SBK: Quantos motores restam?

Por a 24 Julho 2019 16:00

A temporada de 2019 de Superbike já viu muita ação e drama durante todo o ano, com uma liderança aparentemente sólida de Bautista a esfumar-se em apenas duas provas, e independentes que ameaçam os oficiais nos lugares do pódio, mas tecnicamente falando, quantos motores, tal como em MotoGP limitados pelo regulamento, restam aos pilotos principais?

Com o Campeonato Mundial de Superbike de 2019 em progresso, monitorar a utilização de motores torna-se cada vez mais importante. Longas retas em todos os circuitos remanescentes vão decerto trazer mais desgaste aos motores de SBK, contribuindo para um final intrigante da temporada de Superbike deste ano.

Começando com a Kawasaki Racing, Jonathan Rea está atualmente no seu quinto motor, um deles não selado e quatro em uso. Dos dois novos motores restantes pelo regulamento para o restante da temporada, Rea terá que fazê-los durar seis corridas cada. O companheiro de equipe Leon Haslam tem cinco motores em uso e o que é mais intrigante, todos ainda estão selados – um de apenas quatro pilotos a ter cinco motores em uso e dois restantes por utilizar.

Alvaro Bautista (Ducati), tem o mesmo que Leon Haslam, com cinco motores em uso e dois motores novos para consumir. Isso poderia ser fundamental nas vastas retas de Portimão, do Circuito San Juan e de Losail. Chaz Davies – companheiro de equipa de Bautista – ativou seis motores na temporada 2019, com cinco em uso e um sem lacre. Isso deixa-o com apenas um motor novo nas últimas quatro rondas.

A dupla de Alex Lowes e Michael van der Mark, da Yamaha Pata, ativou cinco motores e não abriu nenhum, o que significa que eles têm dois novos motores para as quatro roNdas restantes. Isso poderia ajudar a equipa a conseguir finais de corrida em força, mantendo a batalha pelo terceiro lugar no campeonato imprevisível ao mesmo tempo.

A BMW Motorrad utilizou seis motores até agora para ambos os pilotos, sendo que um deles não foi selado. Isso deixa os dois pilotos apenas um motor novo para o resto da temporada de 2019, algo que pode ser uma preocupação, considerando os problemas do motor que o fabricante alemão sofreu até agora na sua temporada de retorno como um esforço de fábrica.

Em termos de pilotos independentes, Toprak Razgatlioglu (Puccetti Racing), Jordi Torres (Pedercini Racing) e Marco Melandri (Yamaha GRT Superbike) têm os melhores registos, com três em uso e dois sem lacre cada. Isso deixa a todos dois novos motores para o resto da temporada. O pior caso é o de Michael Ruben Rinaldi (Barni Racing), que tem dois novos motores restantes, mas apenas dois motores em uso – tendo três motores sem lacre.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x