MotoGP: Alex & Marc: assunto de irmãos

Por a 6 Novembro 2019 15:04

Os irmãos Marc e Alex Márquez acabam de conquistar os títulos de MotoGP e Moto2 de 2019, mas há ou houve muito mais duplas de outros irmãos que competiram no cenário mundial, com maior ou menos sucesso. Pela segunda vez em cinco anos, o irmão mais velho Marc e o seu irmão mais novo, Alex, conquistaram o prémio máximo e conquistaram títulos mundiais. Em 2014 foram os de Moto3 e MotoGP.

No Domingo, no calor abrasador de Sepang, foi o próprio campeão mundial de MotoGP Marc que liderou as celebrações efusivas quando o irmão Alex conquistou o título de Moto2.

Eles são os únicos irmãos nos 70 anos de história do desporto a ganhar títulos no Campeonato Mundial de MotoGP. Outros tentaram e chegaram a ganhar Grandes Prémios, mas nunca títulos mundiais. Existem irmãos de Campeões Mundiais de que a maior parte provavelmente nunca ouviu falar que foram tentados a seguir os seus irmãos na pista de corrida.

Felice Agostini, irmão mais novo do 15 vezes campeão do mundo Giacomo, terminou em oitavo na corrida de 250cc no Grande Prémio das Nações de 1975 em Ímola.

Scott Doohan terminou em 12º na Yamaha Harris de 500cc no Grande Prémio da Austrália de 1994 em Eastern Creek.

O irmão Mick terminou em terceiro nesta prova, no ano em que venceu o primeiro dos seus cinco títulos mundiais nas 500cc. A lendária família Roberts é mais conhecida por títulos mundiais de pai e filho, mas o irmão mais novo de Kenny Junior, Kurtis, também competiu pela equipa do seu pai.

O seu melhor resultado foi o 12º lugar no Grande Prémio da Alemanha em Sachsenring, pilotando a Petronas KR212V MotoGP.

Os irmãos mais bem-sucedidos, além dos meninos Márquez, são os irmãos franceses Sarron. O irmão mais velho Christian ganhou seis GPs de 250cc e o título mundial de 1984.

A seguir, passou para a classe de 500cc e ganhou o Grande Prémio da Alemanha de 1985 em Hockenheim. O irmão mais novo, Dominique, venceu quatro GPs de 250cc e terminou em terceiro no Campeonato Mundial de 1988. De lembrar 3que o mais velho sempre correu pela Yamaha e o mais novo sempre pela Honda, nomeadamente vencendo as 8H de Suzuka de 1989 numa RFV750 com o português Alex Vieira.

Os três irmãos japoneses Aoki chegaram perto de reescrever a árvore genealógica.

O irmão mais novo Haruchika venceu nove GPs a caminho dos títulos mundiais de 125cc de 1995/96. A única vitória do irmão mais velho Nobuatsu na época de Grand Prix de 1993 ocorreu no GP da Malásia de 1993 nas 250cc em Shah Alam, enquanto o irmão do meio Takuma falhou em apenas dois segundos para vencer Alex Crivillé na vitória nas 500cc no Grande Prémio da Austrália de 1997 em Phillip Island.

Nesta temporada, o meio-irmão de Valentino Rossi, Luca Marini, obteve sucesso no Campeonato do Mundo de Moto2, vencendo várias provas.

Já os também irmãos Catalães Pol e Aleix Espargaró lutam na categoria rainha. O irmão mais novo Pol é um vencedor 15 vezes nas classes 125 e Moto2 e venceu o Campeonato do Mundo de Moto2 de 2013.

Aleix ainda aguarda a primeira vitória em Grande Prémio, mas tem alguns resultados de nota e um pódio na categoria de MotoGP. O campeão mundial de Moto3 de 2016, Brad Binder, experimentou sucesso da Moto2 este ano antes de se confirmar que vai passar para o MotoGP no próximo ano, enquanto o irmão mais novo Darryn exerce seu ofício na Moto3, onde também podemos encontrar os prodígios turcos Can e Deniz Oncu …

Muitos outros irmãos enfrentaram o teste final em duas rodas, incluindo os Kallio, Sayle, Hayden, Barros, Van Den Goorberg, Garcia, Bolle ou Sofuoglu.

Uma coisa é certa, certamente haverá muito mais, mas um dia, Marc e Alex Márquez vão ambos concentrar as atenções na disputa do títulos mundial de MotoGP – isso vai decerto ser interessante de comtemplar, e testar o amor fraterno até o limite.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png