MotoGP, 2020: Santi Hernandez diz que 2020 será cheio de surpresas

Por a 26 Maio 2020 15:00

O técnico chefe da equipa de Marc Márquez, Santi Hernandez, está convencido de que a natureza sem precedentes do Campeonato do Mundo de MotoGP de 2020 levará a um ou dois choques logo que as corridas tenham início. O chefe de equipa de Marc Márquez dentro da boxe da Honda Repsol deu uma visão fascinante de como a sua equipa está a preparar-se para a extraordinária temporada de 2020.

Marc Márquez está agora a treinar MX. O ombro recuperou a 100%?

Vimos um vídeo do Marc a ter o seu primeiro contacto com uma moto depois de tanto tempo sem andar, e a verdade é que tem sido bastante positivo para o Marc voltar a andar de moto, especialmente depois da operação que teve no ombro e que esta pausa forçada o ajudou na sua recuperação. Esperamos que quando começarmos a temporada não seja um problema. Isto é muito importante e muito positivo para nós e para o nosso campeonato.

Que contacto tens com o Marc sobre motos? O que se pode discutir dada a distância? É sobre estratégia, ou do que falam?

Temos um grupo e tentamos, de vez em quando, reunir todos e ver os rostos uns dos outros porque é muito importante poder estar em contacto com a equipa. Temos uma boa relação entre nós e acho que este tempo que estivemos presos em casa obriga a dar-nos ainda melhor. Com o Marc, falamos de coisas que o preocupam esta temporada. Tentamos especialmente manter-nos em contacto com o Japão, com o meu chefe Takeo, falar um pouco sobre as melhorias que podem ser feitas ou sobre o que podemos trabalhar durante a temporada de acordo com as alterações feitas ao regulamento, mas, como as coisas estão, estamos à espera que confirmem quando vamos voltar ao trabalho.

É verdade que estamos a planear algumas coisas, especialmente na preparação para a primeira corrida, como ele vai estar depois desta pausa desde a Prova do Qatar, mas neste momento, a sério, não estamos a falar de nada concreto. Primeiro, precisamos de saber oficialmente quando começaremos e, a partir daí, trabalharemos normalmente: chamadas em conferência, falar sobre coisas que nos preocupam e preparar a primeira corrida.

Com que está preocupado especificamente e o que gostaria de melhorar no que diz respeito aos testes?

Um pouco do que nos preocupa é que no Teste do Qatar, tentámos muitas coisas durante esse fim de semana tivemos muitos problemas, e no final tivemos uma resposta para resolver os problemas que estávamos a ter mas, logicamente, para nós esta pré-temporada foi um pouco complicada porque muitas coisas que tentámos, não é que não tenham funcionado, mas por causa da aerodinâmica agora temos de elaborar um novo plano. Para nós, a primeira corrida, e mesmo a segunda, vai ser quase como novos testes.

É preciso tentar avaliar o que é melhor, qual será a melhor base para começar na primeira corrida e, especialmente, acabar por compreender e confirmar que o que tentámos no Qatar no último dia foi o caminho certo a seguir e, a partir daí, continuar a trabalhar para as corridas seguintes. O que nos preocupa um pouco é especialmente a travagem motor, os pontos de travagem, tentar obter mais aderência, a confiança com a frente… estas são coisas com que lutámos na pré-temporada. No último dia, percebemos que, por alguma razão, nos tínhamos desviado um pouco do caminho. O facto de termos dado um passo atrás fez-nos ver as coisas positivamente e acho que isso é o mais importante, mas não vai ser fácil porque não tivemos uma pré-época normal, só por causa da lesão do Marc e dos problemas que tivemos, não foi fácil.

É possível que o teste antes do duplo encontro em Jerez seja muito mais importante para vocês?

Correção. Para nós, poder fazer um teste de um dia antes do início do Campeonato será muito importante, principalmente para confirmar que a sensação que tínhamos no Qatar estava correta e que não foi apenas um acaso, mas tentar confirmar que o que estamos a melhorar é a coisa certa a fazer, o que nos ajudará a relaxar no resto da temporada. A partir daí, teremos certamente de melhorar muitas coisas, mas o mais importante será sair do primeiro dia em Jerez com a boa sensação que tivemos no último dia no Qatar. Seria muito positivo porque quer dizer que o caminho que escolhemos, no último minuto, foi o correto e isso vai dar-nos confiança para planear o resto das corridas.

