CEV Repsol 2020: Regulamento atualizado

Por a 21 Janeiro 2020 15:30

O CEV Repsol da FIM publicou o regulamento revisto para 2020, que tem algumas alterações de pequena monta: Nomeadamente, a idade máxima dos participantes fica definida como “até ao fim do ano em que cumprirem 50 anos”, e de cada Grupo de qualificação serão reservados dois pilotos, os qualificados em 39º e 40ª, que poderão tomar parte na prova se um dos qualificados faltar por qualquer razão.

As regras sobre o procedimento quando um piloto tem problemas na grelha também são clarificadas, bem como a penalização por falsa partida. Corridas declaradas molhadas serão agora automaticamente reduzidas para 2/3 da distância original. Treinar arranques numa situação de bandeira vermelha fica também proibido.

À bandeira branca com cruz vermelha diagonal a significar chuva ligeira numa zona da pista pode ser adicionada a bandeira de óleo vermelha e amarela para significar agora “chuva intensa” nessa zona. A explicação dos sinais de bandeiras em geral é definida em maior detalhe.

O procedimento de verificação no fim de uma corrida é definido como permitindo ao Diretor de Prova selar um motor para posterior verificação. Na seção técnica, os “shifters” passam a ser definidos e portanto abrangidos, pela restante regulamentação que respeita às caixas de velocidades.

A fibra de carbono fica proibida como material principal da composição do braço oscilante.

Para efeitos de verificação, o fornecedor oficial de pneus passa a ser equiparado aos comissários no direito de verificar os pneus a qualquer altura.

Kits de ECU homologados por qualquer fabricante passam a poder ser usados noutra motos na categoria Superstock, bem como respetivos chicotes de instalação.

O uso de material refletor na zona inferior dos depósitos passa a ser proibido. Uma bateria adicional pode ser usada para alimentar em exclusivo o sistema de recolha de dados. A bobine do gerador tem de estar ligada à restante instalação.

Para feitos de instalação de carenagens, etc., parte soldadas passam a poder ser adicionadas ao quadro.

O tê inferior da suspensão poderá ser modificado para instalação de batentes e o superior, para instalação de um reservatório de fluído de travão.

A adição de entradas de ar adicionais à de origem da caixa-de-ar fica proibida.

A utilização de mantas de pneus é permitida.

O Apêndice 8 define os painéis luminosos homologados permitidos.

O fornecedor de combustível pode mandar realizar testes específicos à gasolina de um concorrente à sua discrição.

Os materiais a usar em fatos e joelheiras/cotoveleiras etc. são também atualizados.

O Apêndice 13 define a homologação de Capacetes permitidos na Moto3.

Há também algumas adições e redefinições às penalidades que podem ser impostas pelos Comissários Desportivos. Todas estas se aplicam a todas as Categorias em geral, incluindo a European Talent Cup.

De lembrar que o Campeonato tem este ano duas provas em Portugal, no Estoril e em Portimão.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Velocidade
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png