MotoGP: Milhares atraídos a Jerez por Oliveira

Por a 1 Maio 2019 14:30

A MotoGP visita atualmente a Península Ibérica em 4 ocasiões em 4 circuitos diferentes: Jerez, Barcelona, Aragón e Valencia. Mas só um destes se pode proclamar como sendo o Grande Prémio de Espanha: Jerez de La Frontera, que tem lugar este fim-de-semana.

Depois de nos anos 80 o GP ter como destino Jarama, às portas de Madrid, e antes disso até Montjuich nas colinas de Barcelona,  a construção do traçado permanente que substituiu a pista urbana anterior na localidade Andaluza veio sedear o GP de Espanha firmemente ali a partir de 1989, depois da visita original em 1987 ainda ter visto um regresso a Jarama no ano seguinte.

Para muitos portugueses, nos anos de glória dos duelos Gardner/Lawson ou Schwantz/Rainey, era um destino inevitável, a romaria anual causando mesmo uma pequena bolha comercial no nosso reduzido mercado quando, para se precaverem na viagem, centenas de motociclistas acorriam às oficinas a montar pneus, correntes, ou pastilhas de travão, na antecipação duma viagem que já era parte do gozo de dizer “presente”.

Depois, havia Puerto de Santa Maria, a noite, o marisco e a cerveja, as exibições mais ou menos irresponsáveis que eram tão parte da coisa que, quando acabaram por imposição das autoridades, o GP nunca voltou a ter bem a mesma mística…

Claro que a moderna organização da Dorna tem como prioridade o deus televisão que tudo engole, e perdeu de bom grado 50.000 espetadores em troca do politicamente correto. Tendo dito isso, Jerez continua a atrair um quarto de milhão de espetadores, (243.517 em 2015) batido apenas por Brno na República Checa em termos absolutos ao longo da época.

E este ano, espera-se uma multidão recorde do nosso país simplesmente para ver ao vivo a evolução do nosso Miguel Oliveira…

Moto3 ao rubro até à última volta

Mas também o duelo das pequenas Moto3 vai estar quente, com até agora três vencedores de três corridas em Kaito Masia e Canet e homens como DallaPorta e Antonello à espera da oportunidade de se juntarem a eles. Não é a toa que as mais pequenas 250 dão as melhores corridas do plantel, em termos da incerteza do vencedor e das tocad de porição quse a cada curva até ao final.

Moto2 à espera da definição

Já na categoria intermédia, Lorenzo Baldassarri tem monopolizado as coisas com duas vitórias e um DNF, mas há igualmente uma série de cabdidatos capazes, com vantagem para os germanófilos Schrotter ou Luthi mas com Alex Marquez em melhoria e Remy Gardner sempre mais perto duma vitória que já se sente a chegar-  e que, como atual residente em Espanha, teria direito a reclamar como do seu GP de casa!

MotoGP: O duelo Honda Ducati promete continuar

Jerez é considerada uma pista lenta, com 3 ganchos e apenas duas retas, mas com uma maioria de curvas médias dadas em 2ª ou 3ª a retirarem muita da vantagem que a Ducati detém à partida nos traçados mais rápidos.

Com Dovi, Rossi, Marquez e Rins separados por tão pouco que meia dúzia de pontos podem mudar a tabela de feição, a coisa vai estar muito próxima e cada sessão de treinos vai ser crítica, até pelo recente re-asfaltamento do circuito ter trazido com ele uma alocação extra de pneus…

Quer isto dizer que marcas como a Suzuki (mais a mais com 2 pilotos espanhóis!) e a Yamaha ou até a KTM poderão fazer a surpresa, esta última talvez não ainda em termos de vitória mas decerto esperando encontrar-se, pelo menos com Espargaró, 4 ou 5 lugares mais acima que o habitual na classificação… e por nós, se Miguel Oliveira, que adora o traçado que conhece desde miúdo, for na onda, e andar mais perto da frente, tanto melhor!

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Destaque Homepage
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png