MotoGP, 2021: Miller motivado para o que vem a seguir

Por a 19 Julho 2021 18:30

Jack Miller, que tem estado a fazer MX na Holanda como férias e treino ao mesmo tempo, faz uma retrospetiva da sua meia temporada no MotoGP

“Tens de ter confiança e acreditar nos teus próprios pontos fortes!”

O Australiano sabe que está a entrar na segunda metade da temporada ainda na luta pela coroa.

Em 5º, a 56 pontos de Quartararo, terá de causar uma forte impressão na Áustria para compensar um intervalo que tem vindo a crescer devido a alguma falta de consistência.

Jack considera isso indispensável para conseguir grandes coisas na categoria neste momento. E tudo começa com uma atitude mental sólida.

Para isso, o piloto oficial da Ducati conta com a sua própria força interior e um ambiente de apoio…

Olhando para a primeira parte da época, Jack Miller vê a confirmação de uma nova era de MotoGP.

Um mundo depois da lesão de Marc Márquez em que as oportunidades de vitória multiplicaram-se, mas quem ganha no final é aquele que mantém a cabeça fria, privilegiando a regularidade e com um caráter de aço.

Nesse aspeto, Jack Miller quer ser da velha guarda. Com isto ele significa que se recusa a ter um treinador mental, uma especialidade que floresceu recentemente e à qual o sucesso atual de Fabio Quartararo é largamente atribuído.

“A componente mental desempenha um papel importante”, começa o jovem de 26 anos, “quando se trata de encontrar força mental, pode-se aprender com todos, mas especialmente com as pessoas com quem se gosta de estar e que nos fazem sentir positivos.”

Entre esta comitiva, Miller menciona pela primeira vez o seu manager Aki Ajo e os seus pais. Ao contrário de Fabio Quartararo ou Pol Espargaró, por exemplo, ele não consultou um psicólogo no passado recente:

“Acho que não preciso de um psicólogo desportivo. Já tentei isso. Não quero dizer que tenha sido mau. Mas também não é que eu tenha de falar com alguém assim todas as semanas. Eu sei no que trabalhar”, diz Miller.

“Basta ter confiança em si próprio e acreditar. No passado, era como se eu estivesse por vezes até demasiado confiante. Entretanto, penso ter encontrado um bom compromisso. O mais importante é que adoro o que faço, que é andar de moto”, disse Miller, que também reconheceu que o apoio do casal Crutchlow o tinha ajudado a ultrapassar o seu pobre início de temporada.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x