SBK: A época vencedora de Rea, de Phillip Island a Imola

Por a 19 Dezembro 2019 16:00

Tornar-se campeão do mundo não é apenas uma questão de vencer corridas. Todos os pilotos sabem disso, mas nunca isso foi tão claro como na campanha SBK de 2019. Jonathan Rea (Kawasaki Racing) entrou na nova temporada bem ciente do que é preciso para vencer o campeonato, mas não poderia estar à espera de um ano como 2019.

Phillip Island – Um novo desafio começa

Ao chegar a Phillip Island, Rea era o homem com o alvo nas costas, mas ninguém teria previsto que isso não iria durar. Com o objetivo de devolver o título a Bolonha, a Ducati estreou a Panigale V4 R com o seu recruta Álvaro Bautista (Ducati Aruba) vindo diretamente do MotoGP , na pista australiana.

Dando os primeiros passos nas SBK, Bautista foi uma revelação chocante na Corrida 1 e na Corrida 2 e na recém-introduzida Tissot Superpole Race, com uma margem de quase 15 segundos à frente de Rea nas duas corridas principais.

À primeira vista, a ronda Australiana parecia o início de uma nova era, mas era mais do que isso. Era muito cedo para Rea e a Kawasaki Racing desanimarem com a disputa pelo título de 2019. O novo desafio para o Campeão do Mundo e sua equipa, foi também um novo começo para Rea.

Assen – A batalha continua

Depois da Austrália, Bautista e a Ducati continuaram a dominar a série. Não havia espaço para erros para o Campeão do Mundo. A diferença entre o espanhol e Rea tornou-se constante e terminar em segundo lugar tornou-se uma prioridade para o irlandês do norte, para minimizar a perda de pontos.

Rea nunca tinha perdido a esperança, embora o espanhol nunca mostrasse um lado vulnerável. Mesmo com o mau tempo na Holanda, Bautista venceu as duas corridas de olhos fechados, e a dupla da Yamaha Pata, Alex Lowes e Michael van der Mark, lutaram pelo pódio, dificultando tudo ainda mais a Rea.

Empurrado pelos fans locais, o holandês conseguiu brilhar no Circuito de Assen, quando assumiu a segunda posição na Corrida 2, deixando Rea terceiro. Para o campeão mundial, isso foi apenas uma faísca que acendeu o seu espírito de luta.

Porém, Imola viria a seguir, e uma surpresa aguardava.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png