Ensaio KAWASAKI VERSYS X-300 2017 – Uma Adventure Light Tourer

Por a 25 Julho 2017 21:41

Quando se fala normalmente em motos do tipo “Adventure Tourer” ficamos de imediato a pensar em motos grandes, pesadas, com enormes depósitos, cheias de malas e autocolantes que indicam os lugares por onde já passaram, umas mais tourers com pneus mistos e outras mais adventure com pneus mais para todo-o-terreno, mas sempre grandes e pesadas.

Ora a Kawasaki Versys X-300 apenas herda a designação das suas irmãs maiores e o seu conceito e realidade são  o inverso do que falámos antes. Ou seja, é uma moto ao estilo Adventure sem dúvida, mas leve, ágil, fácil de pilotar, simples na mecânica e na gestão da mesma, de dimensão que vai para além daquilo que se supõe numa 300cc, ideal para o dia a dia em trajectos urbanos e fins de semana com destino incerto, onde chegar para acampar em zonas menos acessíveis é “mato”.

Versatibilidade e facilidade são os adjectivos que definem esta Versys 300. Com um motor elástico e surpreendentemente vigoroso a partir das 7.000 rpm, embora a acusar algo de vibração nesse regime , sentida no banco algo duro para percursos demasiado longos, a Versys desenvolve-se muito bem tanto em percursos urbanos como fora de estrada, sobretudo  em estradões e pistas pouco acidentadas.

O motor de 296cc, de 2 cilindros paralelos e refrigerado a água, com 8 válvulas, que provém da Ninja 300, garante uma eficiência de consumos surpreendente. Para a Versys a Kawasaki redesenhou a caixa de ar e as suas condutas, assim como o seu escape que  foi especialmente concebido para melhorar o binário a regimes mais baixos, aliás como se recomenda para uma “Adventure Light Tourer”.

A válvula dupla de injecção de combustível garante uma aceleração e uma resposta do motor sempre disponível, subindo de rotação rapidamente até ao limite das 12.750 rpm. A caixa de 6 velocidades passa-se rapidamente quando rodamos acima das 7.000 rpm e a elasticidade do motor é algo que nos impressionou. A embraiagem deslizante que monta a Versys, proveniente da alta competição, é especialmente leve e de curso na manete bastante curto, embora as mudanças devam ser colocadas com alguma determinação pois a sua rigidez não condiz com a leveza da embraiagem. Nada de mais é apenas uma sensação de contraste.

A Versys 300 é uma moto muito suave abaixo das 6.500/7.000 rpm e permite-nos uma utilização fluida em cidade e mesmo em passeio fora de estrada, com consumos realmente baixos. A proteção do vidro dianteiro é bastante aceitável, retirando grande parte da resistência ao vento sobre o nosso corpo. O banco pareceu-nos algo rijo de início mas existe uma opção mais confortável e ergonómica mas ligeiramente mais alta que, dependendo do tipo de utilização e estatura do utilizador, poderá ser recomendável fazer esse upgrade.

A condução fora de estrada em pé tem uma postura bastante natural e não demasiado carregada sobre a roda da frente embora o peso excessivo nas estribeiras neste caso se faça sentir e o grip das mesmas não seja o indicado para o todo o terreno. No entanto são ideais para uma utilização diária já que as suas borrachas macias, dão conforto extra aos nossos pés e absorvem de forma eficiente as vibrações.

Gostámos do comportamento da Versys 300 fora de estrada, a revelar uma enorme segurança e estabilidade, absorvendo de forma eficiente as imperfeições do terreno e a dar-nos a sensação de que podemos arriscar e ir mais além, que estará à altura do desafio… bastará para isso colocar pneus mais de todo-o-terreno.

A suspensão dianteira Showa de 41 mm mostrou-se sempre eficiente, com um curso de 150mm enquanto que atrás o amortecedor Uni-Trak com ajuste em pré carga e um curso de 170mm , parecerem-nos bastante eficientes e calibrados tanto em estrada como em todo-o-terreno.

A travagem está ao nível do que se espera deste modelo e o ABS da versão testada funciona bem e de forma pouco intrusiva no travão da frente e algo mais interventiva no travão de trás. Exigências do Euro 4.

O banco é bastante espaçoso e com pegas laterais a convidar rodar com pendura e a plataforma traseira está preparada ou para segurar fácilmente um saco ou mochila ou montar uma mala traseira. A conduzir em pé é bastante estreito ao nível dos joelhos facilitando a pilotagem off road.

Penso que a Versys 300 tal como a sua designação indica será uma Trail Aventureira muito versátil, que pela sua leveza, dimensão e facilidade de condução poderá fácilmente ser utilizada em trajectos urbanos e que pela elasticidade e potência do seu motor poderá garantir trajectos de fim de semana a solo ou a dois com conforto e segurança.

O preço de 6.350,00 euros e a pouca ou nenhuma concorrência neste segmento fazem antever um enorme sucesso de vendas para a pequena grande Versys. Para além da Versão Base a Kawasaki Versys está também disponível em outras duas versões mais completas em equipamento:

– A Versão Adventure que inclui malas e suportes laterais, proteção de mãos, descanso central, proteção de motor e proteção de depósito. com um PVP de 7.250 euros
– E  a Versão Urban com Top Case à cor da moto, proteção de mãos, descanso central e proteção de depósito, com um PVP de 6.795 euros.

Para além das versões referidas todos os acessórios podem ser adquiridos em opção num catálogo extenso de produtos da Kawasaki para a Versys X-300.

 

Cores disponíveis

 

Verde  e Cinza

FICHA TÉCNICA
Motor

Tipo de motor Bicílindrico, paralelo com refrigeração líquida

Cilindrada 296 cm³

Diâmetro x curso 62 x 49 mm

Rácio de compressão 10.6:1

Sistema de válvulas DOHC, 8 válvulas

Sistema de combustível Injeção de combustível:  Ø 32 mm x 2 com dupla válvula de acelerador

Sistema de arranque Elétrico

Lubrificação Lubrificação forçada, cárter húmido

 

Performance e Transmissão

Potência máxima 29.3 kW {40 PS} / 11,500 rpm

Binário máximo 25.7 N•m {2.6 kgf•m} / 10,000 rpm

Consumo de combustível 4.1 l/100 km

Emissões CO2 103 g/km

Transmissão 6 velocidades

Transmissão final Corrente selada

Embraiagem Húmida multidisco, manual

 
Travões e Suspensão

Travões dianteiros Disco em forma de pétala de 290mm. Pinça de duplo èmbolo, com actuação simultânea

Travões traseiros Disco de 220mm em forma de pétala. Pinça de 2 êmbolo

Suspensão dianteira Suspensão telescópica de 41 mm

Suspensão traseira Link inferior Uni-Trak, amortecedor a gás com ajuste de pré-carga.

 

Quadro e  Dimensões

Tipo de quadro Backbone, aço de alta resistência

Rasto 108 mm

Curso da roda dianteira 130 mm

Curso da roda traseira 148 mm

Pneu dianteiro 100/90-19M/C 57S

Pneu traseiro 130/80-17M/C 65S

C x L x A 2,170 x 860 x 1,390 mm

Base da roda 1,450 mm

Distância ao solo 180 mm

Altura do assento 845 mm

Capacidade de combustível 17 litros

Peso em ordem de marcha 175 kg

PVP 6.350,00 euros

 

GALERIA

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MOTO+
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x