MotoGP 2020: Pilotos e chefes de equipa: quem está com quem em 2020?

Por a 28 Janeiro 2020 16:00

O braço direito de um piloto de MotoGP desempenha um papel fundamental numa temporada de sucesso. Os chefes de equipa geralmente têm alta procura, assim como o mercado de pilotos de MotoGP, e após algumas mudanças notáveis ​​em 2019, o mesmo pode ser dito mais uma vez em 2020.

Aqui está um resumo completo de quem trabalhará com quem este ano:

Yamaha: A maior mudança para a temporada 2020 ocorre do lado de Valentino Rossi na garagem Yamaha Monster Energy, depois do Doctor decidir que 2019 seria o seu último ano com Silvano Galbusera. Após cinco anos juntos, Galbusera, que permanecerá com a Yamaha na equipa de teste, foi substituído por David Muñoz. O jovem espanhol vai trabalhar no MotoGP pela primeira vez depois de ter, principalmente, ajudado Pecco Bagnaia a chegar ao Campeonato do Mundo de Moto2 em 2018.

Ao mesmo tempo, Esteban Garcia permanecerá com Maverick Viñales após um primeiro ano bem-sucedido. Além disso, na garagem da Yamaha SRT Petronas, Fabio Quartararo fica com Diego Gubellini, enquanto o chefe de equipa de Franco Morbidelli será novamente Ramon Forcada.

Honda: O campeão de 2019 Marc Márquez (Honda Repsol) mantém o seu braço direito de confiança Santi Hernandez, enquanto o irmão Alex Márquez herda o chefe de equipa de Jorge Lorenzo em 2019, o experiente Ramon Aurin. Na garagem da LCR, Takaaki Nakagami estará com o ex-chefe de equipa de Dani Pedrosa, Giacomo Guidotti, pelo segundo ano, enquanto Cal Crutchlow continuará apoiado por Christophe Bourguignon que veio da antiga equipa Kawasaki.

Ducati: Na garagem da Ducati Team, Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci mantêm os seus respectivos chefes de equipa: Alberto Giribuola e Daniele Romagnoli. Na Ducati Pramac Racing, Jack Miller também fica com Christian Pupulin, enquanto Francesco Bagnaia estará com o ex-chefe de equipa da Ducati de Jorge Lorenzo, o experiente Christian Gabbarini pelo segundo ano.

Na boxe da Ducati Reale Avintia, Jarno Polastri fica com Tito Rabat, enquanto recém-chegado Johann Zarco traz com ele Marco Rigamonti. O italiano tem muita experiência na Ducati depois de trabalhar com Andrea Iannone de 2013 a 2016, antes de o seguir até à Suzuki.

Suzuki: Alex Rins (Suzuki Ecstar) mantém José Manuel Cazeaux ao seu lado em 2020 e não há mudanças no lado oposto da garagem, pois Joan Mir continua trabalhando com Francesco Carchedi, da Grã-Bretanha.

Aprilia: Aleix Espargaró (Aprilia Racing Team Gresini) procurará tirar o máximo proveito da nova máquina da Aprilia para 2020ao lado de António Jimenez. JNão se sabe se Iannone poderá permanecer na equipa, pelo que é prematuro saber quem será o técnico do eventual segundo piloto.

KTM: Na garagem da KTM Red Bull Factory Racing, Pol Espargaró permanece com o simpático australiano Paul Trevathan, enquanto Brad Binder trabalha ao lado de Sergio Verbena, que será chefe de equipa no MotoGP pela primeira vez desde que trabalhou com Stefan Bradl na Yamaha Forward em 2015 Na KTM Red Bull Tech 3, Nicolas Goyon vai trabalhar com Iker Lecuona, enquanto Guy Coulon fica com Miguel Oliveira, uma parceria que tem funcionado bem.

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png