Ensaio Honda CBR 1000RR 2017/18 – Expressão máxima de “Total Control”

Por a 4 Dezembro 2017 15:41

Quando a Honda em 2016 apresentou a sua exclusiva RC213V-S, uma moto quase inacessível pelo preço da sua sofisticação, pois praticamente era uma versão de estrada de uma Moto GP, ninguém esperava que logo a seguir seria apresentada uma nova versão da  CBR1000RR, com motor tetra-cilíndrico em linha, que proporciona quase as mesmas sensações que a RCV da qual herda muito da sua tecnologia um  por valor obviamente muito mais acessível.

Apresentada no início do ano no fantástico traçado do circuito de Portimão, nas suas versões RR e RR SP, a nova CBR 1000 demonstrou claramente a sua inspiração na exclusiva RC213V-S da qual herdou muita electrónica, mantendo a filosofia da Honda das suas Fireblade de “Total Control”. A nova CBR1000RR Fireblade  são na verdade três versões: a CBR1000RR Fireblade, a CBR1000RR Fireblade SP e a CBR1000RR Fireblade SP2.

Press Event Portimao – Fireblade

Sabendo que para 2018 a Honda iria manter o mesmo modelo em catálogo quisemos aproveitar a disponibilidade em parque de imprensa da mesma e confirmar tudo o que sobre esta fantástica desportiva se tem dito.

Três factores foram fundamentais para a essência da nova CBR1000RR Fireblade: menos peso, mais potência e um sistema electrónico para ajudar o condutor sempre que conduzir a moto.

De facto a CBR 1000RR inclui a mesma electrónica da RC213V-S, sendo que é a primeira CBR a incluir acelerador “Ride-by-Wire”. O sistema inclui ainda 3 modos de motor, de 1 a 3, o primeiro especialmente para rolar em Pista, o segundo em estradas sinuosas e de forma mais Desportiva e o último para uma condução mais Normal no dia a dia. Cada modo define um setup específico que controla várias funções da CBR nomeadamente a potência e resposta do motor, o controle de tração, com 9 níveis distintos, o sistema de anti-cavalinho e ainda 3 níveis de travão de motor. Existe ainda a possibilidade de se selecionar livremente as várias funções e colocar esses parâmetros personalizados em dois modos específicos complementares aos três standard.

O sistema anti-cavalinho oferece também três níveis distintos de actuação que interferem directamente nos diferentes níveis de controle de tração, no entanto a opção de controle de tração em posição Off desliga também o controle anti-cavalinho.

Ao sentarmo-nos na CBR1000RR sentimos de imediato uma sensação de perfeito encaixe na moto, como se tivesse sido feita à medida, inclusivamente algo confortável para uma desportiva, a dar a sensação de que esta CBR1000RR poderia ser a desportiva de eleição para uma utilização diária.

A sensação inicial veio a ser reforçada em andamento. De facto a CBR1000RR é de uma estabilidade perfeita, de um equilíbrio e de uma neutralidade fora de série certamente graças à correcta distribuição de massas e à geometria do seu quadro. A suspensão Showa invertida de 43mm absorve perfeitamente as irregularidades da estrada, mesmo em mau piso, proporcionando uma leitura perfeita da estrada e uma aderência máxima. A pré-carga da mola e o amortecimento em extensão compressão são totalmente ajustáveis. A suspensão traseira está equipada com um amortecedor Showa totalmente ajustável de equilíbrio livre (BFR – Balance Free Rear).O amortecedor de direção HESD incluído de origem e escondido debaixo da mesa de direcção, proporciona uma estabilidade extra em situações de abanar brusco provocado por imperfeições na estrada ou nas situações em que a roda da frente levanta em consequência da aceleração.

O “Quickshift” opcional,  standard no modelo SP , mas montado na RR que nos foi disponibilizada, funciona nos dois sentidos na perfeição e o passar de caixa realiza-se sempre de forma silenciosa e sem imprecisões, toda uma referência de destaque deste modelo. A embraiagem deslizante proporciona reduções em situações extremas sem o abanar da traseira nem a perca de aderência. Os Leds localizados sobre o painel TFT LCD informam sobre o limite em cada velocidade e quando há que passar caixa. Uma funcionalidade muito efectiva em pista juntamente com o cronómetro extremamente visível, selecionável num dos modos do painel de informação que, acionado por um gatilho no punho esquerdo, nos permite saber os tempos por volta também. Realmente útil para quem gosta de ir aos circuitos nos Track Days.

Tal como a RC213V-S, a Fireblade usa um painel de TFT LDC para apresentar as informações de forma nítida ao condutor. Este painel ajusta-se automaticamente à luz ambiente, com uma retro-iluminação de até 1000 cd/m² em 3 modos: Street (Estrada), Circuit (Circuito) e Mechanic (Mecânico) – cada um com as informações mais relevantes para cada utilização particular.

O computador de bordo calcula os consumos médio e instantâneo, os consumos por cada conta-quilómetros digital, a velocidade média e o tempo decorrido após se ligar a ignição, para além do combustível restante após se acender a reserva e a autonomia restante também em reserva (quando seleccionado). Estas informações são apresentadas no canto inferior direito do mostrador.

A CBR1000RR inclui ainda ABS em curva e controle anti “éguas” muito útil nas travagens mais fortes à entrada das curvas que combinado com a embraiagem deslizante e a possibilidade de reduções com quickshift tornam a condução em pista num verdadeiro prazer e numa enorme sensação de “Total Control”.

As novas pinças de travão Tokico de quatro êmbolos, de montagem radialmente oposta, têm elevada resistência. As novas pastilhas de travão de elevado mu (coeficiente de fricção) têm melhores parâmetros de performance a altas temperatura do que as pastilhas normais. As jantes de alumínio têm novo design em Y e os pneus têm dimensões de 120/70 R17 à frente e 190/50 R17 atrás.

