MotoGP, 2020: Ezpeleta prevê 12 a 16 corridas

Por a 8 Maio 2020 14:30

O CEO da Dorna Sports, Carmelo Ezpeleta, falou ao MotoGP sobre o calendário do Mundial de Velocidade, nomeadamente ‘sobre o comunicado de quarta-feira de que a Dorna Sports, o Governo Regional da Andaluzia e a Câmara Municipal de Jerez de la Frontera concordaram em fazer uma proposta ao Governo Espanhol que, se for aprovada, veria o Circuito de Jerez – Angel Nieto realizar dois Grandes Prémios de MotoGP.

Uma sinopse da proposta para a realização do Grande Prémio de Espanha, que segundo Ezpeleta “Estamos a preparar há dias. Tal como já tinha explicado, a nossa ideia é começar no final de Julho e continuar a planear eventos a ter lugar na Europa até meados de Novembro, mais ou menos, e a partir daí em climas mais quentes, onde podemos correr de Novembro a Dezembro. Se isso não for possível, então o Campeonato do Mundo terminará na Europa.”

Chegou-se a um acordo para enviar a proposta ao governo espanhol. Quais são os seguintes passos?

“O acordo entre o Governo Regional da Andaluzia, a Câmara Municipal de Jerez e nós próprios foi alcançado. Estabelecemos o básico: como e o que vai acontecer e como será organizado. Apresentámo-lo e eles acharam aceitável enviá-lo ao Governo de Espanha. Isto é o que estamos a fazer com todos os países a que vamos. Há um protocolo que decidimos, que estará terminado amanhã ou no dia seguinte, onde reduzimos o número de pessoas que são a família MotoGP para 1300.”

“Ao mesmo tempo, em cada um dos países, há uma comissão onde debatem todo este tipo de coisas para todos os desportos. Cada desporto tem condições diferentes. Uma vez que tenhamos um protocolo claro, que está praticamente concluído, no que diz respeito ao número de controlos, como será o paddock, etc., submetemo-lo ao Governo de Espanha. Isto envolve vários ministérios diferentes. Espero que envolva o Ministério do Interior, para a circulação de pessoas, o da Saúde, para as medidas de segurança e o dos Transportes, para o que estará envolvido na entrada e saída de Espanha.”

“É o caso em Espanha e nos outros países do mundo. Estamos a falar com o Brno, também a Áustria e a Itália, para ver as diferentes opções. A nossa ideia agora é começar a correr no final de Julho”

Carmelo Ezpeleta deu a sua opinião sobre o que pode ser recuperado da temporada de MotoGP 2020:

“Estamos a trabalhar de acordo com as condições atuais, para podermos fazê-lo num futuro próximo. Espero que, a partir de agora até Julho, as medidas não piorem, mas melhorem. O plano neste momento, tal como está, é que aqueles que estão fora da Europa teriam de vir para a Europa pelo menos 14 dias antes de um Grande Prémio e permanecer na Europa. Depois, todas as equipas, incluindo as europeias, terão de fazer um teste antes de deixarem os seus países, o mais tardar 4 dias antes de chegarem ao primeiro Grande Prémio, que será em Espanha.”

“Nessa altura, virão com o seu teste certificado que diz que há 4 dias estavam sem coronavírus e, quando chegarem ao circuito, faremos outro teste. Depois disso, todos os dias teremos uma equipa com Quirón que garantirá que as pessoas não mostram sintomas e vamos tirar a temperatura de todos. Então haverá um protocolo posto em prática se algo acontecer e como vamos lidar com isso.”

Calendário possível:

“O procedimento que tem a ver com Espanha, tem a ver com os outros países. “No início de Junho, acredito que será possível ter um calendário completo das corridas na Europa e, em teoria, definir o que poderia acontecer fora da Europa.”

Neste momento, o número máximo de corridas que podem acontecer após os cancelamentos é de 16. Podemos ter 16 corridas?

“Se pode haver alguma fora da Europa, sim. Estamos a preparar-nos para entre 12 e 16 corridas.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x