Haverá um dispositivo de arranque quando voltarmos ou não?

Não sei… Estamos a trabalhar nisso. Afinal, uma fábrica como a Honda trabalha em todos os aspectos, na fábrica estão a testar muitas coisas e uma delas será o dispositivo de arranque. Mas neste momento não tenho 100% de certeza que o teremos, nem sou eu que decido. É um sistema importante porque vamos ganhar muito nas partidas. Como vimos nas outras fábricas, eles realmente fazem a diferença, mas para nós o mais importante, como já disse, é que a sensação que o Marc tem é a mesma que tivemos no último dia no Qatar, porque com isso vamo-nos sentir prontos para enfrentar o Campeonato e especialmente para continuar a melhorar a moto.

O Marc não pode deixar de correr riscos. Com tão poucas corridas, vai fazer-te suar.

Com o Marc, sofro sempre. Ainda não falámos muito sobre estratégias e como vamos disputar este Campeonato. Considero que o Marc, nos últimos anos, como todos pudemos ver, amadureceu muito e, especialmente, aprendeu com os seus erros. Digo sempre que é um piloto que sabe aprender com os seus erros, mas o mais importante para mim é que ele não pode perder o que está no ADN dele. Ele é como é, e tudo o que conseguiu é por causa de como ele é e desta ambição no seu ADN, que o faz dar sempre 100%, mesmo 200%, e acredito que ele não deve mudar essa mentalidade.

Obviamente, durante as corridas e no fim de semana temos de avaliar se estamos ao nível de lutar pela vitória, pelo pódio ou até mesmo para não conseguir o pódio, mas o maior número de pontos possível, porque, como vimos nos últimos anos, o mais importante é ser consistente, marcar pontos em todas as corridas e especialmente num campeonato tão curto… uma penalidade, uma queda, ou algo assim, pode significar não marcar pontos, e será mais difícil de recuperar.

Acredito que nas primeiras corridas vamos ver muitas surpresas, especialmente por causa desta pausa. Quando chegamos a um circuito após as férias de Natal, no primeiro teste na Malásia, há sempre pilotos muito rápidos e há outros que estão mais para trás. Outros lutam mais para se adaptarem à moto após o intervalo, é por isso que digo que pode haver muitas surpresas. Acredito que o Marc deve ser capaz de fazer o que sempre faz: pensar na sua estratégia em cada corrida. Um Campeonato do Mundo não se vence na primeira ou na última corrida, é vencido aumentando a pontuação e dando sempre o melhor em todas as corridas

Desta vez terá menos a perder do que os outros? Ele pode permitir-se perder este campeonato mundial diferente, será que os outros podem perder esta extraordinária oportunidade de vencer?

Não concordo com isso. Acho que quando se está com um piloto como o Marc ou quando se está numa equipa e a única coisa que vale a pena é ganhar o Campeonato, qualquer coisa menos é um desastre, por isso acho que para nós não importa se há 12 ou 20 corridas. No final, o nosso objetivo é ganhar o Campeonato do Mundo com um piloto como o Marc que, como estamos a ver, é capaz de bater muitos recordes e a única coisa que lhe importa é a vitória. Para nós, nada muda. O que os outros estão a fazer não importa.

Se este ano não formos capazes de alcançar o nosso objetivo, que é ganhar o Campeonato do Mundo, não será o resultado que esperávamos, mas isso não quer dizer que acumulemos a pressão. A pressão está lá todos os anos e especialmente para o Marc porque quanto és o atual campeão do mundo, toda a gente quer vencer-te e os pilotos que te bateram o ano passado querem voltar e fazê-lo outra vez. Para nós, isto não muda a nossa mentalidade. Cada época tem os seus pontos e este ano vai ser um pouco diferente e, mesmo, estranho por causa da situação, mas isso não muda o nosso objetivo. Saímos para ganhar. Ninguém vai mudar isso, nem o coronavírus, nem 10 corridas, nem 20. Vamos sair como sempre fazemos, para ganhar.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x