SSP, 2021: Jules Cluzel fez pressão na escolha do seu companheiro de equipa

Por a 16 Fevereiro 2021 15:30

Jules Cluzel é o que se pode chamar um veterano na categoria de SSP em que tem realizado a maior parte da sua carreira

“Pressionei que fosse alguém como o Federico a fazer parte da equipa” Jules Cluzel

Infelizmente, esse belo percurso nunca foi sinónimo de um título mundial até agora.

Depois de oito temporadas, 2021 será o seu nono ano no Mundial e o Francês quer assumir os meios para finalmente fazer tudo acontecer.

Tanto que diz ter pedido um colega de equipa que o pressionasse e conseguiu, visto que é o italiano Federico Caricasulo quem sucede este ano ao seu compatriota Corentin Perolari…

Jules Cluzel é um elemento principal da categoria de SSP. O Francês tem apenas um rival nas estatísticas recentes desta disciplina que é Kenan Sofuoglu.

Mesmo nesta perspetiva, aparece como segundo, uma posição validada pelo seu estatutos de três vezes vice-campeão do mundo.

Foi também terceiro e quarto, em duas ocasiões, neste campeonato. Em termos absolutos, não é certamente que o envergonhe, mas agora com 32 anos, o piloto de Montluçon quer ser Campeão e as suas 20 vitórias e 53 pódios mostram que tem capacidade.

Em 2021, voltou a fazê-lo com a Yamaha R6 da equipa GMT94. Esta será a sua terceira campanha com os seus compatriotas, uma lealdade que pretende capitalizar para atingir os seus objetivos:

“Esta é apenas a segunda vez na minha carreira que estou numa equipa há tanto tempo”, diz Cluzel. “Estou muito feliz com isso, a equipa agora é como uma segunda família. Conhecemo-nos muito bem e é sempre bom trabalhar com pessoas que realmente te entendem.”

Por outro lado, nunca vai perder a concentração ou esmorecer, uma vez que vê um certo Caricasulo ao seu lado na boxe.

O vice-campeão mundial da Yamaha em 2019 regressa à classe com a intenção de apagar o maus gosto da sua experiência mista nas SBK. Mas Jules Cluzel não se queixa desta situação, especialmente porque admite tê-la provocado…

“Pressionei que fosse alguém como o Federico a fazer parte da equipa”, disse o veterano.

“É sempre muito bom ter alguém ao teu lado para nos desafiar pessoalmente e à equipa. A experiência e a consistência com os motores serão cruciais para nós. É muito importante integrar o Federico na equipa e ter dados sólidos”, conclui o francês que, ao validar e incentivar esta estratégia, não considerou Corentin Perolari, que era seu companheiro de equipa.

Recorde-se que este último muda para as MotoE com a equipa Tech3.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Mundial Supersport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x