MotoGP, 2021: Hervé Poncharal em entrevista

Por a 20 Maio 2021 18:03

Que melhor altura para pedir ao gestor da KTM Tech3 um ponto da situação que depois do seu GP de França?

“Antes de mais, parabéns e um grande obrigado a Claude Michy, à Dorna e a todas as pessoas que trabalharam para organizar o Grande Prémio de França em Le Mans

Este ano, ele teve de enfrentar condições climáticas muito complicadas com frio, vento muito forte, chuveiros frequentes e pesados, a pista muito raramente seca e muito frio. Condições difíceis e um recorde de 117 quedas, mas apesar disso, as corridas foram belas nas três categorias, com uma corrida de Moto3, que começou no molhado e terminou no seco, o que deu origem a algumas soberbas voltas e reviravoltas, e portanto uma corrida magnífica, uma corrida de Moto2 a seco, que foi também uma bela corrida, e a categoria rainha, que começou no seco e foi rapidamente declarada uma corrida molhada com a famosa bandeira a bandeira. Não foi fácil lidar com isso, mas penso que deu ainda mais intensidade ao espetáculo.”

“Sentimos falta da atmosfera de Le Mans com toda a loucura nas bancadas e as pessoas que se encontram à entrada e à saída do paddock, era tudo triste e silencioso. Sentimos falta de todas as pessoas, dos convidados, dos patrocinadores, dos media, mas o que realmente nos anima perante todas estas dificuldades é ver o número de espetadores que acompanham o MotoGP. No total foram quase 1,9 milhões em média, e houve picos de até 2,4 milhões, o que é realmente soberbo e nos faz felizes e orgulhosos do trabalho que todos fazemos juntos!”

“Obviamente o fenómeno Fabio Quartararo e Johann Zarco é uma grande parte, mas há um apetite crescente pelo espetáculo de MotoGP, e penso que as condições que têm sido difíceis para as equipas e para o organizador criaram um espetáculo ainda mais impressionante, com algumas voltas e reviravoltas incríveis.

Para mim foi um grande evento, um grande Grande Prémio de França, mesmo que tenha havido muitos acidentes, não houve grandes lesões, e quando se vê a audiência de televisão a seguir-nos mostra-nos que há muitas pessoas que apoiam tudo o que fazemos.

É bom ver que muitos dos principais meios de comunicação, quer seja a rádio, a imprensa escrita ou mesmo a televisão, falam cada vez mais sobre o MotoGP, Fabio e Johann, porque é por isso que temos lutado desde sempre: que o MotoGP já não está num nicho pequeno, considerado um desporto menor. Faz-me particularmente feliz porque há quase meio século que remo nesta direção, ver as coisas evoluir!”

“Quanto à Tech 3, como todos os outros, sofremos e lutámos para lidar com as condições complicadas da pista, mas no final obtivemos um grande resultado. Vimos que Danilo não tinha perdido nada da sua capacidade à chuva, marcou o tempo mais rápido na sessão de aquecimento, que foi a única sessão completamente molhada.

Depois fez uma corrida soberba, apesar de sair de um lugar na parte de trás da grelha, subiu para o quinto lugar com uma corrida sem falhas, com uma boa estratégia porque decidimos que os nossos dois pilotos começassem com pneus médios, a mais difícil das opções de chuva. Foi complicado no início da segunda parte da corrida à chuva, mas no final da corrida eram claramente quase três segundos mais rápidos do que os pilotos em pneus macios. Assim, pudemos recuperar muito e fazer o nosso melhor resultado do ano, quinto, e melhor KTM.”

“Menção especial também a Iker Lecuona que, apesar de uma queda na volta de saída em pneus de chuvas novos, subiu ao nono lugar, passando Valentino Rossi na penúltima volta e Maverick Viñales na última volta para terminar em nono. Assim, temos os nossos dois pilotos em quinto e nono lugar e somos as melhores KTM, o que é uma satisfação e também mostra que é importante ter uma equipa independente. Penso que poderia fazer a Suzuki pensar um pouco, porque os seus dois pilotos oficiais cairam: se tivessem tido uma equipa independente, poderiam ter marcado alguns pontos interessantes e salvo a honra da marca.”

“Para nós, o resultado global da Tech3 em Le Mans foi uma grande corrida. Foi um bom fim-de-semana, divertimo-nos, e para além do tempo, quando se vai a Le Mans raramente se espere apanhar sol, tivemos um bom fim-de-semana e todos os que conhecemos tinham um sorriso no rosto, quer fossem os poucos patrocinadores lá, os jornalistas na sala de imprensa ou a soberba organização do Canal+.

Penso que existe uma atmosfera construtiva em torno do MotoGP, e no período muito difícil e complicado que estamos a atravessar, é bom ver que existem alguns sectores de atividade, especialmente na indústria de eventos, que funcionam da forma como o MotoGP funciona.”

5 1 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x