MotoGP 2020: Veredicto Iannone “muito em breve”, segundo Viegas

Por a 16 Março 2020 14:00

O presidente da FIM, Jorge Viegas, comentou o alegado caso de doping Andrea Iannone – e com relação à lista de substâncias proibidas no motociclismo, promete reunir com o presidente da Agência Mundial Antidopagem  WADA.

Antes do início da crise do Coronavírus no Campeonato Mundial de Motociclismo, uma coisa era particularmente preocupante: o suposto caso de doping envolvendo Andrea Iannone.

O piloto de fábrica da Aprilia está suspenso pela FIM desde 17 de Dezembro, porque diminutos traços da substância proibida drostanolona, ​​um esteróide anabólico, foram detectados na sua amostra de urina no GP de Sepang a 3 de Novembro.

Em 4 de Fevereiro, o italiano de 30 anos e seu advogado Antonio De Rensis puderam comentar o caso perante o Tribunal Internacional Disciplinar (CDI) na sede da FIM em Mies, perto de Genebra, na Suíça.

Como a defesa forneceu, entre outras coisas, uma análise capilar para apoiar a tese de ingestão involuntária de carne contaminada, a promotoria teve cinco dias adicionais para estudar os documentos apresentados.

Por seu turno, o Tribunal Disciplinar Internacional tem 45 dias para chegar a um julgamento.

“O presidente da FIM não tem nada a ver com o procedimento”, enfatizou Jorge Viegas, presidente da Federação Internacional de Motociclismo, numa entrevista a um órgão local. “O caso foi analisado por advogados de ambos os lados, que apresentaram os vários documentos que consideraram necessários. Um comité de três juízes, todos muito experientes, anunciará a sua decisão muito em breve. Posteriormente, existe a possibilidade de apelar perante o TAS – Iannone ou o seu empregador, Aprilia, podem fazer isso se acharem a sentença demasiado severa; ou a Agência Mundial Antidopagem WADA, se a sanção for considerada insuficiente.”

Entretanto Iannone, que além de se preocupar com o seu futuro incerto na MotoGP também tem que lidar com a separação da influenciadora italiana Giulia De Lellis (24), é combativo: “Nasci para suor e sacrifício, vou lutar até à morte”, escreveu “The Maniac” no Instagram este fim-de semana.

Quando o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, comentou sobre o caso de doping, pediu a elaboração de uma lista de substâncias e métodos proibidos para o motociclismo:

“De momento, a lista de doping aplica-se por igual para todos os desportos. Mas o automobilismo e principalmente o MotoGP são especiais”, explicou o espanhol.

O que pensa o presidente da FIM  sobre isso? As substâncias proibidas na lista da WADA adequam-se à modalidade do desporto motorizado?

“No nosso caso, habilidade, atitude psicológica e coragem são mais importantes que a pura força física. Sem mencionar o problema dos analgésicos”, afirma Viegas.

“Tenciono encontrar-me com o novo presidente da WADA, Witold Banka, para descobrir se seria possível elaborar uma lista mais adequada ao nosso desporto”, prometeu o primeiro português presidente da FIM.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x