MotoGP, 2021, Miguel Oliveira: “Não estamos perdidos sem o Pol”

Por a 10 Julho 2020 15:30

Miguel Oliveira sente-se pronto para assumir o lugar do experiente Pol Espargaró na equipa de fábrica da KTM Red Bull na temporada de MotoGP de 2021. O português de 25 anos e Brad Binder formam uma dupla jovem, em que a marca Austríaca deposita grandes esperanças.

Há duas semanas, a KTM confirmou oficialmente a lista de pilotos de 2021, e com ela a saída de Pol Espargaró de 29 anos, que deixará o fabricante austríaco após quatro anos no final da temporada, em direção à Honda Repsol.

Enquanto o estreante na KTM Danilo Petrucci se vai juntar à Tech3, Miguel Oliveira junta-se à equipa de fábrica da KTM Red Bull. Quanto à sua promoção, o leal piloto da KTM declarou resolutamente, em relação a substituir Pol:

Sei que estou pronto para tomar o seu lugar. Pol fez o seu melhor pelo projeto”, elogiou Oliveira, falando do líder da KTM entre os pilotos equipa de fábrica.

“O facto de ele estar no cargo deu-lhe mais responsabilidade, mas acho que também lhe deu os meios técnicos para conhecer muito melhor a moto e também para desenvolver as suas habilidades como piloto. Por mim, vou fazer o meu trabalho, o resto vai ser revelado nos tempos e nos resultados.”

Com Brad Binder e Miguel Oliveira, ambos nascidos em 1995, a dupla de fábrica ainda é jovem, apenas a competir na sua primeira e segunda temporadas na classe rainha em 2020. O português de 25 anos não receia que o projeto austríaco de MotoGP não tenha um homem experiente como o décimo primeiro no Mundial Pol Espargaró?

“Não, não, não. Não é como se estivéssemos perdidos porque estamos a perder o Pol“, disse Oliveira. “Ele estreou a RC16 e fez o melhor na KTM para desenvolver a moto. Temos uma equipa muito bem estruturada que trabalha para o futuro e desenvolvimento. E também temos um grande piloto de testes no Dani [Pedrosa]. Acredito que nos daremos bem sem o Pol. Claro que perdemos quem deu a direção à moto até agora, então é claro que há algumas dúvidas, mas do meu ponto de vista vamos passar muito bem”, disse o vice-campeão de Moto2 de 2018.

Em 2020, é claro, Pol Espargaró ainda está ao serviço da KTM Red Bull e também esteve envolvido nos testes privados anteriores, embora os pilotos de saída sejam geralmente mantidos afastados de mais testes para que não possam levar segredos com eles para a concorrência.

Acho que a KTM é muito profissional“, disse Oliveira. “Ele está de serviço até ao final desta época do Campeonato do Mundo, e seria inteligente tirar o melhor partido disso agora e não apenas parar, porque o futuro é claro. A KTM é um fabricante que já ganha corridas, por isso não há grandes segredos. Sabemos que o sigilo e a discrição são altamente valorizados. No final, é uma questão de profissionalismo de cada pessoa ir para outro lugar sem revelar segredos.”

Oliveira, no entanto, sente-se definitivamente pronto para assumir mais tarefas em termos de desenvolvimento e testes: “Sim, sobre isso não há dúvidas!”, assegurou o Almadense.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png