MotoGP: Fabrio. Quartararo auto-avalia-se

Por a 1 Dezembro 2019 16:30

Fabio Quartararo classifica a sua impressionante temporada de estreia no MotoGP, em que conquistou sete pódios, seis poles e quinto à geral no campeonato mundial – como “oito de dez”.

“Fizemos uma temporada incrível este ano, por isso talvez dê a mim mesmo um oito. Os dois descontados são por causa dos meus erros – mas fazê-los é aprender para o futuro. É importante não analisar demais o ano, mas também é verdade que houve algumas corridas em que poderíamos ter um desempenho melhor, como a Austrália ou Silverstone.”

“Cometi erros, mas isso faz parte do trabalho e aprendi com eles. O destaque do ano foi definitivamente a pole position em Jerez, foi a primeira vez que estive à frente de uma sessão de MotoGP e logo para a pole position!”

“Aprendi muitas coisas sobre como economizar os pneus, como andar numa moto de MotoGP com um depósito cheio e um vazio, como brincar com os mapas – há muitas coisas para aprender em tudo isso.”

“É uma experiência incrível poder pilotar essas motos, para o ano o objetivo é melhorar em corrida, pois já vimos que sou rápido na  qualificação “.

“O papel da equipa foi ensinar-me no início do ano e todas as pessoas me ajudaram de alguma forma. Todos fizeram um excelente trabalho – a temporada deles é um nove de dez, apenas porque todos podem sempre encontrar uma maneira de melhorar a si mesmos.”

“Nenhuma moto no MotoGP é fácil de pilotar, mas a Yamaha é talvez a mais fácil em habituação para um rookie, e isso ajudou muito a manter-me trabalhando de uma maneira simples, em vez de fazer coisas que levassem a erros estúpidos”.

“Estou orgulhoso da segunda metade da temporada, quando consegui lutar pelo pódio em muitas corridas. Acho que será o objetivo de 2020, passar todas as corridas lutando pelo pódio e pelas cinco melhores posições.”

“É claro que os maiores arrependimentos são os acidentes em Phillip Island, Sachsenring e Silverstone – mas aprendemos muito com cada um deles.

 

“Claro que sinto uma diferença agora, antes não era ninguém e agora sou reconhecido, em cidade ou no aeroporto. Mas o importante é que eu tente permaneer a mesma pessoa, não fazer parvoíces. A minha expectativa para o próximo ano é estar no pódio em todas as corridas.”

“Até lá, vou estar em casa, treinando duro e andando de moto o máximo possível, porque o inverno é o único momento em que posso andar de moto sem muita pressão e sem arriscar muito!”

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png