Suzuki GSX-S750 de 2018 – Ensaio

Por a 6 Junho 2017 19:33

GSX-R750 é uma sigla sobejamente conhecida e associada à marca Suzuki que, como podemos constatar num artigo anterior,  certamente a Suzuki quis manter associada ao posicionamento estratégico tirando partido do grande reconhecimento no mercado e designar também a sua gama naked, substituindo o R de Racing por um S , na GSX- S1000 e também na 750 ambas associadas à mesma sigla e  dentro do mesmo espírito GSX da marca.

A Suzuki GSX-S750 de 2018 está agora mais parecida com a sua irmã 1000. O design da moto foi revisto com novos elementos e entre outros inclui agora de origem o bico de pato inferior, peça que antes era um extra opcional.

Foram também introduzidas algumas alterações ao nível da ciclística, com a distância entre eixos a aumentar cerca de 5mm graças  à introdução do novo braço oscilante e nova suspensão, que apenas tem regulação em pré-carga.

Os travões dianteiros foram melhorados, com pinças Nissin radiais de 4 êmbolos, substituindo os da Tokico anteriores de apenas 2 êmbolos. sendo que também os discos foram substituídos e melhorados.

A nível electrónico inclui agora ABS e três níveis de controle de tração mais um nível desligado. O controle de tração actua  não só na tração como também na resposta do acelerador, o que na prática acaba por ser mais  “modos de motor” que apenas “controle de tração”.

O painel de informação provém agora directamente da S1000, totalmente digital e LED tec, em substituição do anterior analógico que provinha da GSR750.

Se considerarmos que o motor da GSX S750 provém da GSXR 750 K5, que agora debita “apenas” 114cv, muitos irão achar que a diferença para os 136cv da GSXR ficarão aqui a faltar, tendo em conta o temperamento algo suave da GSX-S750 e também considerando que a concorrência mais directa das 800 e 900 naked de outras marcas existentes no mercado, nomeadamente a novíssima e sofisticada Triumph Street Triple 765, evoluíu substancialmente.

No entanto a potência está perfeitamente em sintonia com a restante ciclística da GSX-S750 e a experiência de a pilotar é deveras gratificante, revelando-se uma moto ágil, leve, fácil de pilotar, com resposta progressiva e pujante a partir de médio regime, onde começa a revelar a sua verdadeira  “alma” R.

 

Os novos travões Nissin vieram dar outra efectividade na travagem a sua dosagem e progressividade. Os pneus Bridgestone Battlax revelaram-se acertados para uma condução em seco sendo que oferecem também um bom comportamento e aderência em piso molhado.

A suspensão apesar de não regulável revelou um comportamento bastante aceitável, algo dura em piso em mau estado mas perfeita para rodar rápido em estradas simuosas e de bom piso.

Em condução agressiva a GSX S750 mostra toda a sua raça, com enorme precisão em curva e estabilidade, e suavidade à saida das curvas não sendo tão sensível no acelerador como uma 1.000 graças ao menor torque do motor 750 a baixa rotação. Mas claro que podemos sempre utilizar mais a caixa para a manter num regime mais alto e tirar mais partido do torque do motor nos regimes mais altos. É opção do tipo de pilotagem que se queira empreender.

 

 

O mercado das naked de cilindradas médias altas, entre os 750cc e os 900cc está de facto muito disputado, sobretudo com as tricilindricas Yamaha MT09 e XSR900 e a nova Triumph 765, cujos motores revelam maior torque a mais baixa rotação, mas há quem prefira sempre as altas rotações de um 4 cilindros e seja fiel à designação GSX.

 

Cores disponíveis 2017/18

Vermelho

Azul

Preto

Suzuki GSX-S750 2018 – Especificações Técnicas

Motor                                          749cc Tetra-cilíndrico em linha, 4 tempos, 4 válvulas/cilindro, refrigeração líquida

Compressão                              12.3:1

Potência                                     114CV às 10.500 rpm

Par Máximo                              n.d.

Alimentação                             Injecção

Ignição                                        Electrónica

Arranque                                    Eléctrico

Transmissão                             Corrente

Caixa                                            6 velocidades

Embraiagem                             Discos múltiplos, húmida.

Quadro                                       Diamante liga

Braço oscilante                         Duplo braço em alumínio ( Link type )

Suspensão dianteira              Invertida, 41mm ajuste em pré-carga 120mm de curso

Suspensão traseira                 Amortecedor Link Type 138mm de curso

Roda dianteira                          120/70-17” Tubeless

Roda traseira                            180/55-17” Tubeless

Travão frente                           2 Discos 310mm Pinças Nissin com 4 êmbolos e ABS

Travão traseiro                        1 Disco 240mm com 2 êmbolos e ABS

Dimensões

Comprimento                           2.125 mm

Altura                                          1.055 mm

Largura                                          785 mm

Distancia entre eixos              1.455 mm

Distancia ao solo                        135 mm

Altura do banco                          820 mm

Peso                                                211 Kg

Capacidade depósito                  16 litros

 PVP                                              9.399,- eur

 

 

 

Concorrência

 

Yamaha MT09A / 847cc / 115cv / 193Kg / 9.295.- eur

Triumph Street Triple  S / 765cc / 113cv / 166Kg / 9.900.- eur

Kawasaki Z900 ABS / 948cc /125cv / 210 Kg / 9.995.- eur

 

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MOTO+
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x