam sete pontos, tendo registado uma velocidade máxima mais rápida de 299,1 Km/h no Qatar.

Falando após a ronda inaugural, Steve Sargent, Chefe de Produto da Triumph, disse: “Um ano depois da nossa primeira corrida no Qatar e ainda sentimos a excitação! Que incrível corrida de abertura, com outro novo vencedor em Tetsuta, um pódio incrivelmente próximo, um novo recorde de volta e a mesma proximidade nas corridas que nos habituámos a desfrutar agora em Moto2. É ótimo começar a temporada de 2020, lançar o nosso Troféu Triumph Triple #PoweredByTriumph que mostra bem o quão competitivo está o campeonato, e mal podemos esperar pela próxima corrida.”

“Estamos muito orgulhosos do que conseguimos no ano passado em Moto2, mas não vamos descansar, trabalhámos arduamente durante o inverno para fazer melhorias usando os benefícios de uma temporada completa de dados de corrida, e como já vimos, este ano começou com mais novos recordes de voltas, batendo os feitos usando os nossos motores do ano passado, e com uma série de novos pilotos a aparecerem perto do topo das folhas de tempos.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Moto2
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x