SBK: Bautista perdeu o título após infeliz queda na Corrida 2

Por a 2 Outubro 2019 15:30

A temporada começou forte com onze vitórias consecutivas para Álvaro Bautista, mas com duas rondas da campanha de 2019 restantes, Álvaro Bautista (Ducati) já não pode alcançar Jonathan Rea (Kawasaki Racing) nas seis corridas restantes, na Argentina e no Qatar.

Todas as esperanças, quando aritmeticamente uma reviravolta ainda era possível, terminaram com a vitória de Rea, enquanto Bautista se envolveu numa colisão com Toprak Razgatlioglu (Kawasaki Turkish Puccetti).

A corrida da Superpole Tissot vira o espanhol progredir rapidamente, subindo na ordem para chegar ao quinto lugar e garantindo um lugar na segunda fila da corrida para a 2ª manga. Bautista seguiu isso com um excelente arranque e subiu para terceiro, passando Haslam e Lowes, mas quando Razgatlioglu tentou uma ultrapassagem à Ducati na segunda volta, o piloto turco perdeu o controle e Bautista, imediatamente atrás, foi colidir com a moto caída.

O incidente eliminou os dois pilotos no local e com Rea a continuar para vencer a corrida, o campeonato ficou resolvido. Refletindo sobre o incidente, Bautista acredita que um erro do vencedor da Corrida 1 e da Tissot Superpole Race no gancho de Adelaide momentos antes, quando ele saiu largo e caiu para o quarto lugar, pode ter contribuído para o acidente.

“Toprak cometeu um erro na primeira volta, perdeu muito tempo e perdeu a liderança”, explicou. “Para mim, ele estava um pouco nervoso e queria vencer novamente, mas quis recuperar depressa demais. Ele passou por mim no limite, abriu o acelerador cedo demais e perdeu a traseira. Não pude fazer nada para evitar o impacto, por isso é um azar, mas isto pode acontecer nas corridas. “

Embora tenha sido o momento decisivo numa batalha de supremacia entre Rea e Bautista que durou toda a temporada, o espanhol não sente que o principal dano à disputa pelo título tenha sido infligido hoje.

Bautista não conseguiu marcar pontos em seis ocasiões distintas nesta temporada, depois de um começo tão empolgante nas rondas anteriores, e embora esteja desapontado por não ter puxado Rea até o fim, Álvaro aceita que o melhor homem venceu.

“Certamente, não perdemos o campeonato hoje porque o campeonato vence-se ou perde-se ao longo da temporada”, disse ele. “Gostava de ter dificultado as coisas e adiar até à Argentina ou, quem sabe, talvez mesmo o Qatar, mas assim são as corridas. Certamente, alguns pequenos detalhes nalgumas situações no início da temporada estiveram a nosso favor, mas após o meio da temporada, nada estava mais a nosso favor. Quero dar os parabéns ao Jonathan, porque ele sempre consegue o máximo que pode em todos os tipos de condições, e merece o campeonato.”

Duas provas permanecem no Campeonato Mundial de Superbike de 2019, começando com a Ronda Argentina da Motul de 11 a 13 de Outubro e no período de Bautista com a Ducati. Enquanto se prepara para a mudança para a HRC na próxima temporada, Álvaro, que por seu lado já garantiu também o vice-campeonato, está ansioso por terminar a temporada de uma maneira positiva e acha que deve mudar a sorte no Circuito San Juan Villicum na Argentina.

“A próxima pista será outra nova para mim. Felizmente, os outros pilotos não têm muito mais experiência do que eu, eles têm apenas um ano, logo não tenho uma grande desvantagem. Se pudermos lutar pela vitória, com certeza tentaremos, mas espero ter mais sorte nas duas rondas que restam!”

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png