Supersport: Tudo pode mudar em Aragon

Por a 3 Abril 2019 18:58

Cluzel e Krummenacher chegam a Aragon empatados na liderança do campeonato – mas a história recente pode jogar em favor de outros pilotos.

Depois de duas corridas de arromba para começar o ano, o circuito de MotorLand Aragon está prestes a receber a terceira corrida do Campeonato Mundial de Supersport da FIM – e se a história recente é algo a ter em conta, a ronda de Aragon pode ser decisiva no destino do campeonato deste ano. Os últimos quatro vencedores da corrida espanhola conquistaram o título no final da temporada – e num detalhe menos favorável aos líderes do campeonato, nenhum deles entrou em Aragão no topo da classificação.

Dois homens foram as estrelas em destaque nos primeiros embates da temporada: Randy Krummenacher (Yamaha Bardahl Evan Bros.) provou ser totalmente dominante em Phillip Island, e depois seguiu a dose com um segundo lugar em Buriram. Mas poderá manter o ritmo à terceira, depois de cair aqui em 2016 e 2018?

Jules Cluzel (Yamaha GMT94), entretanto, teve o seu melhor início de temporada em SSP, com 45 pontos ao lado de Krummenacher. O francês esteve inabalável na Tailândia, evitando inúmeros ataques dos outros pilotos e parece determinado a conquistar a coroa este ano após o final dramático do ano passado. Mas MotorLand Aragon é um circuito malfadado para o francês, com três DNFs e um pódio solitário em seis corridas. A sorte de Cluzel poderá mudar para melhor em 2019?

Os homens que os seguem na classificação estão esperançosos em contrariar o domínio dos anteriores, começando com o homem em terceiro na classificação geral. Após dois resultados consecutivos de terceiro lugar, Federico Caricasulo (Yamaha Bardahl Evan Bros.) encontra-se 13 pontos atrás, mas também consolida o seu melhor início de temporada em SSP. O jovem italiano terminou em segundo lugar em Espanha em 2018 e é o único piloto que liderou as duas corridas este ano. Caricasulo certamente estará em disputa pela frente em todas as sessões.

Os adeptos da casa também terão dois fortes candidatos para apoiar. Héctor Barberà (Team Toth) e Isaac Viñales (Yamaha Kallio Racing) terminaram a corrida na quarta posição em 2019 e garantem a luta pelas posições do pódio numa pista que ambos conhecem na perfeição, ainda que não em máquinas de Supersport.  

A mudança para a Kawasaki pode não ter dado certo para o campeão mundial de 2017, Lucas Mahias (Kawasaki Puccetti), mas o francês permanecerá combativo, buscando inspiração na sua vitória aqui em 2017. O companheiro de equipe Hikari Okubo (Kawasaki Puccetti) também vai garantidamente levar aos limites a sua ZX-6R, depois de duas boas atuações na Austrália e na Tailândia.

Raffaele De Rosa (MV Agusta) está em busca do seu primeiro pódio na pista espanhola, saindo de um forte desempenho nos cinco primeiros colocados na Tailândia, enquanto os representantes da Honda CIA Landlord Insurance de Simon Buckmaster pressionam para estar na luta.

Os pilotos da antiga Supersport também se estreiam no calendário, com um antigo vencedor da corrida em Kyle Smith (Team Pedercini) acompanhado por dois recém-chegados franceses: Xavier Navand (DK Motorsport) e Gaetan Matern (Flembbo Leader Team).

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Newsletter
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x