Ensaio – Yamaha MT-03

Por a 14 Agosto 2016 11:36

A família MT, continua em franco crescimento, e aproxima-se cada vez mais dos utilizadores jovens ou recém iniciados. Com um motor bicilíndrico de 321 cc, a MT-03 é a mais recente fonte de diversão da Yamaha, para este sector de mercado.

2016_YAMAHA_MT-03_STA_006

[ninja_forms_modal_form id=5 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_1.jpg’]      [ninja_forms_modal_form id=9 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_2.jpg’]

A linha MT surgiu para trazer para o grande público um tipo de motos diferente, que expressa o lado mais dinâmico e excitante das duas rodas. A resposta do mercado tem sido muito boa, desde a introdução da MT-09 mais de 70000 modelos MT foram vendidos na Europa. Esta é uma clara prova de que estamos perante uma fórmula que é procurada. A Yamaha tem sabido explorar esta apetência, lançado várias variantes desde conceito. Tem procurado aproximar-se das massas mais jovens e inexperientes, primeiro com a apresentação da MT-125 e agora consolidando a gama de entrada com a MT-03.

Esta nova MT faz uso de um motor bicilíndrico de 321 cc, num desenho claramente pensado para uma utilização citadina. É uma moto que se sente bastante ligeira embora o seu peso seja de 168 kg. É muito compacta, mas tem espaço suficiente, para um adulto de grande estatura se sentir confortável. A posição de condução é boa, se bem que as pernas ficam um pouco dobradas, numa posição que nos relembra que a MT-03 nasce com base num modelo desportivo. Melhor assim, torna-se mais fácil colocar peso no interior das curvas, a nossa atitude perante a condução é mais atenta. O guiador tem a largura certa e dá ao tronco a inclinação necessária para sentirmos a frente e ter um bom controlo da direcção.

2016_Yamaha_MT03-261

Citadina

O assento fica a uma altura confortável do chão e o facto de a MT-03 ser estreita e leve, transforma-a numa excelente opção para quem procura passar por uma moto de iniciação. Quer acabado de encartar, como vindo das “125”, os menos experiente irão sentir-se muito à-vontade nesta naked. O lado negativo do assento, está no reduzido conforto que oferece, claramente pensado para uma utilização urbana. É de facto em cidade que a MT-03 melhor exprime as suas qualidades. Além de ser perfeita para o menos experientes é também uma excelente opção para quem procura uma moto rápida, ágil e económica para uma utilização no dia-a-dia. O motor tem um funcionamento muito equilibrado, respondendo sem hesitações desde baixos regimes, sempre com um crescendo consistente.

Às 2000 rpm já funciona bem, sobe com decisão, mas é para cima das 7000 rpm que a energia do bicilíndrico ganha nova força. É um motor de cariz bastante desportivo com o comportamento típico de um multicilíndrico. A faixa utilizável de rotações é ampla e o motor parece que nunca mais acaba de subir de regime. O limitador de rotações aparece muito tarde, perto da 13.000 rpm, quando o bicilíndrico começa a perder o fulgor. A caixa está bem escalonada para manter o motor na rotação certa e a embraiagem macia torna descontraída a utilização no pára arranca das horas de ponta. O facto de a moto ser bastante estreita, fora a zona do guiador, facilita o desenvencilhar das filas de trânsito.

2016_YAMAHA_MT-03_STA_005

A plenos pulmões

O primeiro contacto com esta MT foi nos arredores de Benidorm numa estrada de montanha que nos levou até ao centro desta urbe de veraneio, marcante pelos seu edifício de grande altitude. Em estrada aberta a MT-03 mostra um motor com uma boa alma, com prestações suficientes para nos manter entretidos. Rodámos sempre perto do limite do pequeno bicilíndrico trocando constantemente de relação de caixa para manter o regime acima das 7000 rpm. É assim que este empurra com energia, mas esta unidade também se sente bem a rodar a ritmos moderados.

