Ensaio Triumph Street Scrambler 2018 – Uma enorme sensação de liberdade

Por a 8 Maio 2018 11:27

É sempre um privilégio podermos ensaiar uma moto tão carismática e que carrega consigo uma simbologia incontornável ligada a sentimentos de liberdade. Na semana em que se festejava o “dia da liberdade” decidimos que rodar na Triumph Scrambler seria a melhor forma de celebrar essa mesma data. O setup minimalista da Triumph Scrambler agrada-nos especialmente, uma moto de linhas “old school”, que invocam as antigas Bonneville, mas que inclui tecnologia actual, sem a sofisticação muitas vezes desnecessária das multi-funcionalidades electrónicas.

Quando nos sentamos na Triumph Scrambler de imediato sentimos uma surpreendente sensação de familiaridade, a “cheirar” a aventura, que nos impele a querer  ser protagonistas de uma experiência única, mista de imaginário e realidade. Guiador largo, quase de uma moto Trail, banco baixo e confortável, com a possibilidade de desmontar a almofada do pendura e acentuar o look rebelde individual da Scrambler, peseiras ligeiramente avançadas que contribuem para uma posição sentada confortável e natural e à nossa frente um espaço aberto  apenas com um painel de informação  minimalista mas suficiente, e estrada para desbravar. A roda de 19” na dianteira e os pneus Metzeler Tourance levam-nos desde logo a pensar que a Scrambler tem ambições de poder rodar fora de estrada mas, já lá vamos, pois a designação Street Scrambler pressupõe uma utilização mais urbana desta Triumph.

O Motor Triumph de 900cc

Já circulam rumores e fotos “espia” de que a Tirumph estará a preparar uma versão da Scrambler com o novo motor de 1200cc, certamente devido à pressão da concorrência ( Ducati e BMW ) no entanto este motor de 900cc tem prestações renovadas, que proporcionam uma condução muito agradável, com mais potência e binário a baixa rotação do que o anterior, cerca de 18% mais, e que inclui agora algumas das novas sofisticações tecnológicas como seja o “Ride by Wire”, permitindo um maior controle da aceleração e uma resposta mais rápida e diminuindo em simultâneo os consumos.

O motor de 900cc da Scrambler, um bicilíndrico paralelo de 8 válvulas e SOHC, tem um comportamento suave e com pouca vibração graças a um intervalo de 270º na ignição. Monta caixa de 5 velocidades e o mapa electrónico foi definido para proporcionar mais potência e binário nas baixas e médias rotações, realidade que contribui para um enorme conforto e facilidade de condução em cidade ou fora de estrada, por caminhos de terra, como aliás pudemos comprovar.

Os escapes são sem sombra de dívida um icon marcante do estilo Scrambler e a Triumph sempre foi uma referência nesta matéria, mantendo as duas ponteiras paralelas e elevadas no lado direito da moto. Em relação ao modelo anterior houve uma evolução estética muito assinalável sendo que os escapes são agora um elemento  de enorme beleza, tanto nas suas linhas e design como no acabamento em aço escovado… simplesmente magníficos. Para além da estética, os escapes também “falam” por si pois o som cheio e grave que emitem reforça ainda mais o temperamento rebelde desta Scrambler.

 

“Riding the Rebel”

Neste aspecto digamos que a rebeldia está bastante atenuada com o conforto e facilidade que a Scrambler proporciona na sua condução, não só graças ao seu motor “cheio” como também pelo conforto proporcionado pelas suspensões, que apesar de ser uma moto baixa, o curso e o seu comportamento eficiente é algo de surpreendente e inesperado. A rebeldia acaba por revelar-se na nossa atitude tal é a facilidade com que se conduz a Scrambler.

Os amortecedores traseiros foram especialmente desenhados para a Scrambler, com um curso mais longo de forma a aumentarem também a distância da roda ao guarda lamas traseiro e o acabamento em negro mate que contribui para o look “clean & cool” da Scrambler. As suspensões dianteiras têm um comportamento excelente, mesmo em percursos fora de estrada, onde acabámos por nos aventurar e testar a denominação “Scrambler” em toda a sua abrangência. E aí sentimo-nos verdadeiramente como o herói do icónico filme de guerra  “The Great Escape” ,  o saudoso Steve McQueen, que protagoniza uma fuga de um grupo de militares alemães que o persegue, saltando uma vedação de arame farpado com uma das motos roubadas às tropas III Reich, que deveria ser uma BMW mas por sinal é uma Triumph, motos mais leves na altura e mais fáceis para este tipo de “acrobacias” aliás muito utilizadas na sua vida privada pelo próprio McQueen.

Sentimo-nos por isso impulsionados a levar a nossa Scrambler para a “guerra” em caminhos mais ou menos  “minados” que a pudessem colocar à prova. Surpresa das surpresas, a Scrambler puxou dos seus atributos e especificações técnicas e deixou-nos com a agradável sensação de que não existem limites na sua condução, passando com surpreendente ligeireza e desenvoltura, por riachos, pedras e solo arenoso. Apenas não quisemos arriscar o tal salto no arame farpado … No final o sentimento de liberdade saiu ainda mais reforçado e, ao contrário do Steve McQueen, conseguimos escapar sem nenhum contratempo. Apenas uma nota, menos positiva, na posição de condução em pé, pois a largura dos escapes do lado direito forçam a perna e a posição do pé para fora da peseira.

