Dakar 2018: Fausto Mota à procura de um lugar no top 30

Por a 4 Janeiro 2018 12:50

Com a saída de cena de Mário Patrão e ao que tudo indica de Paulo Gonçalves, o contingente luso na edição 2018 do Dakar vai ficar entregue a Joaquim Rodrigues (Hero) e  Fausto Mota (KTM).

O piloto de Marco de Canavezes vai para a sua terceira participação no Dakar, todas elas na América do Sul e desta vez tem como objectivo terminar entre os trinta primeiros da classificação geral.

Depois de em 2017 ter estado aos comandos de uma Yamaha no Dakar, na companhia de Rui Oliveira, este ano Fausto Mota aposta numa moto nova toda ela construída em Espanha, onde o piloto português reside. “É uma moto com um motor KTM Rally, montamos a moto com a experiência que tenho do Dakar das últimas participações e o nosso objectivo é terminar a prova, como sempre”.

A nova moto constitui uma aposta forte para Fausto Mota lutar pelo top 30 na edição 2018 do Dakar, que promete ser uma das mais duras dos últimos anos. “Esta é uma moto com 10cv a mais que a Yamaha que utilizei em 2017 e é um motor KTM Rally, com grande fiabilidade e que tem uma velocidade de ponta maior que a Yamaha. Ou seja, acho que é um bom conjunto que pode ser muito importante para este Dakar, com uma estrutura que me da todas as garantias”.

O piloto de Marco de Canavezes não esconde que o desafio de 2018 será mais exigente: “Este ano não vou ter colega de equipa, vou estar sozinho e gostava de terminar entre os 30 primeiros. O facto de ir sozinho também tem vantagens, porque quando vamos dois se um andar mais que o outro é sempre mais complicado. Mas o que eu sempre pretendia fazer é um Dakar sozinho, o que vai acontecer desta vez, para saber o que posso dar e o que posso fazer”.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Dakar
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png