SBK, 2021: Pippa Laverty na Comissão da FIM

Por a 10 Junho 2021 17:00

“Trabalhar para conseguir envolver mais mulheres nas corridas é uma tarefa excitante para mim”, diz Pippa Laverty, o mais recente membro da Comissão da FIM Mulheres no Motociclismo

“Os desportos motorizados podem oferecer muito às mulheres”

Pippa Laverty

Ultimamente, as Comissões reúnem virtualmente, por razões óbvias

Em 2006, foi fundada a “Comissão das Mulheres no Motociclismo” da FIM.

O objetivo é inspirar mais mulheres a envolver-se no desporto automóvel. Não apenas como corredores, mas em todas as áreas que o desporto, as federações e a indústria associada têm para oferecer.

O mais novo membro da comissão é Pippa Laverty, esposa do piloto da BMW Eugene e residente no Algarve.

“Estou orgulhosa de fazer parte da família FIM. Sou apaixonada pelo envolvimento das mulheres e adoro corridas”, disse-nos a inglesa nativa de Morson. “Trabalhar para conseguir que mais mulheres participem e ganhem uma posição de destaque nas corridas é uma tarefa excitante para mim. Trata-se de todas as áreas: Mulheres na Federação, como Comissários, na indústria, como pessoal médico, e não apenas como pilotos. Estamos a apresentar muitas ideias, realizando workshops e elaborando estratégias para envolver mais mulheres”.

“Não temos de convencer ninguém”, salientou Philippa. “Só precisamos de anunciar que existem empregos para as mulheres. Na verdade, qualquer trabalho que os homens possam fazer. Porque é que as mulheres não quereriam fazer parte do desporto automóvel? É excitante e há muita adrenalina envolvida. Por vezes as pessoas simplesmente não sabem, e não são só as mulheres, como pôr um pé na porta e fazer parte. Precisamos de muito mais estagiários, de forma generalizada. Isto precisa de uma comunicação clara para que a palavra seja divulgada. Muitas mulheres nem sequer tentam, porque pensam que não são suficientemente qualificadas e porque não sabem o suficiente sobre o desporto. No entanto, em última análise, toda a indústria de motos está aberta a todos, nós promovemos isso”.

Pippa foi contratada pela FIM como parte de um “Painel de Peritos”, com muita perícia a oferecer, pois ela já tem um “Podcast” regular chamado Champain- um trocadilho que combina numa palavra só os dois extremos da competição: o êxtase do pódio com a dor dos maus momentos.

“Estarei em todas as conferências e reuniões da comissão, trazendo os meus conhecimentos de 16 anos de corridas”, disse ela.

“Construí uma enorme rede de contatos ao longo dos anos e conheço pessoas responsáveis de todas as áreas. Posso falar com eles e pensar como podemos levar mais pessoas a participar nas corridas. O meu trabalho é fazer passar a palavra sobre o quão fantástica é a indústria de motociclos. Como esposa do Eugene, assumi muitas responsabilidades ao longo dos anos.

Muitos pilotos contratam três pessoas para fazer as tarefas que são frequentemente feitas em segundo plano pelas esposas ou namoradas dos pilotos. Estou no paddock há tanto tempo, que sei do que se trata. Sei o que faz com que as pessoas façam tiquetaque e o que sentem. Assim posso construir pontes com pessoas que podem trazer mudanças”.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x