ENSAIO YAMAHA X-MAX 400 de 2018 – No meio está a virtude

Por a 30 Agosto 2017 12:37

Depois de recentemente termos ensaiado a Yamaha X-Max 300 tínhamos alguma curiosidade em conhecer a nova X-Max 400, modelo 2018, e perceber as reais diferenças entre os dois modelos, uma vez que se situam no mesmo segmento com apenas 5cv e 30Kg de diferença.

A X-Max 400 que a Yamaha gentilmente nos cedeu vinha na cor Phantom Blue, um azul mate muito bonito que desde logo nos seduziu. As linhas da X-Max são esbeltas e agressivas com uma frente bem desenhada, com faróis de LED rasgados e integrados de forma equilibrada na carenagem frontal. O para-brisas é ajustável em duas posições diferentes mas necessita de ferramenta para o efeito. O guiador também tem a mesma possibilidade , de ser ajustado em duas posições distintas. Gostámos do setup inicial pelo que decidimos realizar o ensaio sem alterações a esse nível.

A X-Max 400 tem um enorme espaço debaixo do banco onde se colocam facilmente dois capacetes integrais e ainda sobra espaço muito espaço para mais equipamento. De noite tem uma pequena luz no seu interior que ajuda bastante na localização de qualquer item aí colocado. A sua abertura é feita a partir de um botão colocado na frente e por debaixo do botão da ignição que deverá ser colocado numa posição especíca para o efeito. Nessa mesma posição da ignição é possível também abrir a pequena tampa que dá acesso ao tampão do combustível. No painel frontal existem ainda dois pequenos compartimentos um dos quais tem tomada de corrente para ligação ou carregamento de qualquer dispositivo electrónico.

De referir que a ignição é “Keyless” ou seja não tem chave e apenas um identificador electrónico que devemos manter no bolso. O botão da ignição tem várias posições, 5 em total onde as duas para esquerda uma bloqueia a direção e a outra para além do bloqueio acende as luzes de presença.

A posição de condução é bastante confortável, o banco tem dois niveis e entre ambos uma pequena elevação que dá maior suporte ao condutor e aumenta o seu conforto. Obanco é estreito na frente facilitanto a colocação dos pés no chão realidade que na versão topo de gama da Yamaha, a T-Max, não é evidente. O banco do pendura é bastante amplo e confortável apenas penalizado por alguma rigidez da suspensão traseira apesar do maior curso da mesma.

A X-Max 400 inclui como standard o ABS e também controle de tração e ambos revelaram-se eficientes e interventivos na medida certa pois rolámos um dos dias à chuva e percebemos que dada a dinâmica desta X-Max os mesmos contribuem para um nível de segurança acrescido.

Os 33cv da X-Max 400 estão muito bem distribuídos e o binário máximo de 36 Nm às 6.000rpm começa por se sentir muito antes, aliás é aqui que reside a grande diferença para a 300, o motor da X-Max 400 tem uma enorme vivacidade nos regimes baixos e médios, naqueles que no fundo mais utilizamos, e sobe de rotação com enorme rapidez, realidade que se nota sobretudo nas ultrapassagens, que por essa razão se realizam com rapidez e segurança.

A suspensão dianteira de maior curso que a versão anterior ( 110mm ) é de enorme efectividade e de afinação bem conseguida proporcionando comodidade e ao mesmo tempo desempenho quer na absorção de irregularidades no piso, quer no seu afundamento em travagem, quer no seu comportamento em curva.

No que respeita a travagem a X-Max 400 monta discos dusplos de 267mm à frente e um único da mesma dimensão atrás. A travagem é progressiva mas efectiva e muitas vezes ajudada com o manete do travão traseiro para a tornar ainda mais efectiva dada a rapidez com que chegamos nesta X-Max de um obstáculo a outro. A X-Max inclui também um travão de mão facilmente acionável do lado esquerdo do guiador.

Em conclusão a X-Max 400 é uma scooter muito divertida de conduzir, rápida e ágil, com um comportamento quase desportivo, excelente numa utilização urbana, com capacidade para viagens de maior distância, a solo ou acompanhado, com capacidade para levar bagagem fora do normal, económica e com um excelente desempenho dinâmico. Na nossa opinião a Scooter perfeita a fazer jus ao ditado de que no meio está a virtude.

Ficha Técnica Yamaha X-MAX 400 de 2018

Motor

Tipo de motor Monocilíndrico, refrigeração líquida, 4 tempos, DOHC
Cilindrada 395cc
Diâmetro x curso 83,0 mm x 73,0 mm
Taxa de compressão 10,6 : 1
Potência máxima 33cv , 24,5 kW às 7.000 rpm
Binário máximo 36,0 Nm às 6.000 rpm
Sistema de lubrificação Cárter húmido
Sistema de combustível Injeção de Combustível
Sistema de ignição TCI
Sistema de arranque Eléctrico
Sistema de transmissão Automática, com correia trapezoidal
Consumo de combustível 4,18 l/100km
emissões CO2 96 g/km

Chassis

Sistema de suspensão dianteira Forquilha telescópica
Curso dianteiro 110 mm
Sistema de suspensão traseira Braço
Curso traseiro 107 mm
Travão dianteiro Disco duplo hidráulico, Ø 267 mm
Travão traseiro Monodisco hidráulico, Ø 267 mm
Pneu dianteiro 120/70-15
Pneu traseiro 150/70-13

Dimensões

Comprimento total 2.185 mm
Largura total 766 mm
Altura total 1,415-1,465 mm (adjustable windscreen)
Altura do assento 800 mm
Distância entre eixos 1.567 mm
Distância mínima ao solo 90 mm
Peso 210 kg
Capacidade Dep. Combustível 13 Litros

PVP Modelo Ensaiado

X-MAX 400A                                                  7.100.00 euros

 

 Cores 2018

  Phantom Blue

Sonic Grey

Blazing Grey

 

Concorrência

Yamaha X-Max 300A   292cc / 28CV / 179Kg / 5.995 eur

Peugeot Satelis 400    398cc / 32CV / 213Kg / 6.399 eur

Kymco Xciting 400i    399cc / 36CV / 201Kg / 6.299 eur

 

Suzuki Burgman 400  399cc / 31CV / 215Kg / 7.799 eur

 

GALERIA 

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MOTO+
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x