Também do ponto de vista da travagem a Scrambler surpreendeu-nos, pois apesar de montar apenas um disco na frente de 310mm e atrás de 255mm, ambos com pinças Nissin de 2 pistons, a travagem é precisa e facilmente doseada, com uma mordida incisiva quando necessária, garantindo uma enorme segurança e efectividade na travagem, assistida em ambos por ABS, que pode ser desligado num botão no guiador.

Características Especiais da Triumph Scrambler

Já comentámos a possibilidade de remoção do banco do pendura e substituir o mesmo por uma pequena estrutura porta-bagagens retirando também as pegas do pendura. Também a nível da electrónica a Scrambler tem ABS e Controle de Tração que pedem ambos ser desligados. A embraiagem é assistida e o seu funcionamento é de enorme leveza o que favorece o conforto diminuindo o cansaço do utilizador. Pormenor também exclusivo é o sistema de imobilização da moto que através de um sensor colocado na chave bloqueia a ignição. A iluminação traseira é de tecnologia LED e um detalhe simpático é a existência de uma ficha USB debaixo do banco, este luxuosamente forrado a alcantara, para ligação de qualquer aparelho electrónico.

Os acabamentos da Triumph Street Scrambler são excelentes com pormenores ao nível da combinação de materiais e com um toque neo-clássico no seu design.  Os engenheiros da Triumph tiveram também um cuidado especial no desenho do quadro da Street Scrambler no sentido de proporcionar uma condução o mais neutra possível e ao mesmo temp previsível no sentido de aumentar a segurança dos condutores.

A Triumph proporciona ainda um extenso catálogo de acessórios, cerca de 150 referências, que permitem a personalização máxima da vossa Scrambler com acessórios da marca. Alguns acessórios estão inclusivamente desenhados para aumentar a capacidade off-road da Scrambler, como por exemplo amortecedores traseiros com afinação total, guiadores com proteções off-road, paineis laterais em alumínio para colocar o número, proteção em rede metálica do farol dianteiro…

Em conclusão, a experiência foi mais uma vez inspiradora e gratificante, e a Scrambler da Triumph continua a ser uma das nossas motos favoritas, de todos os géneros, num estilo único e intemporal, com um enorme carisma e um histórico incontornável, uma moto polivalente, simples de levar, minimalista mas sofisticada, extremamente ágil e fácil de conduzir, uma sedutora que se destaca em qualquer lugar que a paremos. Se querem ser o tipo mais “cool” do vosso bairro e arredores, e terem uma moto polivalente , que vos dá imenso prazer de conduzir e que onde quer que parem faz inveja a todas as outras… a Triumph Street Scrambler é a vossa moto.

A Triumph Scrambler está disponível em 3 cores :  Jet Black,  Verde Kakki Mate, aquela que ensaiámos, e num esquema cromático bicolor de Korozi Red com listas Frozen Silver.

 

Ficha Técnica

 

Motor tipo                   Bicilindrico paralelo c/ arref. líquido, 8 válvulas, SOHC

Cilindrada                    900 cc

Curso                          84.6 mm / 80 mm

Compressão                10.55:1

Potência                      55 PS / 54 bhp (40.5 kW) @ 6,000 rpm

Binário                                    80 Nm @ 2,850 rpm

Alimentação               Injecção Electrónicca Multiponto

Escapes                       2×2 em aço inox com e ponteiras

Transmissão final       Corrente

Embraiagem               Assistida em banho de óleo

Caixa                           5 velocidades

Quadro                        Berço em aço tubular

Braço Oscilante           Aço tubular duplo

Roda Dianteira           32 Raios – aros em aço 19” x 2.5in

Roda Traseira             32 Raios – aros em aço 17” x 4.25in

Pneu dianteiro            100/90-19

Pneu traseiro              150/70 R17

Suspensão dianteira   KYB 41 mm convencional, 120 mm de curso

Suspensão traseira     KYB duplo amortecedor ajustºavel em pré-carga, 120 mm de curso

Travão dianteiro         Disco único de 310 mm com pinça Nissin 2- pistons e ABS

Travão traseiro           Disco único 255 mm com pinça Nissin 2 pistons e ABS

Painel Informação   LCD multi-funcional com conta-kms analógico, odómetro, indicador de velocidade, indicador de nível de combustível, sinalizador de assistência, relógio, 2 trips parciais, indicador de consumo médio e instantâneo, luz controle de tração e ABS.

Dimensões

Largura                        831 mm

Altura                          1120 mm

Altura banco               790 mm

Distância entre eixos 1446 mm

Dist. ao solo                109 mm

Peso                            206 kg

Depósito                     12 l

Consumo                     3.8l/100km

PVP                              10.600 eur

 

Concorrência

BMW R Nine T Scrambler   1.170 cc / 110 CV / 220 Kg / 14.368 eur

Ducati Scrambler 1100   1079 cc / 86 CV / 211 Kg / 12.795 eur

Ducati Scrambler 800     803 cc / 72 CV / 193 Kg / 10.645 eur

 

Galeria de Imagens

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MOTO+
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png