Toda a iluminação é feita por LEDs brilhantes, com os dois faróis dianteiros a oferecerem ambos médios e máximos. A CBR1000RR Fireblade está disponível em duas novas opções de cor: Victory Red e Matt Ballistic Black.

Características principais

Electrónica

– Unidade de Medição de Inércia (IMU)

– Sistema TCS Honda de Controlo de Tração Regulável (HSTC)

– Novo ABS

– Acelerador Throttle-by-wire (TBW)

– Sensor da Posição do Acelerador (APS)

– Selector de Potência

– Unidade de Medição de Inércia (IMU)

– Sistema TCS Honda de Controlo de Tração Regulável (HSTC) com 9 níveis

– Controlo do Levantamento da Roda Dianteira

– Travagem Seleccionável com o Motor

– Sistema de Selecção do Modo de Condução (RMSS)

 

Ciclística

– 196 kg de peso em ordem de marcha

– Forquilha Showa de 43 mm BPF (Big Piston Forks – Forquilha de Êmbolos Grandes) e amortecedor traseiro de equilíbrio livre (BFR – Balance Free Rear)

– Regulação do equilíbrio do quadro

– Braço oscilante mais rígido

– Sub-quadro mais leve

– Novas pinças de travão Tokico de montagem radial e quatro êmbolos

– Jantes redesenhadas

– Aspecto de estilo minimalista e agressivo

 

Motor

 – Aumento de 11CV (8 kW) na potência total de 192CV às 13.000 rpm

– Binário de 114 N·m a aparecer às 11.000 rpm

– Revisão ao nível do comando e da elevação das válvulas

– Tampas de magnésio e pormenores redesenhados, permitem reduzir 2 Kg no peso

– Escape 4-2-1 e silenciador em titânio

– Embraiagem deslizante redesenhada

 

Ficha Técnica

Motor 4 cilindros em linha , 4 tempos , DOHC com 16 válvulas, refrigeração líquida, Cilindrada 999 cm3, taxa de compressão de 13:1, potência de 192 CV às 13.000 rpm, Binário max. 114Nm às 11.000 rpm, Injecção e ignição electrónica, Depósito de combustível de 16 litros, Arranque eléctrico, Embraiagem multidisco com mola de diafragma, acionamento mecânico por cabo, Caixa de 6 velocidades e Transmissão final por corrente, Quadro tipo dupla trave em liga de alumínio, Suspensão dianteira Showa invertida de 43mm com ajuste de pré-carga e compressão com 1200mm de curso, Amortecedor traseiro HMAS com ajuste pré-carga e compressão, com 137mm de curso, Roda dianteira 120/70-17 e Roda traseira 190/50-17, Travão dianteiro 2 discos de 320mm com pinças de 4 êmbolos e ABS de 2 canais, Travão traseiro de disco de 220 mm com pinça de um único êmbolo, Dimensões: Comprimento 2.065mm Largura 720mm, Altura 1.125mm , Distância entre eixos 1.405mm, Altura do assento 832mm, Distância mínima ao solo 130mm, Peso 196 Kg.

PVP 18.500 euros

 

Concorrência

 

BMW S1000 RR / 999 cc / 199 CV / 211 Kg / 18.500 eur

 

Kawasaki ZX10 / 998 cc / 200 CV / 198 Kg / 18.890 eur

 

MV Agusta F4 / 998 cc / 195 CV / 185 Kg / 19.990 eur

 

Suzuki GSX-R 1000 / 999 cc / 202 CV / 202 Kg / 17.899 eur

 

Yamaha YZF R1 / 998 cc / 200 CV / 199 Kg / 19.395 eur

 

Galeria de Fotos

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz
últimas MOTO+
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png

Facebook

Instagram

Follow Me on Instagram
  • #Kawasaki #VulcanS #MotoSport

    motosport_oficial: "#Kawasaki #VulcanS #MotoSport"
    66
    1
  • #ValentinoRossi #Yamanha #Silverstone

    motosport_oficial: "#ValentinoRossi #Yamanha #Silverstone"
    72
    1
  • #MiguelOliveira #RedBullKTMAjo #MotoSport

    motosport_oficial: "#MiguelOliveira #RedBullKTMAjo #MotoSport"
    294
    0
  • #Diadosnamorados #Valentinday #motsportportugal #MarcMarquez

    motosport_oficial: "#Diadosnamorados #Valentinday #motsportportugal #MarcMarquez"
    195
    1
  • #valentinorossi #46 #Motosportportugal #motogp #yamaha

    motosport_oficial: "#valentinorossi #46 #Motosportportugal #motogp #yamaha"
    212
    0
  • #MaverickVinales #ValentinoRossi #MotoGP #MotoSport #Yamaha

    motosport_oficial: "#MaverickVinales #ValentinoRossi #MotoGP #MotoSport #Yamaha"
    367
    1
  • #MotoGP #MotoSport #Rossi #SEPANG

    motosport_oficial: "#MotoGP #MotoSport #Rossi #SEPANG"
    74
    0
  • #JorgeLorenzo #Ducati #MotoGP #MotoSport

    motosport_oficial: "#JorgeLorenzo #Ducati #MotoGP #MotoSport"
    275
    0
  • #MarioPatrão #KTMDAKAR #MotoSport #DAKAR2017 #KTMJETMARPORTUGAL

    motosport_oficial: "#MarioPatrão #KTMDAKAR #MotoSport #DAKAR2017 #KTMJETMARPORTUGAL"
    266
    0
  • #TiagoMagalhães #CNV #Aprilia

    motosport_oficial: "#TiagoMagalhães #CNV #Aprilia"
    69
    0