Moto3, 2020: Aspar no Salão da Fama do MotoGP

Por a 21 Dezembro 2020 14:30

Jorge Martinez “Aspar” foi ele próprio Campeão de 80 e 125 quatro vezes, entre 1982 e 1997, antes de se dedicar à equipa Aspar por ele fundada, e foi incluído entre as lendas do MotoGP em 2014

No total, a Aspar celebrou treze títulos de Campeão do Mundo e 139 vitórias de 377 pódios até hoje!

A equipa Aspar conseguiu transformar a temporada de 2020 num ano de sucesso, competindo em cinco categorias diferentes e vencendo o campeonato com Albert Arenas no Campeonato do Mundo de Moto3, Izan Guevara no Campeonato do Mundo de Moto3 Júnior e David Alonso na Taça da Europa de Talentos.

Só o Mundial de Moto2 e o Mundial de MotoE não sorriram aos pilotos da Aspar, Hafizh Syahrin e Aron Canet nas Moto2, e Maria Herrera e Alejandro Medina nas MotoE.

Com três vitórias e cinco pódios, o campeão do mundo de Moto3, Arenas, entrou numa lista de pilotos Campeões esta época, como Álvaro Bautista, Gabor Talmacsi, Julian Simon e Nico Terol, que já conquistaram títulos mundiais pela equipa Aspar no passado.

A equipa do tetracampeão mundial pode olhar para trás numa longa história de sucesso que começou em 1992. O grupo foi fundado pelo dono da equipa Jorge “Aspar” Martinez, cuja alcunha se refere aos sapatos espanhóis que o avô fazia.

O espanhol de 58 anos competiu num total de 196 corridas no Campeonato do Mundo de Motociclismo entre 1982 e 1997, antes de se concentrar inteiramente no seu papel de dono de equipa.

Aspar ganhou o título de 80cc numa Derbi em 1986 e nos dois anos seguintes. Em 1988 garantiu vitória na categoria de 125 cc antes de terminar a sua carreira ativa em 1997.

Mas só nove anos depois é que o tetracampeão mundial conseguiu celebrar o seu primeiro título de campeão do mundo de 125 cc como dono de equipa com Álvaro Bautista.

O que se seguiu foi um domínio da equipa espanhola na classe mais pequena. Em 2006, quatro dos cinco melhores pilotos da classificação anual vieram do estábulo valenciano.

No ano seguinte, os húngaros Gabor Talmacsi e Héctor Faubel deram à equipa o primeiro e o segundo lugar no Mundial.

Esta proeza foi repetida em 2009 por Julian Simon e Bradley Smith, o que mostra que a Aspar estava um passo à frente dos seus concorrentes na época.

Um compromisso de nove anos na MotoGP foi menos bem sucedido. De 2010 a 2018, Aspar alinhou na classe rainha com a Ducati, Aprilia e Honda, mas não conseguiu um único pódio.

O ano mais bem sucedido do ponto de vista do espanhol foi a temporada de 2011, que viu o seu piloto valenciano Nico Terol dominar a temporada desde o início e finalmente sagrar-se campeão do mundo no Circuito Ricardo Tormo, em Valência.

No total, a equipa Aspar celebrou cinco títulos de Campeão do Mundo na classe mais pequena, bem como dois títulos do Campeonato do Mundo Júnior (Raul Fernández em 2018, e Izan Guevara em 2020).

Pelos seus feitos no motociclismo, Jorge Martinez foi inscrito no MotoGP Hall of Fame na Gala da FIM de 2014.

Jonas Folger foi o único piloto alemão a vencer em 2012 e 2013 de sete pódios para a equipa Mapfre Aspar, numa KTM Kalex na classe Moto3.

Em 2021, Canet e Arenas representarão a equipa em Moto2, enquanto a equipa de Moto3 contará com Sérgio Garcia e Izan Guevara.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Moto GP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x