SBK, 2020: Reações dos pilotos

Por a 17 Março 2020 14:00

O surto de coronavírus levou a uma paragem prolongada no calendário, mas como tem reagido o paddock a esta circunstância invulgar?

Depois de três corridas emocionantes na etapa de abertura da temporada na Austrália, os pilotos do Mundial de Superbike encontram-se com mais tempo nas mãos entre os fins de semana de corrida. O fosso entre as rondas deu a alguns pilotos a oportunidade de explicar o que têm feito ao mesmo tempo que transmitem mensagens para os fãs.

Chaz Davies (Ducati Aruba.It) fez uma atualização aos seus planos, dizendo: “Só desde que voltei entendo a dimensão do problema na Europa e a situação piorou desde então. Sei que é sério e todos devem fazer a sua parte para tentar ajudar os outros. Desde que me lembro que sempre tive um objetivo ou um prazo para a próxima corrida ou teste. Sabe-se exatamente quando será o próximo evento, e trabalha-se nesse sentido. É uma situação estranha agora. Esperemos que a Europa, coletivamente, possa controlar isto e voltar à normalidade o mais rápido possível.”

Não é apenas a vida profissional dos pilotos a ser impactada, mas também a vida pessoal, como explica o piloto das Supersport Jules Cluzel (Yamaha GMT94) “Todos temos de ser responsáveis e levar a situação a sério. Espero que tudo corra bem para todos e que as coisas vão na direção certa o mais rápido possível. Estou a viver longe da minha família; Tenho a minha filha que nasceu há um mês e a minha família ainda não a viu. Todos têm uma situação complicada agora. Esperemos que a situação resolva o mais rápido possível para podermos voltar às corridas. Mas neste momento, temos de pensar na realidade atual e fazer o nosso dever de não apanhar o vírus e não de infetar outras pessoas.”

O campeão em título Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team) discutiu o quanto estava a sentir falta das corridas, bem como o panorama geral, dizendo: “Este tempo é difícil para todos, mas a gravidade do Covid-19 é maior do que o nosso desporto, por isso temos de estar juntos e seguir o conselho das autoridades. Neste momento, a vida está a mudar dia após dia no Reino Unido. Sinto falta da minha equipa, sinto falta de estar na pista, mas sinto mais falta de correr. Continuarei a treinar e a preparar-me para a próxima corrida. Até lá rezo pelos afetados, tanto direta como indiretamente.”

Leon Haslam (Team HRC) deu a sua opinião sobre o cenário atual: “Estou muito focado no treino neste momento. Estou no Reino Unido, passo um pouco de tempo com a família e só estou à espera de notícias quando voltarmos a correr. Quero tranquilizar os adeptos que ainda estamos a trabalhar arduamente, vamos sair mais fortes na próxima corrida.”

O estreante britânico Scott Redding (Ducati Aruba.It) explicou os seus planos futuros, e deixou uma mensagem aos fãs: “É um momento difícil e não sabemos quanto tempo temos de aguentar ou quanto vai demorar. Acabei de fazer as malas, vou tentar apanhar um voo para Los Angeles para tentar ficar com a minha namorada, porque não sei quanto tempo vai demorar. Todos precisam de partilhar o amor, ser gratos por tudo o que temos, não sejam gananciosos, pensem mais nos idosos e mantenham a higiene ao máximo.”

O líder do campeonato, Alex Lowes (Kawasaki Racing Team), disse numa publicação no Instagram: “A situação neste momento é estranha; é tão fácil para nós sermos egoístas e pensar em como isto nos afeta pessoalmente, mas o mais importante agora é ouvir os especialistas e as pessoas que conhecem os factos para tentar proteger a saúde dos nossos entes queridos e da comunidade. Depois de um início de temporada tão forte para mim, seria fácil perder de vista isto e querer correr. Mas vamos todos unir-nos nestes tempos difíceis para seguir as orientações e tentar ganhar o controlo desta situação! Portanto, vamos esperar por isso e manter-nos seguros entretanto!”

Os pilotos não são os únicos afetados neste cenário, com Jorge Viegas, Presidente da FIM, a explicar como a FIM está a seguir procedimentos em todo o mundo: “Não sou um virologista; não me cabe a mim dizer o que pode, ou vai acontecer no futuro. Presido a uma federação desportiva, que também gere outras atividades de motociclismo, como o turismo, a mobilidade. O nosso objetivo é poder acompanhar todas as nossas atividades. Seguiremos sempre as direções dos governos e da Organização Mundial de Saúde. Reconhecemos que a propagação da doença tem de ser interrompida.”

Giorgio Barbier (Diretor da Pirelli Competição) explicou como o fornecedor de pneus das SBK Pirelli tem lidado com as circunstâncias incomuns: “Nas últimas duas semanas, trabalhámos em estreita colaboração com promotores, federações e até países, para ver o que podemos fazer e como enfrentar o problema das corridas adiadas. Na Austrália, a SBK deu-nos algumas corridas incríveis – falhar agora era algo impensável. A mensagem mais importante que recebi da minha equipa é que enquanto pensamos em correr de novo ou em remarcar corridas para o final do ano – eles lembraram-me que o paddock é uma família, uma cidade pequena, e arriscamo-nos a espalhar isto por todo o mundo. É melhor esperar, estar alerta, deixar passar algum tempo. É esta mensagem de jovens que me atingiu; lembrou-me de quando eu era jovem e de onde vinha a minha paixão pelas corridas. Penso nos idosos, naqueles que são os mais frágeis e expostos neste momento. E os jovens têm razão: agora é a hora de esperar, mesmo que o sol esteja a brilhar lá fora. Vamos ficar em casa um pouco mais e trabalhar para o futuro.”

Marco Barnabó (Barni Racing Team) acrescentou os seus pensamentos, dizendo: “O que temos de fazer neste momento, até as equipas das Superbike, é ficar em casa. Com esta simples mensagem queremos mostrar o nosso apoio, mas também estamos confiantes de que os sacrifícios destas semanas nos permitirão voltar ao normal em breve. Ainda não sabemos se será possível seguir o calendário atual, mas concordo plenamente com a vontade da Dorna de organizar o campeonato sem cancelar qualquer evento.”

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png