Ilha de Man: Johnson vence corrida Superbike dramática

Por a 29 Agosto 2019 16:00

O australiano David Johnson, pilotando a Kawasaki Alistair Cowan, venceu uma dramática Classic Superbike, depois do líder da corrida Michael Dunlop desistir quando liderava em Hillberry na última volta – a menos de três quilômetros da linha de chegada.

As condições foram descritas como perfeitas para a corrida final do Classic TT de 2019 e a multidão lotada em torno do Circuito do TT foi recompensada com um clímax emocionante.

Horst Saiger, da Kawasaki Greenall Racing, teve a honra de sair primeiro às 17h15, depois da neblina atrasar o programa de corrida, mas todos os olhos estavam indubitavelmente no mais rápido nos treinos Michael Dunlop na Suzuki Team Classic, que deixou a linha em sexto.

Outras estrelas de alto perfil do TT na equipa incluíam Conor Cummins e, embora o piloto da Manx se tenha classificado apenas oitavo mais rápido, tinha sugerido antes da corrida que havia mais a dar da Yamaha YZR500 da Padgetts.

Como esperado, Michael Dunlop manteve a liderança no ponto de abertura de Glen Helen, mas estava apenas dois segundos à frente de David Johnson, com Gary Johnson na Suzuki Team York, mais dois segundos atrás em terceiro. Paul Jordan na Kawasaki Mistral Racing e Conor Cummins completavam os cinco primeiros.

A volta inicial de Dunlop, com 200,87 km /h, deu-lhe uma vantagem de menos de dois segundos sobre David Johnson no final da volta, com Cummins a mais dez segundos em terceiro. Shiels permaneceu em quarto lugar com James Hillier na Ducati Oxford passando para os cinco primeiros.

Dunlop dobrou a sua vantagem para quase quatro segundos sobre David Johnson por Glen Helen à segunda volta, com Cummins em terceiro e Shiels em quarto – pouco mais de um segundo à frente do ascendente Michael Rutter.

Quando os pilotos chegaram às boxes para reabastecer no final da segunda volta, a volta de Dunlop, com 202.62 km / h, deu-lhe uma vantagem de mais de dez segundos sobre o australiano Johnson, que, por sua vez, estava doze segundos à frente do novo terceiro colocado Rutter, que surpreendentemente, estabeleceu um tempo de volta semelhante a Dunlop, a volta mais rápida da corrida. Conor Cummins e Sheils completavam agora os cinco primeiros.

Além de combustível, Dunlop também mudou a roda traseira e, numa paragem mais lenta, perdeu dez segundos para David Johnson, enquanto Cummins também perdeu cerca de dez segundos para Rutter nas boxes. Hillier beneficiou de um pit stop rápido – o mais rápido da corrida em 51.567 segundos – para diminuir a diferença entre os cinco primeiros.

A terceira volta de de Dunlop deu-lhe uma vantagem de quase cinco segundos em relação a Johnson, com Derek Shiels em terceiro com uma vantagem de cinco segundos sobre Hillier. Jamie Coward ficou em quinto lugar na bancada, mas desistiu em Cronk-Y-Voddy, logo Cummins voltou aos cinco primeiros em Ballaugh Bridge.

Hillier subiu para o terceiro lugar na última volta, mas apenas 0,2 segundos à frente de Shiels, com Conor Cummins a voltar aos cinco primeiros. Com os pilotos disputando os lugares finais do pódio, surgiram as notícias dramáticas de que Dunlop estava parado em Hillberry. Johnson passou para a frente em Cronk Ny Mona para levar a bandeira quadriculada com uma volta final de 201,50 Km/h.

Derek Shiels fez uma recuperação dramática no último setor para terminar em segundo lugar, 1,5 segundos à frente de Hillier. Cummins terminou em quarto lugar com o companheiro de equipa Manx, Ryan Kneen, no Team Kawasaki Heirheim, terminando entre os cinco primeiros – um desempenho credível depois de arrancar em 21º!

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Velocidade
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png