MotoGP, Paolo Ciabatti (Ducati): “Não pagamos nenhuma quebra de contrato a ninguém”

Por a 3 Dezembro 2022 13:46

O diretor desportivo da Ducati, Paolo Ciabatti, explica que a fábrica italiana não paga nenhuma multa contratual para comprar pilotos fora dos contratos. Jorge Martin e Raul Fernandez tiveram que pagar as penalidades na KTM.

“Quando descobrimos que o Raul Fernandez só seria ‘libertado’ da KTM se pagasse uma penalidade, encerramos as negociações”, disse Paolo Ciabatti.  “Não pagamos multa para nenhum piloto, para ninguém. Embora reconheçamos as performances incríveis do Raul na Moto2 em 2021.”

O piloto da KTM Tech3 MotoGP deste ano, Raúl Fernandez, assinou um acordo com a Aprilia Racing depois de ter sido dispensado pela KTM em agosto (por cerca de € 100.000 ou 150.000) e vai correr ao lado de Miguel Oliveira para a equipa CryptoDATA RNF Aprilia de Razlan Razali em 2023.

A Ducati, como a Aprilia, não realiza sua própria promoção de GP nas classes pequenas dos Grandes Prémios, ao contrário da Honda com a Idemitsu, a Yamaha com a Mastercamp Team e o Grupo Pierer com a KTM, GASGAS, Husqvarna e CFMOTO. A única excepção é a VR46 Riders Academy de Valentino Rossi, de onde veio Pecco Bagnaia, Luca Marini e Marco Bezzecchi.

A Ducati também mostrou grande interesse no verão de 2022 pelo piloto de longa data da KTM e cinco vezes vencedor do MotoGP, Miguel Oliveira. Mas a equipa Gresini acabou por preferir Alex Márquez (que trazia mais dinheiro no bolso), pelo que o veloz piloto português escolheu a Aprilia e a equipa RNF.

Na temporada de MotoGP de 2022, após o GP de Valência, a Ducati pode olhar para trás com orgulho: 12 vitórias (em 20 corridas), 32 pódios e 16 pole position, e cinco pilotos da Ducati Desmosedici entre os 9 primeiros do campeonato.

0 0 votes
Article Rating
This site uses User Verification plugin to reduce spam. See how your comment data is processed.
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x