MotoGP, Aragão, Corrida: Enea Bastianini conquista vitória com ultrapassagem na última volta

Por a 18 Setembro 2022 13:50

Poderia ser a quinta vitória consecutiva de Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team), mas o piloto foi ultrapassado por Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP) na última volta da corrida do GP de Aragão, depois de ter liderado durante (quase) todas as voltas. Ainda assim, Bagnaia somou mais 20 pontos e com a queda feia do líder do campeonato Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP), e consequente abandono, encurtou para apenas 10 pontos a diferença no campeonato para o francês da Yamaha.
Bastianini surpreendeu Bagnaia na curva 7 do traçado de Aragão na última volta da corrida, depois de uma primeira tentativa de ultrapassagem do piloto da Gresini na fase inicial, mas dessa vez cometeu dois pequenos erros e perdeu a liderança.
O terceiro classificado Aleix Espargaró (Aprilia Racing), que ultrapassou Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing) a duas voltas do final, terminou muito longe dos dois pilotos da frente. Jack Miller (Ducati Lenovo Team) foi quinto classificado, fechando o trio composto também por Espargaró e Binder, numa corrida que ficou marcada por dois acidentes aparatosos na volta de abertura – Quartararo e Takaaki Nakagami (LCR Honda) – que resultaram ainda no abandono de Marc Márquez (Repsol Honda Team) e pela corrida aborrecida que assistimos, apenas com emoção na primeira e última volta.
Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) terminou no 11º posto, tendo perdido duas posições na fase final da corrida.
O título de construtores foi entregue à Ducati, mas o campeonato entre os pilotos está ao rubro e completamente em aberto.

Destaques:
Numa corrida morna e sem muitos momentos de interesse, com a exceção das quedas na volta inaugural e as ultrapassagens de Aleix Espargaró e Enea Bastianini, esta pelo primeiro lugar e vitória no Grande Prémio de Aragão, o principal destaque vai para a curta diferença que separa agora Fabio Quartararo e Francesco Bagnaia.
O acidente de Quartararo foi muito feio e o piloto francês saiu dorido da queda. Com o abandono, o francês ficou apenas com 10 pontos de vantagem sobre o seu principal rival na classificação. E podia ter ficado apenas com 5 pontos de diferença, mas quis o decorrer da corrida que Enea Bastianini tivesse mais argumentos do que Bagnaia na última volta. Foram 20 pontos conquistados pelo italiano da Ducati Lenovo Team, mas Aragão marcou o fim de uma série de quatro vitórias consecutivas de Francesco Bagnaia. O campeonato está completamente em aberto, agora que o MotoGP ruma para o Japão na próxima semana.
Bastianini cometeu dois erros da primeira vez que passou a liderar o GP de Aragão, mas depois conseguiu afastar-se do trio composto por Brad Binder, Aleix Espargaró e Jack Miller, para pacientemente ir recuperando o terreno que tinha perdido. O ‘golpe’ acabou por ser dado na última volta, quando Bagnaia não quis arriscar uma resposta sem muita borracha disponível nos pneus. Veremos se no final da época não faltam 5 pontos a Bagnaia para ser campeão.
Um bom arranque fez Brad Binder. O piloto da KTM conseguiu saltar do 10º lugar na grelha de partida para um lugar cimeiro, passando por breves momentos pelo segundo lugar e terminou a corrida como quarto classificado.
Menos positivo durante a corrida, foram as quedas de Fabio Quartararo e Takaaki Nakagami, que teve alguma sorte por não ter sido atropelado por nenhum adversário, e as consequentes desistências. Também o regresso de Marc Márquez não correu como o espanhol sonhava, tendo de abandonar com danos na Honda.
Ficou comprovado que Yamaha e Honda não conseguem resultados suficientes sem Fabio Quartararo e Marc Márquez, respetivamente.
Miguel Oliveira chegou a rodar no oitavo posto, depois de um bom arranque. O piloto português ficou numa posição na trajetória de interior na curva 1 e não conseguiu progredir mais na classificação nesse momento. Foi perdendo algumas posições durante a corrida e no final, quando se esperava um melhor desempenho da KTM, o piloto luso perdeu mais duas posições e baixou para 11º.

