MotoGP, Aragón: Espargaró e Iannone mostraram o potencial da Aprilia

Por a 24 Setembro 2019 15:00

O Gran Premio Michelin de Aragón foi um fim de semana sólido para a Aprilia Gresini. Aleix Espargaró foi capaz de se misturar com os principais pilotos toda a corrida no Domingo, enquanto Andrea Iannone ainda lesionado ficou a um pouco mais de um segundo dos 10 primeiros lugares.

Para Espargaró, foi mais um bom desempenho no MotorLand Aragón. Desde o seu 2º de 2014, o espanhol terminou em 6º, 7º, 6º, 6º e 7º, os 3 últimos resultados todos na RS-GP de Noale.

Foi um ano difícil para a Aprilia, com o irmão mais velho de Pol Espargaró conquistando apenas três Top 10. No entanto, a excelente corrida do natural de Granollers em Aragón é um sinal promissor de que a fábrica italiana pode terminar a temporada muito forte, antes que um protótipo completamente novo da Aprilia apareça em 2020.

Ao refletir sobre a corrida de Aragón, Espargaró estava satisfeito por ter andado com os principais concorrentes, mas teve alguns problemas com o pneu dianteiro que não esperava.

“Sim, hoje era importante terminar, lutar com os melhores e fizemos uma corrida sólida”, começou o piloto número 41. “Sinceramente, esperava ter algo mais, sofri um pouco com o pneu dianteiro e não esperava isso depois da boa sensação de ontem, especialmente na primeira parte da corrida. Não conseguia entrar em curva como fiz ontem e não consegui seguir os da frente.”

“Mas, de qualquer maneira, fiz uma corrida muito sólida, em ritmo acelerado, a apenas quatro segundos da segunda posição, por isso estou feliz em geral. Este é um circuito que combina muito bem com a RS-GP, fizemos o melhor resultado da temporada, e espero que isso nos tenha dado alguma energia positiva antes de viajarmos para a Ásia.”

“Com o tanque cheio, não tive a melhor sensação. Estava a arriscar para seguir as Yamaha e Miller, mas depois de quatro voltas quando eu tinha um pouco menos de peso de combustível na frente, comecei a puxar, tive um bom ritmo e por muitas voltas fui capaz de seguir o grupo principal.

Obviamente, foi uma sensação boa como piloto, poder lutar com os melhores, é fantástico. Ontem, eu não estava super feliz. Com pneu de qualificar, seguir um piloto rápido não é super importante. Mas fazer 25 voltas com o grupo líder, isso é muito importante. ”

Poderemos esperar que Espargaró lute pelos seis primeiros mais uma vez antes do final da temporada?

Precisamos de manter a calma. A realidade é a realidade. Acho que teremos dificuldades na Tailândia, a Austrália e Malásia serão melhores para nós, mas é muito importante tentar terminar a temporada da melhor maneira. Dar boa energia e boas indicações aos técnicos para preparar a nova moto para a próxima temporada.”

Quanto ao companheiro de equipe Iannone, a sua segunda posição no Q1 significa que a Aprilia colocou as duas motos no Q2 pela primeira vez. Depois de cair em Misano no fim de semana anterior, o italiano estava dorido de uma lesão no ombro, mas conseguiu-se desfazer de Danilo Petrucci (Ducati Team) e Miguel Oliveira, da KTM Red Bull Tech 3.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png