Moto2: Gardner na pole num mau dia para Baldassarri

Por a 29 Junho 2019 21:41

A primeira pole é sempre especial e foi mesmo isso que Remy Gardner conseguiu hoje. O seu primeiro dia em pista no circuito de Assen correu muito bem, terminando com o segundo melhor tempo das duas sessões combinadas, muito perto de Brad Binder. O australiano começou o dia de hoje motivado pelos resultados do dia anterior e na segunda metade da FP3 começou a ficar cada vez mais rápido. Subiu à primeira posição para não mais a largar durante o resto do dia. Gardner chegou à Q2 com um ritmo incrível. Marcou logo o quarto melhor tempo no início da sessão e não descansou enquanto não regressou à primeira posição. Assim que o conseguiu, continuou a melhorar o seu tempo por volta, segurando a liderança. No final da sessão o piloto australiano referiu o facto de ter melhorado muito o seu ritmo durante a manhã, realçando ainda a dificuldade que será continuar com um bom ritmo durante corrida.

Quem também teve melhorias durante estes dois dias foi Brad Binder. Depois de ter conseguido fazer o melhor tempo ontem, acabaria por descer na tabela durante a FP3. O piloto não melhorou a sua marca de ontem mas garantiu um lugar na Q2 sem grandes dificuldades. Chegou a estar na primeira posição que só seria roubada por Gardner. Terminou a sessão na segunda posição mas com certezas de que ainda há muito para trabalhar. Sublinhou que está a melhorar e que tentará manter o ritmo para a corrida de amanhã e, caso consiga, irá certamente lutar pelos lugares da frente.

A primeira da linha para a corrida de Moto2 (da esquerda para a direita: Brad Binder, Remy Gardner e Xavi Vierge)

Outro dos pilotos que se esperava estar na luta pela pole position hoje era Sam Lowes. O piloto britânico, conseguiu ontem os melhores resultados da temporada, até ao momento mas a sua sorte começou a mudar ainda na sessão de treinos desta manhã. Chegou com o terceiro melhor tempo mas, rapidamente, surgiram problemas. Logo no início da FP3, caiu na curva um ao evitar colidir com Marcel Schrötter. Como perdeu algum tempo, acabou por descer para a sétima posição e, a partir daí, o caminho foi sempre em sentido descendente. Não conseguiu voltar a melhorar o seu tempo, terminando na 16ª posição. Empurrado para fora da Q1 o piloto britânico foi uma das presenças inesperadas na primeira sessão de qualificação. Acabaria por passar para a Q2, juntamente com Lorenzo Baldassarri, Jorge Navarro e Nicolò Bulega. Nesta segunda sessão foi um dos primeiros pilotos a fazer uma volta rápida e foi conseguindo melhorar o seu ritmo ao longo dos 15 minutos. Terminou na quinta posição salvando assim um dia que poderia não ter terminado da melhor forma.

A Baldassarri aconteceu, precisamente, o contrário. O piloto italiano começou o fim-de-semana muito forte com o segundo melhor tempo na primeira sessão de treinos livres. A partir daí foi, quase sempre, a piorar. Apesar de ter melhorado o seu tempo nas duas outras sessões, na segunda desceu para oitavo e na terceira para 18º. Esta posição colocou o italiano fora da Q2. Na primeira sessão de qualificação conseguiu marcar o segundo melhor tempo do fim-de-semana até àquele momento, logo nos primeiros minutos. Ainda conseguiu melhorar no final, garantindo uma passagem fácil para a Q2. As coisas pareciam estar a melhorar para Baldassarri mas tudo viria a mudar pouco depois. O azar voltou quando o italiano sofreu uma queda nos primeiros minutos da sessão. Perdeu muito tempo até conseguir voltar para a box, caindo várias posições. Quando voltou a sair já foi tarde demais pois faltavam apenas cinco minutos para o final. As suas tentativas de melhorar a posição em que se encontrava não foram suficientes, ficando-se pela 16ª posição.

Uma das grandes surpresas do dia foi Xavi Vierge que garantiu um lugar na primeira linha da grelha. O espanhol nunca chegou a ser tomado como ameaça, até porque esteve sempre muito próximo de ir para a Q1. Tal não aconteceu, pois conseguiu segurar a 13ª posição na FP3, sendo que dois lugares a baixo e a história teria sido bem diferente. Logo no início da Q2 subiu ao topo da tabela de tempos e não se afastou muito mais até ao final. Terminou na terceira posição e não poderia estar mais satisfeito. “Demos um passo em frente na corrida em Barcelona e depois nos testes. Vamos continuar a trabalhar nesse sentido para amanhã estarmos de volta com um bom ritmo para a corrida”, sublinhou Vierge no final da sessão.

Quanto ao líder do campeonato, Alex Márquez, sairá da segunda linha da grelha, na quarta posição. A sua qualidade não pode ser descurada aqui em Assen pois só na corrida é que se verá quem tem o melhor ritmo.

Alex Marquez tem-se mantido consistente e estará na luta para a corrida de amanhã

Destaque ainda para a prestação dos rookies Jorge Martin, Fabio DiGiannantonio e Enea Bastianini. Martin teve a sua melhor prestação até agora ao alcançar a terceira posição nos tempos das três sessões de treinos combinadas. Teve menos sorte na Q2 mas partirá da 14ª posição para a corrida de amanhã. Bastianini chegou à Q2 com o décimo quinto melhor tempo e conseguiu garantir o nono lugar na grelha de partida. Melhor só mesmo DiGiannantonio que melhorou o 12º lugar dos treinos. Vai sair de sexto depois de fazer a sua melhor marca a menos de meio segundo do líder.

Houve um piloto a sofrer uma penalização consequente das suas ações no dia de ontem. Stefano Manzi foi o responsável pela queda de Dimas Ekky Pratama e foi castigado com o último lugar na grelha de partida. Relembro que Pratama perdeu os sentidos e foi transportado para o hospital, tendo depois sido decidido que não estaria apto para continuar em prova.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Newsletter
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png