ENSAIO TRIUMPH TIGER EXPLORER 1200 XCA de 2017 – A Aventureira Inglesa

Por a 4 Setembro 2017 15:04

A Maxi Trail topo de gama da Triumph, a fabulosa Tiger Explorer 1200, concorre num segmento em grande expansão, onde a disputa é feroz, mas os seus atributos e desempenho, sobretudo da sua versão mais sofisticada, a XCA de 2017, não fazem temer qualquer comparativo com a sua concorrência mais directa.

O seu poderoso 3 cílindros, motorização única neste segmento, e a sua actual sofisticação electrónica aliada a uma estética muito apelativa colocam a Explorer XCA no topo do grupo.

Nas instalações Triumph em Lisboa é-nos fornecido um pequeno briefing sobre alguns detalhes da XCA e com especial destaque para a sua electrónica sobretudo para a sua suspensão semi-activa e a forma de selecção e acionamento dos vários modos disponíveis, tanto da suspensão como do ABS, com sistema de “Cornering ABS”, do controle de tração , dos modos de motor e do Cruise Control. O ajuste da vidro dianteiro é também feito através de selecção no painel e outra funcionalidade foi também referida e colocada em ON que é a do sistema que automáticamente trava a moto em situações em que paramos em subidas e em descidas.

Uma vez “briefados” subimos na majestosa Explorer XCA e a primeira impressão é do seu peso, a acusar os seus 258 Kg, realidade que imediatamente se dissipa assim que arrancamos. Em andamento a Explorer torna-se extremamente ágil e manobrável, com um excelente equilíbrio a baixa velocidade a revelar uma distribuição de massas bem realizada.

O percurso de cidade que fomos obrigados a fazer, para cruzar Lisboa em direcção a Cascais, num dia extremamente quente, revela que a XCA não gosta de transito ( nem nós ) nem de sobre-aquecimento do seu motor. Assim que a ventoinha do radiador dispara somos surpreendidos por um fluxo excessivo de ar quente nas pernas, realidade que nos leva a explorar a sensação de perfeito equilibrio que nos proporciona a Explorer e a procurarmos manter o andamento pelo meio dos carros parados, realidade que apesar da sua dimensão se mostrou de uma enorme facilidade.

Uma vez fora da cidade e em estrada aberta, maravilha. A Explorer tem uma aerodinâmica perfeita e o fluxo de ar circula de forma magnífica ao nosso redor, fruto de um desenho acertado do párabrisas mas também de dois defletores laterais junto ao depósito que eliminam turbulências do ar.

Na primeira paragem decidimos explorar as várias possibilidades da sofisticada electrónica da Explorer XCA. Dos quatro modos de motor, Road, Off-Road, Rain e Sport, escolhemos este último tendo em conta que iriamos fazer um percurso de estrada e enfrentar algumas curvas bem desenhadas a caminho do Cabo da Roca em Sintra. Existe ainda um modo totalmente programável, o Rider, que deixa em aberto o explorar e personalizar o setup total da electrónica da moto. A suspensão decidimos explorar o potencial da suspensão semi-activa e em modo TSAS deixar que fosse a mesma a ler o terreno e o nosso tipo de condução para percebermos toda asua eficiência.

Decisão acertada pois o motor em modo Sport passou a responder de forma imediata, com uma progressão excelente desde baixa rotação e com um binário que nos permitia rodar tranquilamente nos 100, 120 Kmh em 6ª velocidade e acelerar sempre que necessário nas ultrapassagens. O tricilindrico de 137CV a revelar toda a sua pujança e o binário de 123Nm às 6.200 rpm a garantir que a potência está sempre disponível a qualquer regime.

As suspensões pelo seu lado no modo “inteligente” revelaram-se realmente acertadas na gestão que íam fazendo e a proporcionar-nos uma condução bastante tranquila e agradável, por vezes até surpreendente em curva tal o seu desempenho. A travagem também nos pareceu perfeita e efectiva, assegurada pelos magníficos Brembo de pinças flutuantes monobloco de 4 êmbolos e discos de 282mm na frente.

Quisemos perceber também o potencial e comportamento da Explorer fora de estrada. Sem querermos radicalizar a sua utilização Off -Road e não querendo explorar pelo seu peso terrenos de maior dificuldade optámos por uns estradões de terra de piso irregular e colocámos em modo de motor Off-Road para tornar a nossa condução mais controlada e suave. As suspensões optámos por deixar em modo activo e a leitura e comportamento da XCA foi perfeita.

A suspensão absorvia de forma eficiente todas as irregularidades , a Explorer mantinha o seu comportamento ágil mudando de direcção com facilidade e ultrapassando pequenos obstáculos sem desiquilíbrios e com perfeito controle na sua condução. Nada a apontar. Percursos de areia otámos por não fazer pois os pneus que montava apesar de demonstrarem um bom desempenho off road não eram garantia de grip suficiente em piso mais solto ou areia.

