SSP, 2020: Krummenacher em escândalo com MV Agusta

Por a 12 Julho 2020 11:30

Randy Krummenacher faz acusações graves contra a MV Agusta Reparto Corse no seu comunicado de imprensa há um par de dias, dizendo que considera a F3 ilegal e não pode arriscar a sua integridade moral e profissional associando-se ao projeto.

Aparentemente, o piloto Suiço foi mais longe e participou o assunto ao organismo da Federação Internacional de Motociclismo responsável pela monitorização de irregularidades técnicas.

Scott Smart, Diretor Técnico do Campeonato Mundial de SBK, confirmou o contacto. “Até à próxima corrida em Jerez, não podemos verificar a veracidade das alegações”, disse o inglês, sobrinho do falecido Barry Sheene. “Aí, vamos olhar muito de perto para tudo. Verificamos a MV Agusta regularmente muitas vezes ao longo dos últimos anos e desqualificámo-los de uma corrida há uns anos.”

Isto foi em 2016, quando a cambota de Zanetti revelava maquinação para a aligeirar e foi portanto declarada irregular.

Desde então, têm sido muito cuidadosos e perguntam sempre cuidadosamente se uma solução técnica é legal. Normalmente desmontamos os motores duas ou três vezes por temporada. Verificamos muitos motores.” – concluiu Smart.

O que é certo é que quando o Campeonato Mundial de Supersport continuar no primeiro fim-de-semana de Agosto em Jerez, será sem Randy Krummenacher.

O piloto já declarou que foi imediatamente contactado por outras marcas, mas não vai considerar outras propostas para já, pois considera-se sob contrato com a MV e tem de resolver este assunto primeiro.

O suíço está ciente de que o Mundial pode só durar de Agosto a Outubro se os eventos não confirmados na Argentina e Misano forem eliminados do Calendário. É improvável que se chegue a um acordo jurídico nesse curto espaço de tempo.

A MV Agusta, por seu lado, salientou que a Reparto Corse é uma estrutura independente, e que se reserva o direito de tomar as provisões legais adquedas à “defesa do bom nome da marca”.

De facto, a equipa pertence ao suíço Andrea Quadranti e apresenta-se como MV Agusta Reparto Corse, com um nome e imagem que dão a impressão de ser uma equipa de fábrica.

Mas Quadranti recebe pouco apoio da fábrica de Varese, e tem que gerir a maior fatia financeira da estrutura. A equipa também realiza a maior parte do desenvolvimento por si própria.

Quando tudo corria bem, a MV Agusta sempre gostou de se gabar do sucesso da equipa de Quadranti, agora o fabricante prefere distanciar-se das acusações.

Lembrar que na única corrida realizada do Campeonato do Mundo de Supersport de 2020, na Austrália a 1 de Março, Krummenacher qualificou-se em segundo, mas caiu na primeira curva. O colega de equipa Raffaele De Rosa terminou em segundo. De acordo com a FIM, não houve nenhuma inspeção técnica à MV Agusta após a corrida. Os motores das equipas vencedoras são normalmente desmontados e inspecionados pelos técnicos da FIM duas a três vezes por ano.

Entretanto, Andrea Quadranti, responsável pela MV Agusta Reparto Corse, nega todas as acusações feitas por Randy Krummenacher contra a sua equipa e já está à procura de um substituto para o suíço.

Fizemos contatos para saber mais, mas foi-nos dito que, uma vez a participação feita à FIM, tudo ficaria sob investigação confidencial até nova ordem.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Mundial Supersport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x