MotoGP: 50ª vitória para Marquez em Brno

Por a 5 Agosto 2019 12:36

Neste Grande Prémio, os olhares estavam postos, nomeadamente, em Quartararo que precisou da pausa de verão para recuperar da lesão no braço. O francês manteve-se relativamente discreto, qualificando-se na décima posição e terminando em sétimo. Chegou a liderar a tabela de tempos na segunda sessão de treinos livres e conseguiu uma prestação consistente, com um bom resultado.

O seu compatriota, Zarco, não conseguiu segurar a sua primeira partida na frente da grelha. Perdeu várias posições no arranque, acabando por terminar atrás de Miguel Oliveira, que foi a segunda melhor KTM, a seguir a Pol Espargaro. O espanhol acabaria por ficar fora do top 10, em 11º, dois lugares à frente de Oliveira. O português somou assim mais três pontos naquela que foi uma das suas melhores prestações em MotoGP até ao momento. Já Syahrin, sofreu uma queda, que o impediu de terminar a corrida.

Miguel Oliveira teve mais uma excelente prestação em Brno, arrecadando mais três pontos.

Este não foi o melhor fim-de-semana para a Yamaha com Viñales a ficar um pouco à quem dos últimos resultados. Qualificou-se em nono mas terminou em 10º depois de ter perdido várias posições no início da corrida. Já Rossi foi-se aguentando bastante bem, conseguindo não voltar a passar pela Q1. Este foi o seu melhor resultado desde Le Mans e depois dos azares das últimas corridas.

As Ducati conseguiram uma prestação bastante positiva com Dovizioso a terminar na segunda posição e Miller em terceiro. Bagnaia terminou em 12º, à frente de Oliveira. Petrucci poderá ter sido o que mais desiludiu ao terminar em oitavo pois, com Miller a terminar no pódio, esperava-se um pouco mais do italiano.

No entanto, mais uma vez, ninguém conseguiu bater Marquez que não deu hipótese em nenhum momento da corrida. Liderou sempre e somou a sua 50ª vitória na classe de MotoGP. Apesar de ter dado oportunidade a Andrea Dovizioso e Fabio Quartararo de brilhar nas duas primeiras sessões de treinos livres, a partir da terceira Marc Marquez não deu mais hipótese.

Depois de tomar o lugar no topo da tabela de tempos na FP3 e na FP4, o espanhol seguiu para a qualificação de punho cerrado. Roubou o lugar a Zarco num abrir e fechar de olhos com uma classe que só a ele lhe pertence. Em condições difíceis, conseguiu fazer o impossível. Com a pista meio seca, meio molhada e com pneus slick, o piloto da Honda acelerou no limite para conseguir aquela que pode ser a pole position mais surpreendente do ano. Com a moto a deslizar no piso molhado, Marquez saltou para o topo, ficando com uma vantagem de mais de dois segundos e meio de Jack Miller que, entretanto, tinha feito melhor que Zarco.

No domingo, a corrida acabaria por ficar adiada por 40 minutos devido às condições meteorológicas. Com autorização para regressarem à pista, os pilotos prepararam-se para as 20 voltas que se seguiam. Apagaram-se as luzes e uma grande arranque de Marquez colocou-o, imediatamente, na frente da corrida. Aguentou a liderança na primeira curva mas sob o olhar atento de Dovizioso que seguia logo atrás.

Enquanto isso, Franco Morbidelli e Joan Mir envolveram-se num acidenteque os colocou fora da corrida, logo na primeira volta. Por esta altura, Miguel Oliveira estava em 14º e prestes a passar Johann Zarco. Faz a ultrapassagem para 13º e não tardou a repetir a proeza, desta vez frente a Aleix Espargaro, que lhe abriu a porta para a 12ª posição. Mais tarde, viria a ser apanhado por Viñales, terminando em 13º lugar.

Na frente da corrida, Marquez ainda não se tinha conseguido afastar dos seus perseguidores. Dovizioso não largava o espanhol, com Jack Miller e Alex Rins a se juntarem ao grupo. Para trás ficava Pol Espargaro que viria a descer várias posições a partir daí. Miller era o mais rápido mas Rins não teve problemas em arriscar, passando para terceiro.

Estávamos, sensivelmente, a meio da corrida e Marquez ainda não tinha sofrido nenhum ataque dos seus adversários. O espanhol conseguiu tirar meio segundo a Dovizioso que não teve resposta para os seus avanços. Miller começava a perder ritmo e a ficar para trás, a quase um segundo dos outros três. O mesmo aconteceu com Rins que também perdeu tempo para Dovizioso. Pouco depois, foi Marquez a afastar-se do seu rival direto no campeonato e a alargar o gap para mais de dois segundos. O italiano, já sem grandes hipóteses de chegar ao piloto da Honda, segurou a segunda posição até ao final.

Este foi o pódio em Brno, com Andrea Dovizioso, Marc Marquez e Jack Miller (da esquerda para a direita).

Com Marquez a desaparecer da vista de Dovizioso sem deixar rasto, Rins parecia ter ainda ser capaz de chegar ao piloto da Ducati. No entanto, começaria a perder tempo para Miller que se aproximou num abrir e fechar de olhos. Fora da luta pelo segundo lugar, o espanhol estava agora em risco de perder o pódio para Miller. A duas voltas do final, o inevitável acabaria por acontecer quando o australiano consegue fazer a ultrapassagem, à segunda tentativa.

Marquez, que parecia correr num mundo só dele, cortou a meta em primeiro, com tempo mais que suficiente para as celebrações. O espanhol alargou ainda mais a liderança no campeonato para 63 pontos. Dovizioso conseguiu minimizar o estrago e somar 20 pontos com Miller a regressar ao pódio.

O MotoGP não para e segue já no próximo fim-de-semana para o RedBull Ring, na Áustria, a casa da KTM.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Newsletter
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x