Dakar 2018: Toby Price vence um ano depois

Por a 17 Janeiro 2018 16:46

Está a cair o pano sobre a 11ª tirada do Dakar, com ligação entre Belén a Chilecito e que foi marcada pela passagem pelas dunas de Fiambalá para além de ser também a primeira parte de uma etapa maratona, isto é no final do dia não pode existir assistência mecânica ‘pesada’ às motos. Terão de ser os próprios pilotos a fazer as reparações que forem necessárias nas suas ‘montadas’.

Pela frente os concorrentes tiveram 280 quilómetros cronometrados, que tiveram como principais protagonistas os pilotos que ontem perderam muito tempo com o famoso erro de navegação antes do sétimo e último waypoint. Não obstante terem partido em posições mais atrasadas do que o habitual, com os prós e contras que tal situação origina, estes homens evidenciaram toda a sua rapidez numa jornada que ficou marcada pelos abandonos de Joan Barreda Bort e Stefan Svitko, dois pilotos que estavam no top 10 à partida para a jornada.

No final do dia o melhor registo ficou na posse de Toby Price, piloto que liderou a etapa do princípio ao fim imprimindo sempre um ritmo consistente. Price ofereceu à KTM a sexta vitória em etapas neste Dakar, quarto piloto diferente a conseguir vencer, para além de ter vencido mais de um ano depois uma tirada do maior evento de todo-o-terreno do mundo. O último triunfo havia sido na segunda etapa da edição de 2017, realizada a 3 de janeiro, precisamente dois dias antes do acidente que resultou na fratura da perna esquerda e abandono do australiano, que é agora terceiro na geral.

No segundo posto ficou Kevin Benavides, que com a saída de cena de Joan Barreda Bort subiu também a segundo na classificação geral. O piloto da Honda ganhou tempo ao líder Matthias Walkner, quase 10 minutos, e os dois pilotos estão agora separados por 32 minutos exactos quando restam três etapas por disputar. Antoine Méo, que foi segundo durante grande parte da etapa, fraquejou na parte final do dia e ficou a 6m31s da vitória.

Ricky Brabec foi o quarto e fechou o lote de pilotos que no dia anterior tiveram um dia para esquecer e que hoje sobressaíram. O líder da corrida, Matthias Walkner, foi quinto numa tirada onde abriu a pista e não quis arriscar nem um milímetro. Seguiu-se um dos heróis da véspera, Gerard Farrés Guell, que realizou mais uma etapa muito certinha.

Johnny Aubert continua a surpreender e hoje foi sétimo mostrando mais uma vez a boa forma da Gas Gas. Este é para já o melhor resultado do francês neste Dakar. Joan Pedrero colocou a Sherco em oitavo e manteve a boa forma já evidenciada ontem. Oriol Mena, o melhor ‘rookie’ em prova, e José Ignacio Cornejo completaram o top 10.

Já Pablo Quintanilla mais uma vez deparou-se com problemas na sua Husqvarna quando vinha a realizar uma etapa interessante. Assim o piloto chileno perdeu 33m56s para Toby Price e viu perturbada a sua recuperação.

Palavra ainda para o segundo dia positivo dos estreantes norte-americanos, Andrew Short e Mark Samuels. Hoje não ficaram entre os 10 primeiros, mas mesmo assim quedaram-se pela 14ª e 15ª posições, respetivamente. Definitivamente os ares da Argentina estão a fazer bem aos pilotos da língua de Shakespeare.

Em atualização….

Classificação da etapa provisória:

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Destaque Homepage
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png