MotoGP: Marquez à solta em Motegi?

Por a 15 Outubro 2019 14:30

Marc Marquez (Honda Repsol Team) venceu a corrida e o campeonato em Buriram, e as comemorações continuam pelo agora oito vezes campeão mundial. Mas apesar da disputa pelo título ter terminado, a temporada está longe disso e a primeira das quatro corridas restantes do ano leva-nos a disputar a corrida caseira de tantos fabricantes no paddock – com muito orgulho em jogo.

Para Márquez, é uma hipótese de correr sem pensar muito na matemática – e ele certamente estará à procura de mais uma pole, já que Motegi é o último local do calendário em que ele nunca conseguiu o feito na classe rainha. Ele venceu aqui, duas vezes no MotoGP, uma vez na Moto2 e uma vez no Campeonato do Mundo de 125 e o seu recorde diz que é uma surpresa que ele ainda não tenha começado da frente.

Sem pressão no campeonato, será o homem a bater? Provável, mas há a classificação de equipas e fabricantes a considerar, e também é o ano do 60º aniversário da Honda no Campeonato do Mundo … pelo que não será um fim de semana tranquilo.

Será também um marco para o companheiro de equipa Jorge Lorenzo, que comemora 200 GPs da categoria rainha.

Andrea Dovizioso (Ducati), entretanto, espera dar mais luta Motegi. O local foi bom para o italiano e foi aqui que ele conquistou a sua primeira pole na categoria rainha em 2010, e novamente em 2014 e 2018.

Ele também venceu o confronto de 2017 com Márquez à chuva – um dos duelos mais impressionantes dos últimos anos, e houve alguns – e ele esteve no pódio no seco, por isso é uma boa leitura. E não há a pressão de correr em casa para o número 04, embora a classificação da equipa e do construtor tenha contribuído um pouco. Nesse sentido, no entanto, pode haver mais para o companheiro de equipa Danilo Petrucci, já que o italiano é agora quinto – embora apenas a alguns pontos de Alex Rins (Suzuki Ecstar) em terceiro e um ponto atrás de Maverick Viñales (Yamaha Monster Energy).

Rins vai esforçar-se ao máximo para tentar tirar o máximo proveito do fim de semana em casa da fábrica de Hamamatsu, assim como o colega de equipa Joan Mir, mas Viñales está fechando rapidamente na terceira posição – por isso, recuperar a consistência também é fundamental para Rins.

A Suzuki também terá outra máquina no Japão, outro wild card para o piloto de testes Sylvain Guintoli, para que possa ajudá-los na busca por mais velocidade.

Enquanto isso, a Yamaha vem ganhando força durante a segunda metade da temporada, especialmente Viñales, que persegue um lugar entre os três primeiros, e o desempenho brilhante de Fabio Quartararo (Yamaha Petronas SRT), fala por si.

O estreante francês está agora a apenas dois pontos de Valentino Rossi (Yamaha Monster Energy) e ainda pode alcançar Viñales como melhor Yamaha.

Mais premente, porém, é o Rookie do Ano – com Quartararo 85 pontos à frente de Mir.

A classificação dos pilotos Independentes é outro campo de batalha importante. Quartararo agora tem um bom avanço para Jack Miller (Pramac Racing), mas Miller estará pressionando e há ainda Cal Crutchlow (Honda LCR Castrol).

Crutchlow está no terreno da Honda e vai querer recuperar depois de um problema na Tailândia… embora a pressão esteja do outro lado da garagem do herói da casa Takaaki Nakagami (Honda LCR Idemitsu).

O que pode o piloto japonês fazer? Há rumores de que ele passará por uma cirurgia a um ombro, mas não antes de Motegi, com muito apoio em casa.

Tantas narrativas compõem uma temporada de MotoGP e podemos estar no epílogo do campeonato de pilotos, mas estamos longe do final da história.

Equipas, construtores, rookies, independentes; marcos e recordes permanecem ao virar da esquina nas quatro últimas rondas da temporada…

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png