Ilha de Man: A era de Hislop, 1987-1989

Por a 1 Setembro 2019 16:30

O Classic TT da Ilha de Man deste ano celebrou a primeira volta de 120 mph (193 km/h) em redor do Circuito da Montanha, e a vida e a carreira do homem que conseguiu o feito: um dos maiores nomes do TT de todos os tempos, Steve Hislop.

O ano de 2019 marca exatamente trinta anos desde que o escocês se tornou o primeiro piloto a quebrar a barreira mágica de 193 km/h em torno do circuito de 60 Km, a conquista que foi o foco das celebrações deste ano. A volta de 120 m/h (193 Km /h) continua a ser uma referência para todos os concorrentes três décadas depois, e foi uma conquista que cimentou o então jovem de 27 anos na história do TT.

Depois de vencer o seu primeiro TT em 1987, no ano seguinte Hislop foi apoiado pela Honda pela primeira vez e, pilotando a nova Honda RC30 especial de homologação, uma volta de 190 Km/h ajudou-o a terminar num excelente segundo lugar atrás de Joey Dunlop no Sénior de 1988. Foi uma volta que não só o tornou no terceiro piloto mais rápido de todos os tempos, mas também o ‘jovem pretendente’ ao título de ‘King of the Mountain’ de Dunlop.

1989 também marcou 30 anos desde que a Honda estreou nas corridas de moto no TT de 1959, mas a marca não pode dipsor do seu piloto estrela, pois Dunlop foi forçado a sair do TT de 1989 devido a lesões sofridas em Brands Hatch na sexta-feira. Mas Hislop esteve à altura da ocasião, varrendo tudo à sua frente e pilotando a um nível que até Dunlop teria achado difícil de igualar.

Hislop já sinalizara as suas intenções desde o início, liderando a tabela de classificação de Fórmula 1 TT, 750 Produção e Supersport 600 durante a sessão de treinos de segunda-feira à noite, deixando todos entusiasmados com as perspectivas de a marca de 193 Km/h por volta vir a ser batida.

A espera não durou muito, já que as barreiras caíram na noite de terça-feira, quando Steve ultrapassou as 120,89 mph na sua Honda RC30 e duas noites depois, ainda rodou mais de meio minuto mais rápido do que o recorde de volta de Steve Cull de 119,08 km/h no ano anterlior, registando uma volta incrível a uma velocidade média de 121,99 mph.

No entanto, como essas voltas não oficiais foram feitas na semana de treinos, elas não foram categorizadas como novos recordes de volta. A corrida de abertura de seis voltas na Fórmula 1 seria um teste para ver se ele poderia repetir o feito em condições da corrida e entrar oficialmente nos livros de registro. Os espectadores não ficariam desapontados.

Hislop abriu a sua conta para a semana com uma vitória recorde na Supersport 600 na noite de sexta-feira, pelo que se inscreveu para a Corrida de Fórmula 1 com razões para estar confiante. As condições estavam perfeitas quando Steve partiu em sexto lugar na Honda RC30 vermelha e branca no sábado, 3 de Junho e desceu Bray Hill pela primeira vez.

Claramente o homem mais rápido da ilha, a sua tática era simples – dominar na primeira volta e controlar a corrida a partir daí. Do arranque, ele quebrou a barreira de 193 km/ h com uma volta de 120,92 mph. Com toda a ilha a seguir com expetativa, essa média deu-lhe uma vantagem de 25,8s sobre o escocês Brian Morrison, montado numa máquina – mas ele não ia ficar por aí.

Na segunda volta, aumentou ainda mais o ritmo e, embora não conseguisse igualar a sua velocidade na noite de quinta-feira, uma segunda volta de 18m39.4s, média de 121.34mph – que provou ser o recorde definitivo da volta – viu-o estender a sua liderança sobre Morrison além dos 38 segundos.

Hislop continuou em ritmo acelerado e na quarta volta fez 120,18 mph e deposi na 6ª 120,24 mph, o que lhe de quatro voltas acima de 120 mph (193 Km / h) só nessa corrida. Apesar de chegar a subir um passeio em Douglas e de uma saída em Kirk Michael, por causa das pastilhas de travão se terem afatsado nas pinças numa volta, ele acabou vencendo por quase dois minutos sobre Morrison, que também já era um vencedor no TT, além de ter ultrapassado 193 Km/h (120 mph) em 2 das 6 voltas.

A velocidade média de Hislop ao longo de todas as 6 voltas, incluindo dois reabastecimentos, de 119,36 mph foi mais rápida que o recorde anterior, e Hislop completou as seis voltas quase três minutos mais rápido do que no Senior do ano anterior.

Com uma vitória no Senior TT no final da semana de corridas, onde a sua volta mais rápida foi de 120,69 mph, Hislop completou devidamente o seu primeiro hat-trick do TT.

Assim como Bob McIntyre e John Williams tinham feito antes com as primeiras voltas de 100 mph e 110 mph do circuito, Hislop tinha inscrito o seu nome nos livros de registro para sempre e, sem dúvida, 1989 foi o ano que o tornou uma lenda do TT e começou a sua jornada de grandeza.

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Velocidade
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png