SSP, 2020: MV Agusta penalizada

Por a 31 Julho 2020 16:30

Na sequência de uma investigação, os resultados da equipa MV Agusta Reparto Corse de Phillip Island não ficarão de pé devido a uma infração não intencional no motor.

Em 30 de Julho de 2020, os Comissários da FIM para o Mundial de Superbike receberam um relatório do Diretor Técnico do Campeonato, afirmando que alguns motores pertencentes à equipa MV Agusta Reparto Corse foram usados com os selos removidos sem autorização prévia, após a Ronda Australiana.

Trata-se de uma violação dos regulamentos da FIM para as Superbike, Supersport e Supersport 300 do Campeonato Mundial de 2020 e, especificamente, do artigo 2.3.10 em geral e no parágrafo d.

O colégio de comissários das SBK aceita que o ato da equipa não ocorreu com a intenção de cometer uma infração, nem de obter qualquer vantagem.

O lapso foi mais uma verificação mecânica visual e o resultado de uma falha de comunicação.

A própria equipa encarregou-se de contactar a FIM sobre o assunto.

No entanto, o processo não foi realizado de acordo com os regulamentos do Campeonato e, por conseguinte, o artigo 2.3.10.d é muito claro e deve ser aplicado em qualquer caso.

Pelas razões acima referidas, os Administradores, de acordo com o código disciplinar e arbitral da FIM, decidiram penalizar a equipa com a desclassificação de todos os eventos em que os referidos motores tenham sido utilizados.

Dois motores foram desselados na moto de Randy Krummenacher, e um cada usados por Raffaele De Rosa e Federico Fulligni.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Supersport
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png