TT: Yamaha deixa o Dakar e os Rally-Raids

Por a 20 Fevereiro 2022 20:53

A Yamaha decidiu terminar o seu envolvimento oficial no Campeonato do Mundo de Ralis e no Dakar. A decisão tomada antes do grande clássico, assinala uma viragem na história da marca que corre atrás do sucesso desde a epopeia de Stéphane Peterhansel.

Segundo o Presidente da Yamaha Europe, Eric De Seyness, a decisão de sair dos ralis, deve-se ao mercado em constante mudança. “Embora o Rally Dakar tenha conseguido manter-se próximo das suas raízes enquanto deixava a sua pátria espiritual de África, o mundo à sua volta mudou muito. Os nossos clientes offroad têm expectativas diferentes e estão à procura de produtos diferentes, e precisamos de atender a isso se quisermos permanecer ligados. Por esta razão, decidimos terminar a nossa longa história em duas rodas no Rally Dakar e no Campeonato do Mundo de Rallys”, disse.

A Yamaha é a única marca a ter participado em todos os Rally Dakar desde o seu início, com o francês Cyril Neveu a conquistar a vitória aos comandos de uma Yamaha XT500 na primeira edição em 1979, seguindo-se uma segunda vitória um ano depois. Veio depois a lenda do Dakar, Stephane Peterhansel, que obteve um recorde de seis vitórias para a Yamaha na década de 1990. O italiano Edi Orioli contribuiu para o sucesso da Yamaha em África com uma vitória na edição de 1997.

Mais recentemente, a WR450F estreou-se com sucesso na classe Super Production 400cc, terminando como melhor da classe nas corridas de 2004 e 2005 com David Frétigné. Este levou ao terceiro lugar geral na edição inaugural sul-americana em 2009, com Hélder Rodrigues também terminando no pódio em 2011 e 2012, antes de Olivier Pain ficar em terceiro lugar em 2014. Para 2015, a Yamaha desenvolveu uma nova WR450F Rally e a Monster Energy Yamaha Rally Team chegaram perto do pódio em várias ocasiões, com Adrien van Beveren a perder a vitória na edição de 2018 com uma queda a poucos quilómetros do final.

Com 44 ralis Dakar no seu histórico, a Yamaha não vai mais participar do evento com a WR450F Rally mas vai continuar a estar presente na categoria SSV apoiando os pilotos com o seu protótipo Yamaha YXZ1000R, que correu as edições de 2021 e 2022 do Dakar , terminando em 2º e 6º no programa de desenvolvimento contínuo. Em duas rodas, o foco da marca japonesa está em atender às necessidades em evolução dos clientes no setor offroad, dada a introdução da nova Ténéré World Raid.

“A Yamaha agradece a todos os envolvidos na organização do Rally Dakar, à equipa, pilotos e patrocinadores que trabalharam com o fabricante nas últimas quatro décadas e trouxeram tanto sucesso e emoções”.

Em relação à equipa que alinhou para o Dakar 2022, sabemos que Ross Branch assinou com a Hero e que Andrew Short deve encerrar a sua carreira. Resta o caso Van Beveren. Adrien vai alinhar no final do mês na Enduropale “por diversão” pilotando uma Yamaha. Mas se a sua carreira continuar em duas rodas nos ralis, há rumores de que possa juntar-se a outra formação, uma vez que lhe foi feita uma proposta nesse sentido.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x