SBK – Alvaro Bautista em entrevista

Por a 27 Fevereiro 2019 14:13

O piloto líder da Ducati fala sobre a sua explosiva estreia nas SBK e da vida fora da pista

Campeão do Mundo de 125cc, vice-Campeão de 250cc, estrela de MotoGP e agora rookie recordista em Superbike – Álvaro Bautista, da Ducati Aruba.it, é o piloto que esteve sempre presente. No último fim-de-semana, ele roubou as atenções do mundo em Phillip Island após uma tripla de vitórias na ronda de abertura, uma estreia inacreditável e um momento de glória depois de vários anos sem visitar o pódio. Ouvimos o homem de Talavera de la Reina poucos minutos depois da sua proeza final em solo australiano – 3 vitórias de 3 corridas. Este é o homem do momento, nas suas próprias palavras.

O que é “ganhar”? Para mim, é a sensação de que se pode fazer seja o que for, o cheiro de champanhe de que eu senti tanto a falta e a sensação de que, naquele momento, somos os melhores no que fazemos.

Eu não podia ter sonhado com este fim-de-semana se tivesse tentado. Faz tanto tempo desde que experimentei algo assim, estou muito feliz. Orgulhoso, porque trabalhei tanto por muitos e muitos anos; Posso nem sempre ter tido o material certo no momento certo, mas no final tudo vale a pena.

Eu nunca parei de trabalhar, na verdade eu trabalhei mais para alcançar os meus objetivos, que é dar o melhor de mim mesmo e vencer, seja num campeonato ou noutro.

Tenho 34 anos. Pode parecer que estou velho, mas pulo a bordo da moto com a mesma ânsia de quando comecei, a mesma excitação e a mesma ambição. As motos são tudo para mim, eu piloto há tanto tempo que já nem me lembro, é a minha vida.

Fora da pista, tenho sorte de ter uma família fantástica que nunca deixou de me apoiar, desde o começo, nos bons e nos maus momentos. Nem todos podem dizer isso. Os amigos também são importantes, tenho a sorte de ter amigos verdadeiros, é algo em que não se pode colocar um preço.

Quem está no meu círculo íntimo? Mário, meu assistente e minha esposa Grace. Honestamente, eu não penso no Mário como um assistente, ele é um amigo que vem comigo, cuida de mim e garante que eu possa concentrar-me totalmente nas minhas corridas. Eu não preciso de fazer nada, porque ele faz tudo. Grace critica-me, ela está sempre de bom humor, tentando sacar-me um sorriso mesmo nos momentos mais difíceis. Ela conhece-me bem e sabe como lidar comigo. E depois, há a minha família, que às vezes vem aos circuitos.

A equipa e o relacionamento com todos os técnicos também são muito importantes. A confiança entre nós. Muitas vezes sabemos o que o outro quer dizer apenas com um olhar.

Eu gosto de relaxar em casa, gosto de estar com a minha família e amigos. Gosto de ir ao cinema porque me relaxa, cozinhar também. Já sei cozinhar umas coisas! Não é preciso dizer que há também todo o treino e ginásio, que é onde eu dou 100% para tentar ser melhor a cada dia, mas além disso eu gosto da minha paz e tranquilidade.

Sim, eu sou o piloto de “Talavera de la Reina”. Não há muitos “Talaveranos” que tenham competido em MotoGP e Superbike, que venceram corridas e subiram ao pódio. Eu acho que não é fácil chegar aqui, considerando de onde eu vim. Não temos tanto apoio como na Catalunha ou em Valencia, onde as corridas de motos sempre tiveram melhor acompanhamento e apoio. Tem sido um pouco mais difícil para mim, mas trabalhámos muito e tive a grande oportunidade de me tornar um piloto nesta vida. Não vou dizer que mereço mais crédito do que qualquer outra pessoa, mas tive as minhas dificuldades, com certeza.

Lembro-me quando ganhei em 2006, a minha popularidade explodiu. Eu não podia sair, todos queriam a sua própria foto ou autógrafo do Álvaro. Eu acho que agora, todos em Talavera já tiraram fotos comigo, por isso agora posso andar mais descansado em paz… embora veremos se isso não irá mudar depois deste fim-de-semana!

A verdade é que eu realmente aprecio todo o amor e apoio. Conhecem o ditado, santos de casa não fazem milagres; mas na minha casa todo mundo me segue e me apoia muito; Eu tenho um fã clube fenomenal, que nunca pára e me acarinha. Estou orgulhoso de ter todo este amor.

Quando fui campeão mundial, gostei incrivelmente da sensação. É realmente onde nos sentimos como rei do mundo. Foi um sonho tornado realidade para mim, em 2006. Ninguém nunca me vai tirar isso, mas no final do dia, em qualquer desporto, o sucesso mais recente é tudo o que importa. Hoje vences, és o melhor. Amanhã lutas e não vences, já não vales nada. As coisas são o que são, e é por isso que nunca se pode descansar nos nossos louros, temos de estar sempre prontos, inovando e melhorando a nós próprios se se quiser continuar crescendo como desportista.

Quem é Álvaro Bautista? Essa é a última pergunta? É um rapaz simpático de Talavera de la Reina, um rapaz simples que não é fã de nenhuma extravagância. Alguém que tem prazer em estar com o seu povo, a sua família; cujo pai partilhou a sua paixão por motos e agora aprecia o sucesso ao lado dele. Alguém que ama a vida e é a pessoa mais feliz do planeta!

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Newsletter
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png