A ciclística acompanha bem as prestações, com um quadro que apresenta a rigidez necessária para garantir uma boa estabilidade em zonas rápidas. As suspensões tem um comportamento coerente com a filosofia do modelo, com uma afinação que é firme mas sem perder conforto. A frente poderia ter um pouco mais de tacto, é pouca a informação que recebemos dela. Provavelmente a pouca aderência das estradas de montanha que encontrámos em direcção a Benidrom tenham sido as causadoras desta falta de confiança, é que a traseira saiu da trajectória várias vezes em “power slide”, mesmo com os 321 cc e 42 cv disponíveis.

A MT-03 é uma moto ágil, muito devido ao amplo guiador e geometria da ciclística. É fácil colocá-la na trajectória que desejamos e ainda mais manobra-la a baixa velocidade. A travagem funciona muito bem com o travão dianteiro a oferecer uma boa progressividade e potência suficientes para deter as prestações da pequena MT. O ABS é um elemento muito bem vindo nesta moto, em especial por se dirigir maioritariamente a motociclistas com menos experiência.
Com uma imagem plena de carácter, uma grande facilidade de utilização e agilidade, um motor pleno de alma em altos regimes e uma posição de condução que nos dá um bom controlo de todo o conjunto, a Yamaha MT-03 é uma companheira perfeita para um dia-a-dia pleno de estilo.

A MT-03 aposta numa mecânica moderna com 321 cc e dois cilindros. Este motor foi desenvolvido para equipar a desportiva YZF-R3, pelo que as suas prestações estão em primeiro plano, como os seus 42 cv indicam. Este motor tem corpos de injecção de 32 mm, os pistões têm 68 mm de diâmetro e 44,1 mm de curso, garantindo uma grande facilidade em “respirar” nos regimes mais elevados. Uma particularidade de relevo é a configuração descentrada dos cilindros em relação à cambota. Ou seja, o centro dos pistões está 7 mm avançado em relação ao centro da cabota, directamente por cima do ponto de fixação a esta, aproveitando melhor a energia criada pelo pistão após a explosão. Na ciclística encontramos também a estrutura desenhada para a YZR-R3 com um quadro tubular de aço com a forma de diamante. É uma estrutura robusta, rígida, leve e compacta e utiliza o motor como parte de reforço do conjunto. Na frente é utilizada uma forquilha KYB de 41 mm e na traseira um mono-amortecedor com um braço oscilante assimétrico. No que respeita a travagem a MT-03 aposta num conjunto com ABS como opção que tem na frente um disco de 298 mm com uma pinça de dois pistões. Os pneus são Michelin Pilot Street, com 110 mm na frente e 140 mm na traseira, montados numas muito estilizadas jantes de 10 braços. O peso total do conjunto é de 168 kg, um valor que não se sente quando em movimento.

Ficha Técnica

Yamaha MT-03

Cilindrada- 321 cc

Potência- 42 cv

Depósito- 14 lt

Peso- 168 kg

Tipo: 2 cil. paralelos, refrigeração por líquido

Distribuição: 8 válvulas

Binário: 29,6 Nm às 9000 rpm

Embraiagem: multidisco em óleo

Caixa: seis velocidades

Transmissão: por corrente

Quadro: estrutura tubular em aço

Suspensão dianteira: forquilha telescópica de 41 mm, curso de 130 mm

Suspensão traseira: mono-amortecedor, curso de 125 mm

Travões: disco de 298 mm + disco de 220 mm

Rodas: 110/70-17” 140/70-17”

Distância entre eixos: 1.380 mm

Altura do assento: 780 mm

Cores disponíveis:

Midnight Black

Race Blu

Preço: 5.220 €

2016_YAMaha_MT320_EU_SMX_STU_002_03

 

Mais informações: Aqui

Concessionários: Aqui

Texto: Marcos Leal

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x