Filme da corrida:
Sem Joan Mir (Team Suzuki Ecstar), que decidiu retirar-se da disputa do GP de Aragão e também não vai correr no Japão, na próxima semana depois de ter sentido dores no tornozelo direito, o fim de semana em Espanha trouxe de volta Marc Márquez (Repsol Honda Team) à grelha do MotoGP.
30 pontos separavam o polesitter em Aragão, Francesco Bagnaia e o sexto da grelha de partida, Fabio Quartararo antes do arranque da corrida.
Um acidente na curva 2 deitou por terra o líder do campeonato Quartararo, depois de Bagnaia ter saltado para a liderança do pelotão. A queda foi feia para o francês e resultou de um toque em Marc Márquez, que esteve novamente envolvido na queda mais à frente de Takaaki Nakagami (LCR Honda). O espanhol acabou por abandonar a corrida, com danos na sua Honda.
Depois das duas quedas na volta inaugural do GP de Aragão, Bagnaia liderava, seguido de Jack Miller (Ducati Lenovo Team) que o protegia de Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing), que tinha subido bastante na classificação, beneficiando da confusão inicial. Bastianini seguia no quarto lugar com Aleix Espargaró (Aprilia Racing) e Jorge Martín (Pramac Racing) atrás de si. Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) seguia no oitavo posto, atrás de Johann Zarco (Pramac Racing).
Nas imagens de Fabio Quartararo a chegar à sua box foi possível ver o seu peito queimado, depois de ter raspado durante alguns metros com essa zona do corpo no alcatrão aragonês.
Mesmo sem ordens de equipa explícitas na Ducati Lenovo Team, Miller parecia continuar a defender a posição do seu companheiro de equipa, que tinha uma oportunidade tremenda em diminuir a vantagem de Quartararo no campeonato apenas para 5 pontos. Enea Bastianini, depois de ultrapassar Brad Binder, conseguiu subir ao segundo posto, deixando Jack Miller pressionado pelo piloto da KTM. Binder, poucas curvas depois, conseguiu mesmo ultrapassar o piloto da Ducati e subir de novo a uma posição de pódio. Um pouco mais atrás, Oliveira conseguiu aproximar-se de Zarco e tentava pressionar o piloto da Pramac pelo sétimo lugar.
Na frente do pelotão, Bastianini encurtou de tal forma a diferença para Bagnaia, que na volta 9 ultrapassou o seu próximo companheiro de equipa, assumindo a liderança. Mas pouco depois, um erro na saída de uma curva facilitou a ultrapassagem de Bagnaia que recuperou o primeiro posto. Bastianini voltou a cometer um erro na curva seguinte e ficou com Binder ‘colado’ à traseira da sua Ducati e permitiu a Bagnaia escapar e passar a ter quase 1 segundo de vantagem. A discussão passou a ser pelo segundo posto da corrida, com Bastianini, Binder e ainda Miller em luta.
Em apenas meia volta, Bastianini conseguiu ‘sacudir’ os adversários que seguiam atrás de si e ficou mais próximo do líder ‘Pecco’ Bagnaia. Aleix Espargaró ultrapassou Jack Miller, assumindo o quarto lugar.
Luca Marini (Mooney VR46 Racing Team) entretanto, ultrapassou Miguel Oliveira, baixando o piloto português ao nono lugar, passando a ter Álex Márquez (LCR Honda) atrás de si.
Conforme a corrida entrava nas últimas 10 voltas, Bagnaia reagiu à recuperação de terreno de Bastianini, voltando a impor um ritmo mais intenso. Sem ultrapassagens no pelotão durante uma boa parte da corrida, Zarco e Marini trocaram de posição por duas vezes, mantendo a classificação na mesma ordem anterior a esta escaramuça.
Na fase final da corrida, Aleix Espargaró conseguiu, depois de alguma insistência, ultrapassar Brad Binder e assumir o último lugar do pódio. Na frente da corrida, Bastianini foi paciente e esperou pela última volta para tentar de novo a ultrapassagem ao líder, desta vez com sucesso. Venceu a sua quarta corrida do ano, com Bagnaia sem argumentos para responder ao ataque do piloto da Gresini.

0 0 votes
Article Rating
This site uses User Verification plugin to reduce spam. See how your comment data is processed.
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x