De qualquer forma, pelas suas características e peso vemos a Explorer como uma moto de aventura para grandes viagens em estrada, graças ao seu extremo conforto e proteção aerodinâmica e com algumas incursões em estradões fora de estrada sempre que necessário pois as suas suspensões e restante ciclística estão preparadas para gerir todo tipo de desafios.

Em conclusão a Triumph Tiger Explorer versão XCA é um topo de gama de características premium em termos do que existe actualmente no segmento Maxi Trail, com enorme capacidade de proporcionar um prazer imenso em longas viagens, com um motor tricilindrico que com os seus 1215cc e 137CV garante potência e binário em qualquer regime tornando a condução ainda mais agradável, com tudo o que há de mais sofisticado em termos de suspensões e travagem, com uma electrónica de última geração onde podemos selecionar práticamente tudo e inclusivamente personalizar ao nosso critério as várias afinações.

A Versão XCA da Explorer tem um preço muito competitivo em relação à concorrência considerando todo o equipamento e opções que inclui de raíz neste modelo: Dois modos de motor extra, pára-brisas regulável eléctricamente, função de travagem automática da moto em subidas, faróis auxiliares anti nevoeiro com proteção metálica, bancos e punhos aquecidos, sistema de controle de pressão dos pneus, peseiras wide e maquinadas em CNC, barras de proteção de motor e radiador, proteção de carter em alumínio e montagem de suportes para malas laterais também de raíz.

 

CORES DISPONÍVEIS 2017

 

Ficha Técnica

Motor Tipo Tricilíndrico em linha. Refrigeração líquida. 12 válvulas.

(DOHC).

Cilindrada 1215cc
Bore Stroke 85 mm / 71.4mm
Compression 11.0:1
Potência máxima CE 139 CV (102 kW) @ 9,300 rpm
Binário máximo CE 123 Nm @ 6,200 rpm
Sistema Injecção com acelerador electrónico
Escape Sistema de escape 3:1 lateral con com colectores eponteiras em aço inox.
Transmissão Final Cardán
Embraiagem Multidisco e óleo com acionamento hidraulico assistido
Caixa de velocidades 6 velocidades
Quadro Estructura tubular em aço
Braço oscilante Monobraço em liga leve com transmissão por cardán
Roda dianteira Jante com aros de aluminio para pneu “tubeless”. 32 raios.

19 x 3 polegadas

Roda traseira Jante com aro de alumínio para pneu “tubeless”. 32 raios.

17 x 4,5 polegadas

Pneu dianteiro 120/70 R19
Pneu traseiro 170/60 R17
Suspensão dianteira Suspensão invertida WP de 48mm, com ajuste electrónico em compressão.

Curso de 190mm

Suspensão traseira Mono-amotecedor WP com ajuste electrónico semi-activo em

compressão e automático de precarga. 193mm de curso

Travão dianteiro Disco duplo flutuante de 305mm com pinças Brembo monobloco de

4 êmbolos radiais. ABS ajustável e desligável.

Travão traseiro Disco de 282mm conm pinça deslizante Nissin de 2 êmbolos e ABS

Desligável

Painel de instrumentos e funções  

Quadro de instrumentos com tacómetro analógico, display duplo LCD,

fixo e multi-função: O fixo mostra informação de velocidade, mudança

engrenada, nível de combustível, aviso para revisões, relógio,

temperatura ambiente e de liqudo refrigerante, velocidade e aviso do

Crusise Control.

O LCD duplo multi função mostra os modos de motor selecionáveis,

configuração da suspensão TSAS, computador de bordo, com consumos,

velocidades médias, distancias e tempos, autonomia, sistema de medição

de pressão de pneus, avisos de aquecimento de punhos e bancos.

Largura do guiador 830 mm (930 mm com proteções de mãos)
Altura (sem espelhos) 1470 mm (1540 mm vidro na posição mais alta)
Altura banco 837-857 mm
Distância entre eixos 1520 mm
Inclinação 23.1˚
Avanço 99.2 mm
Peso em seco 258 Kg
Capacidade do depósito 20 L

PVP                                               20.200.- EUROS 

 

CONCORRÊNCIA

 BMW R1200 GS                                1170cc / 125cv / 244Kg / 16.543 euros ( preço base )

DUCATI  Multistrada G/W     1198cc / 160cv / 235Kg / 20.159 euros

KTM SuperAdventure T            1301cc / 160cv / 222Kg / 19.654 euros

Honda VFR Crosstourer SE     1237cc / 129cv /  280Kg / 15.300 euros

 

GALERIA DE IMAGENS 

 

 

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MOTO+
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x