SSP 2020: Verdoia adapta-se à nova classe

Por a 18 Março 2020 15:30

2019 foi uma estreia estelar no Mundial de Supersport 300 para a estrela da Yamaha bLU cRU Andy Verdoïa, que terminou como o estreante mais bem classificado com o quarto lugar no campeonato de pilotos de 2019.

Verdoïa foi também o vencedor do Yamaha R3 bLU cRU Challenge, o que lhe garantiu uma subida de classe e um lugar na recém-formada equipa MS Racing Yamaha bLU cRU SSP.

O piloto francês de Nice impressionou com a sua consistência, terminando dentro do top 10 em oito das nove rondas, lutando regularmente por vitórias e subindo ao pódio tanto em Misano como em Donington Park.

Apesar de ter apenas 17 anos, Verdoïa não só pilota com maturidade, como mostrou através do seu treino bLU cRU que sempre quis aprender e melhorar.

A par das suas atividades de corrida no ano passado, Verdoïa foi convidado para o evento Yamaha VR46 Master Camp, recebendo treino e conselhos de alguns dos melhores pilotos profissionais da Yamaha, incluindo a lenda do MotoGP da Yamaha Monster Energy, Valentino Rossi.

Em declarações sobre a sua temporada de 2019, Verdoïa explicou a sua abordagem: “Acredito que fui consistente no ano passado porque não só treinei na moto, mas também no ginásio, no ciclismo e noutras atividades. Além disso, estava a trabalhar em estreita colaboração com a equipa de treinadores da BLU CRU para aprender mais, e ter oportunidades como participar no VR46 Master Camp e na Yamaha bLU cRU Masterclass é super importante.”

“Estar com profissionais da Yamaha na bLU cRU Masterclass e depois no evento VR46 Master Camp em Tavullia no ano passado ajudou-me muito, especialmente o Master Camp porque aconteceu no início do campeonato. Compreende-se o que é preciso para ser um piloto profissional a nível mundial, não só em pista, mas em todos os aspetos. Depois disso, senti que a minha condução melhorava, bem como a minha consistência na moto.”

Durante a temporada passada, Verdoïa esteve sempre de olho nas SSP em 2020 e assim começou a testar na Yamaha R6 de 600cc no início do ano. Isto permitiu-lhe ficar mais confortável na moto, adaptando o seu estilo de condução e garantindo que estava melhor preparado para o passo em frente.

“Já sabia que o meu objetivo era subir às 600 este ano no início da época passada e, graças à Expansão do projeto da BLU cRU em 2020, tive a sorte de ter a oportunidade de fazer exatamente isso”, disse Verdoïa. “Obviamente é preciso treinar mais porque não se pode andar da mesma forma que faria nas 300. O meu companheiro de equipa da Yamaha bLU cRU Galang [Hendra Pratama] também ajudou muito porque é mais agressivo na moto, que é o que é preciso para quem anda numa R6. É bom também porque somos capazes de partilhar dados e aprender uns com os outros, o que ajuda a encontrar esses poucos décimos de segundo extra.”

Durante o inverno, na preparação para a sua estreia nas SSP, Verdoïa continuou a intensificar a sua formação, trabalhando com um treinador pessoal na sua condição física e com a equipa de treinadores da BLU CRU na sua condução. O jovem francês aproveitou ao máximo o programa Yamaha bLU cRU, que não só lhe proporcionou objetivos de treino, cortesia da equipa de treinadores, como também lhe deu acesso a aconselhamento profissional e apoio dos embaixadores da CRU da Yamaha, como Michael van der Mark, piloto das SBK, e ao experiente esquadrão das SSP Yamaha GMT94.

“Como não estás a andar de moto todas as semanas durante o inverno, tens de te certificar de que ainda estás em forma e saudável quando não estás a treinar”, continuou Verdoïa. “Participei em cinco testes nas 600, bem como em duas com a moto do Campeonato do Mundo de Supersport. Não foi muito difícil chegar ao andamento normal, mas o último décimo é difícil de encontrar. É por isso que é ótimo ter o apoio da equipa de treinadores da BLU CRU, bem como do meu treinador pessoal, Sébastien Gimbert.”

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Supersport
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png