Dakar – Fausto Mota: “Quero melhorar o resultado da primeira participação”

Por a 2 Dezembro 2016 10:25

Piloto de todo-o-terreno há já largos anos, tendo mesmo sido campeão nacional da categoria TT3 em 2015, Fausto Mota irá participar pela segunda vez no Dakar, a maior prova de tt do mundo. Com duas intensas semanas de competição pela frente o homem da CRN Competition, que também já participou em provas como o Rali de Merzouga ou a Baja Aragón, fará equipa com Rui Oliveira e Oscar Romero.

O piloto de Marco de Canaveses regressa ao Dakar após um ano difícil, onde uma queda no Rali de Merzouga, que originou uma luxação da anca, acabou por atrapalhar as contas. Contudo Mota afirmou ao MotoSport que está pronto para a grande aventura. “Lesionei-me no Merzouga (ndr: prova que decorreu em maio) e regressei à acção apenas em Agosto. Tenho treinado todos os dias e sinto-me cada vez melhor. Apesar de ainda ter um pouco de falta de ritmo, neste momento já estou entre 95% a 98% da minha condição física. Não será por este aspecto que falhará alguma coisa durante o Dakar”.

fausto mota

Em termos de objetivos, Fausto Mota acredita que é difícil traçar um “objetivo específico”. “O Dakar é um evento tão longo que logo no primeiro dia podemos perder três ou quatro horas e ficamos para trás. Para além disso não sei como irá ser a corrida, pois a organização está a endurecer a prova nomeadamente no que diz respeito à questão da altitude. Como foi delineado o percurso acredito que tudo irá ser decidido na Bolívia. Tendo em conta todos estes factores a ideia passa por fazer o melhor possível e melhorar ou igualar o resultado da primeira participação, onde fui 50º”, explicou o piloto da CRN Competition.

Para alcançar tal meta, o piloto luso considera que será fundamental “aliar a rapidez à navegação”. No sempre importante capítulo da navegação, Fausto  Mota revelou não ter “problemas” e deixa a receita para ser bem sucedido. “Temos de ter um sentido de orientação muito apurado que está aliado a uma boa marcação do roadbook, sempre tendo por base aquilo que cada um consegue entender. Assim tudo torna-se mais fácil”.

fausto mota

Por último o piloto de Marco de Canaveses falou ainda um pouco sobre a moto que vai levar ao evento sul-americano. “A nossa moto é uma Yamaha WR450. Para juntar a esta máquina comprámos um KIT que é desenvolvido em Espanha e que basicamente inclui os depósitos de combustível dianteiro e traseiro. A isto juntamos ainda todos os aparelhos de navegação que são indispensáveis para uma prova como o Dakar”.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Nacional TT
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png