MotoGP: Cal Crutchlow pode retirar-se daqui a um ano.

Por a 12 Setembro 2019 15:30

O Britânico conquistou três vitórias em corridas no MotoGP, e é o único piloto britânico a vencer nos últimos 37 anos. Mas anos de quedas e ferimentos dolorosos estão a deixar a sua marca na sua vontade de continuar…

Se a possibilidade dele se retirar se tornar realidade, será um momento algo histórico e cheio de significado, pois Crutchlow, vindo do país que dominou o Mundial tantos anos, é já o 7º piloto Britânico mais vencedor da história dos Grandes Prémios, e sem dúvida o maior da atual geração. Os únicos com mais vitórias do que ele em GP são Mike Hailwood, Geoff Duke, John Surtees, Barry Sheene, Phil Read e Les Graham, este último vencedor do primeiro campeonato mundial de 500cc em 1949.

Três vitórias em MotoGP pode não parecer grande coisa, mas Crutchlow alcançou o sucesso na Era Mais Competitiva das corridas de Grand Prix, participando com uma equipa que não era de fábrica, ao contrário dos 6 Britânicos à sua frente na lista, todos oficiais: Hailwood (MV Agusta e Honda), Duke (Norton e Gilera), Surtees (MV), Sheene (Suzuki), Read (MV) e Graham (MV).

Em 2009, Crutchlow ganhou o título de World Supersport, por pouco sobre Eugene Laverty, na altura a pilotar ao lado de Miguel Praia para a Parkalgar, e no ano seguinte conquistou as suas primeiras vitórias em Superbike, mas no final de 2010 decidiu arriscar tudo no MotoGP, um campo de caça infeliz para os britânicos desde os dias de Barry Sheene.

De facto, durante as 33 temporadas entre 1949 e 1981, pilotos britânicos venceram 135 GPs da classe rainha. Em 1983, o jovem Alan Carter, então com apenas 18 anos, tornou-se no último, ao mesmo tempo que o mais jovem, Britânico a vencer um Grand Prix ao ganhar o Grande Prémio de França- mas não em 500, em 250. Durante as 37 temporadas desde então, pilotos britânicos venceram três GPs da categoria rainha; todos eles Crutchlow.

Já em Superbikes, a história é um pouco diferente: nas 31 temporadas desde a criação do campeonato de motos de produção, os pilotos britânicos venceram 250 corridas de SBK, mais do dobro de qualquer outra nação. Vencedores do passado incluem Terry Rymer, Rob McElnea, Roger Burnett, Carl Fogarty, James Whitham, Chris Walker, James Toseland, Neil Hodgson, Leon Haslam, Tom Sykes, Shane Byrne, Chaz Davies, o próprio Cal Crutchlow, Alex Lowes e Jonathan Rea, vagamente pela ordem em que o fizeram.

Um cenário muito diferente. As SBK tem sido um campeonato dominado pelos britânicos, talvez porque a Grã-Bretanha começou a correr em motos de produção antes do resto da Europa. Em 1985, o campeonato MCN Superstock foi criado e tornou-se a série de corridas número 1 da Grã-Bretanha.

Assim, quando a SBK começou em 1988, os pilotos britânicos já estavam no ritmo das motos de estrada preparadas, enquanto a Itália, a Espanha, o Japão e outros ainda estavam focados nas motos de GPs de 500cc e 250cc.

Não há dúvida de que ele tem muito talento, mas os seus maiores ativos são determinação e bravura. Desde que se formou no MotoGP, sofreu 137 quedas, durante os fins-de-semana de corrida, o que significa que já caiu de uma moto de MotoGP pelo menos 150 vezes, testes incluídos. Cal Crutchlow provavelmente tem mais 27 corridas antes de pendurar o fato de cabedal, e isto porque o piloto de Coventry está em sofrimento diário com as usas lesões antigas. E não importa quanto dinheiro se ganhe, isso mói!

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png