Moto3: Ramirez vence corrida de cortar a respiração

Por a 16 Junho 2019 22:29

Como se sabe, em Moto3, é sempre difícil prever o que quer que seja  e esta corrida não foi exceção. Dos 31 pilotos que iniciaram a corrida, apenas 19 terminaram, sendo que dois desses caíram e retomaram novamente.

As surpresas começaram ainda antes do arranque com seis pilotos a sofrer penalizações. Jaume Masia, Denis Foggia, Filip Salac, Andrea Migno, Kazuki Masaki e Nicolo Antonelli tiveram de recuar, cada um, 12 posições na grelha de partida, devido a condução irresponsável.

Gabriel Rodrigo saiu da pole position mas caiu vários lugares logo no arranque. Tony Arbolino liderou inicialmente mas foi rapidamente apanhado por Aron Canet.  Quem também começou bem foram os pilotos da Leopard. Lorenzo Dalla Porta saiu da nona posição mas na segunda volta já liderava a corrida. O piloto italiano retirou-se, pouco depois, devido a problemas mecânicos. Este abandono precoce na corrida custou-lhe pontos preciosos visto que se encontrava em segundo lugar no campeonato, a apenas 3 de Canet.

Já o seu colega de equipa, Marcos Ramirez, que começou ainda mais para trás, em 12º, à quarta volta estava na frente.

John McPhee, que também andava por perto, também tinha uma palavra a dizer e  de quarto passou para primeiro num abrir e fechar de olhos.  Pouco depois era já Alonso Lopez que liderava.

À sexta volta, Rodrigo regressou à liderança, aguentando aí um par de voltas.  Lopez quis regressar onde já tinha estado, pois desde o início da corrida que percebeu que era capaz de vencer. Apesar da pressão dos restantes pilotos que seguiam atrás, o espanhol aguentou até Rodrigo retomar o lugar, duas voltas depois.

Depois de mais um abandono por problemas mecânicas, desta vez, por parte de Arbolino foi a vez de Masia tomar a liderança. O jovem piloto espanhol tinha começado muito atrás depois da penalização inicial. É nesta altura que Ramirez regressa novamente à frente, depois de se ter mantido mais para trás nas voltas anteriores.

A partir daqui, a luta permaneceu entre McPhee, Rodrigo, Lopez e Masia, até à queda do espanhol na curva um, já na segunda metade da corrida.

Como  é habitual, a corrida estava renhida com 11 pilotos a lutar pela vitória a apenas quatro voltas do final. O japonês Kaito Toba pareceu ter guardado os esforços para a última parte da corrida e facilmente chegou à frente.  A partir daí teve de enfrentar Lopez e McPhee que estiveram à altura do desafio.

Sempre nos lugares da frente desde o início da corrida, Rodrigo viria a envolver-se numa queda com Binder a duas voltas do final. Mais um azar para o argentino que saiu da Catalunha com zero pontos, depois de ter saído da pole position.

Numa última volta imprópria para cardíacos, foi Toba que liderou logo à entrada com Lopez, Canet, Ramirez e McPhee a pressionar. O japonês viria a cair sozinho na curva 10. Com a confusão, Ramirez retomou a liderança para não mais a largar. O espanhol conseguiu a primeira vitória da carreira. “Esperei até ao final para atacar e quando me vi na frente tentei aguentar o máximo que conseguia”

Canet segurou o segundo e celebrou o como se de uma vitória se tratasse, mantendo a liderança no campeonato. “Foi um dia muito difícil. Na última parte da corrida percebi que tinha de lutar. Dei o máximo no final e percebi que tinha de pensar no campeonato e não arriscar demasiado, para poder levar 20 pontos para casa”.

O terceiro lugar ficou para o rookie Celestino Vietti que, durante a corrida, se manteve próximo o suficiente para atacar apenas no final. “Foi uma corrida muito difícil. Não tive sensações muito boas durante o fim-de-semana mas hoje, a mota estava melhor”. O jovem piloto italiano, de apenas 17 anos, mostrou-se muito satisfeito por estar de regresso ao pódio.

Nada fazia prever a vitória de Ramirez. Foram 19 corridas sem ir ao pódio, para além de não ter pontuado nas últimas três.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Newsletter
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png