SBK, 2020: Scheib passa mensagem de otimismo

Por a 8 Abril 2020 15:00

O piloto da Orelac Racing VerdNatura pode ser um estreante nas SBK, mas é uma cabeça madura em ombros jovens, e isso sente-se quando Scheib se abre durante a pausa forçada…

Um novo nome nas SBK para 2020, mas não exactamente um desconhecido no Campeonato, Maximilian Scheib causou uma surpresa em Phillip Island quando terminou a Corrida 2 como melhor piloto independente.

No processo, tornou-se o primeiro piloto chileno a terminar dentro do top 10 das Superbike; Agora, Scheib abre-se mais um pouco para discutir como está a situação na América do Sul com o COVID-19, enquanto também fala sobre o porquê de Jonathan Rea ser a referência do Campeonato e outros temas.

Scheib teve muita sorte na sua tomada de decisão, tendo optado por regressar ao Chile da Austrália: “Fui diretamente para o Chile da Austrália. Falava-se de ir ou não ao Qatar, e tomei instintivamente a decisão de ir para o Chile. Tive sorte, porque se tivesse viajado para a Europa, teria tido problemas em regressar ao meu país.”

“O Chile não é um dos países mais afetados pelo coronavírus neste momento, mas tenho muitos amigos em Espanha e Itália que estão a passar um mau bocado, por isso estou em quarentena há muitos dias”, explica o piloto de 24 anos. “Tenho sorte de poder viver um pouco longe de tudo, numa casa de campo familiar que fica a cerca de 50 quilómetros da capital Santiago, e aqui estou eu com a minha família.”

O craque chileno também afirmou como a sua situação é diferente em comparação com outros pilotos na Europa: “Isto não é muito diferente da minha vida normal, porque sempre vivi um pouco assim, longe das pessoas. Neste momento não é como na Europa aqui, onde nada pode ser feito. Ainda não há confinamento obrigatório e ao viver numa zona rural posso sair de moto; Estou a tentar arranjar uma moto de MX para continuar a treinar. Pessoalmente, tenho sorte, embora esteja a tomar todas as precauções e muito mais.”

Scheib comenta ainda as dificuldades de estar fora da moto e sentado em casa: “Como piloto, isto é difícil porque fizemos uma pré-época e demos 110% nos treinos, por isso perder esse ímpeto, todas aquelas horas de ginástica ou a fazer motocross… É uma pena. Mas como é assim, todos têm de aceitar. Tenho uma filha jovem, de 8 meses, que não ia ver, estando no Campeonato… Bem, acabou por ser ao contrário. Posso estar com ela, mas não estou a correr de moto.”

Depois de ter vencido uma corrida de STK1000 em Jerez, Scheib perde também o seu primeiro sabor da ação das SBK em solo europeu: “Estava ansioso por chegar à Europa, especialmente Jerez, já que a Espanha é onde me sinto melhor porque é onde mais competi. A minha motivação para treinar e chegar lá a 100% era enorme e ainda é.”

Scheib está na marca e modelo de moto vencedora do Campeonato, o que significa que para ele, só pode haver uma referência: “Para mim a referência é olhar para o melhor. Por isso, olho para o Jonathan Rea, já que também tenho sorte de poder verificar os seus dados e ter o apoio da KRT. Além disso, vi as coisas incríveis que ele faz e como ele está a andar bem. Quero continuar a olhar para o Jonathan como uma referência, e ainda mais com nós os dois a competir na mesma marca de moto.”

O piloto de 24 anos mantém os pés bem assentes no chão por enquanto, mesmo depois da sua promissora estreia na Austrália:

“Bem, tendo tido um bom fim de semana, a andar rápido nos treinos e encontrando um ritmo regular, estou feliz com isso agora. Não temos pressão; vamos levar tudo o mais calmamente possível. O que é certo é que na Europa estaremos mais confortáveis. Estou muito calmo porque sei que tenho uma moto incrível, material de 2020 e o apoio da Kawasaki. Temos tudo nas nossas mãos para melhorar e para que eu cresça como piloto na equipa ORELAC, por isso não quero estabelecer objectivos, porque eles vão definir-se dependendo do nosso trabalho. Estamos a trabalhar bem, por isso acho que vai haver uma progressão.”

Finalmente, houve uma mensagem importante que ‘Maxi’ quer deixar a todos: “As pessoas precisam de ficar em casa, ficar calmas e esperar, porque não sabemos quanto tempo vai demorar. Portanto, tentem manter-se em forma. É hora de nos concentrarmos em nós mesmos, de se preocuparem com vocês e com a família. As corridas voltarão, sem dúvida, e nós, os pilotos, daremos o nosso melhor para dar um espetáculo. Voltaremos mais fortes do que nunca.”

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png